24.9.07

"Alto Risco", David Breashears

Nesse post: Sobre o Livro, vídeo de Breashears falando sobre escalada, melhores trechos do livro...

Capa do livro e o autor, David Breashears

É o melhor livro de escalada q eu já li!! :D :D

O João Ricardo q me falou desse livro! Com ctz me tornei um escalador e uma pessoa melhor depois dessa leitura.

Valeu MESMO fio! Curti DEMAIS!!! :)

Sobre o Livro:

David Breashears é cineasta e escalador, conhecido internacionalmente... o cara detona nas 2 profissões!

Nesse livro ele conta desde sua infância complicada, o início da sua relação com a escalada, as escolhas difíceis de quem deseja seguir o caminho do montanhismo...

Fala do seu primeiro contato com o cinema, o aprendizado, as oportunidades, os documentários..

Relata seu fascínio pelo Himalaia e em especial pelo Everest, as tentativas de atingir os cumes, as grandes vitórias, as grandes perdas, resgates, milagres..

Conta tb detalhes da tragédia de 96. Breashears estava no Everest filmando um documentário qdo aconteceu a tempestade, q foi uma das coisas + impressionantes q já li, presente tb nos livros "No Ar Rarefeito" do Jon Krakauer, "A Escalada" do Anatoli Boukreev e "Left to Death" do Beck Wheaters.

Breashears ajudou a resgatar os sobreviventes e conta detalhes do q ocorreu lá em cima.

É um livro do jeito q eu gosto! mto bem escrito.. umas horas rachei de rir imaginando a cena, outras dava um "pause" na leitura pra não chorar... é cheio de lições de escalada, de vida... impressões, experiências, histórias fantásticas... de uma pessoa q foi com tudo atrás de seus maiores sonhos!!

têm fotos belíssimas tb!! Show d+! =D

David Breashers falando sobre escalada (2 min):

http://www.youtube.com/watch?v=UnC5aJxApl4


Melhores trechos:


"Há uma grande ironia em escalar: se você se permitir perder o controle numa escalada, por estar com medo de cair, então com certeza irá cair [..] e não é nem um pouco fácil obrigar a si mesmo a não se render a esse medo."

------------------------------------------------

"De fato, não existe nada mais estimulante, mais purificador, do que se ver parado num cume a mais de 8.800m acima do mar, descortinando todo o planeta."

------------------------------------------------

"Logo que a ponta do pé largou daquela saliência, experimentei uma onda de sensações emocionantes: a adrenalina do medo, a intoxicação do desconhecido e, acima de tudo, o prazer jubiloso da auto-descoberta."

------------------------------------------------

"Eu estava tão acostumado a ser sempre um forasteiro que nem me preocupei em me enturmar. Eu era física e psicológicamente inadequado à prática de esportes em grupos: não poderia jamais cumprir as ordens de um treinador [..] Eu respondia apenas a mim mesmo e, às vezes, a minha mãe. Quando eu queria tirar um 10 na escola, eu tirava, mas segundo meus próprios termos e de ninguém mais."

------------------------------------------------

"Eu mal prestava atenção nos estudos. Formei-me com notas médias. Não fui ao baile de formatura [..] Escalar montanhas era uma atividade que me absorvia completamente"

------------------------------------------------

"Tinha uma curiosidade enorme em saber como as pessoas se comportavam em situações extremas e o que era considerado certo ou errado em locais onde as leis da civilização não mais vigoravam"

------------------------------------------------

"Quase todos os meus colegas de classe continuaram os estudos [..] mas para ser franco eu não via nada que os estudos acadêmicos pudessem me oferecer. Acreditava estar em via de criar a mim mesmo. [..] minha imaginação concentrava-se completamente nas montanhas. Nelas eu via a possibilidade de uma vida na qual podia empregar plenamente meus talentos e pôr em prática meus ideais, uma vida que se encaixasse às minhas esperanças e seguisse as pegadas de meus heróis [..] As montanhas haviam fornecido um caminho a eles e agora forneceriam o meu. A busca da excelência e do auto-conhecimento que motivara aqueles homens seria meu guia."

------------------------------------------------

"Antes que o sol se erguesse para aquecê-los, aqueles picos denteados pareciam esconder todas as sombras humanas que passaram por eles. Impressões minúsculas de um sem-número de mãos salpicavam a pedra de branco, testemunho de palmas suadas, escorregadias de medo e tensão, que tiveram de ser enxugadas com um mergulho na bolsa de magnésio"

------------------------------------------------

"Eu sentia uma grande atração por essa noção de que deveríamos escalar como se não houvesse a corda, como se nossas vidas dependessem de cada instante e de cada movimento executado. Era um código de excelência - implacável - e eu concluí que qualquer coisa menor que isso fazia do montanhismo um exercício sem sentido"

------------------------------------------------

"Só para dar uma idéia, imagine-se de pé na beirada de uma moeda de 5 centavos, olhando 150m lá para baixo, pelo meio das pernas. Eram assim muitas das nossas escaladas. Os amigos que tínhamos fora desse círculo diziam que púnhamos nossas vidas em risco, mas não era dessa maneira que encarávamos os fatos [..] Estávamos plenamente convictos de que nossos conhecimentos e habildades reduziam o perigo."

------------------------------------------------

"Mas existe um outro tipo de queda. É a queda que vai preparando-se, tenebrosa, que ocorre quando de repente, exausto demais para manter o apoio, você percebe que está prestes a cair.

------------------------------------------------

"de repente me vi encalacrado. Não podia subir nem descer [..] a força dos dedos estava indo embora. Estava diante de um mergulho de 18m até o fim da corda, com uma grande probabilidade de bater no chão. Senti os braços incharem, comecei a ter cãimbra, os antebraços entumecidos de sangue e ácido lático [..] meus braços pareciam pegar fogo. As pernas estavam bem, ainda não tinham começado a tremer [..] Eram meus braços que iam trair-me.

Com a respiração acelerada, golfadas rasas de ar, pendurei-me numa só mão para dar ao outro braço um descanso [..] Depois mudei de mão para sacudir o outro braço [..] Até que cheguei ao ponto que não podia mais tirar as duas mãos da pedra [..]
Eu ia cair. Tentei controlar as primeiras ondas de medo. Concentrei-me na respiração, forçando o ar a entrar e a sair com mais facilidade, mas estava ficando sem forças [..]

Alguns escaladores talvez tivessem optado por um último pêndulo ascendente, na esperança de encontrar uma agarra qualquer. Eu preferi a queda [..]

Há uma sensação imediata de libertação, quando se cai. De repente, a luta acabou. Não há nada em que pensar, nada em que segurar, apenas aquela liberdade peculiar da queda. Você não controla mais nada e está a mercê indiferente de mãos invisíveis."

------------------------------------------------

"Nesses momentos de grande perigo, os sentidos se aguçam. Só o que interessa é a linguagem da sobrevivência, todo e qualquer outro diálogo cessa. Toda sua energia física e psíquica está cuidadosamente centrada num único objetivo."

------------------------------------------------

"Parado lá em cima, olhando para baixo por entre as botas para nada mais do que centenas de metros de ar, ar do Himalaia, eu confiava inteiramente em minha capacidade de manter o controle da situação."

------------------------------------------------

"aprendi que mesmo no Everest é preciso estar disposto a dar meia-volta sempre que as condições não forem adequadas."

------------------------------------------------

"Não havia um homem naquela equipe que não estivesse enamorado de Veronique, eu inclusive. Ela era cosmopolita e sofisticada e no entanto lá estava ela - no acampamento-base - após atravessar o Tibete de bicicleta [..]

eu estava encantado com a simplicidade da Veronique. Ela não via nada de excepcional em ter pedalado 2.400km até o acampamento-base do Everest e depois ter subido a pé para 6.942m [..]

Eu não queria que ela partisse e tentei inventar uma colocação para ela na equipe de filmagem [..] ali parado no acampamento-base avançado, vendo a figura distante de Veronique sumir pela morena, prometi a mim mesmo que a veria outra vez"

------------------------------------------------


"Conversando um pouco em 1986 [..] fiquei sabendo que [..] trabalhara para o China Institute em Nova York e fizera estágio para conservação de pinturas antigas [..] Em 1990, convidei-a para ser gerente do acampamento-base no Everest e servir como assistente de câmera [..] Ela topou."

"Um dia fomos [..] até o alto de uma colina a oeste de Katmandu, de onde se tem uma vista espetacular de toda a cadeia do Himalaia - sobretudo ao entardecer. Foi esse o local escolhido para o falso casamento [..] Rodeados por um pequeno grupo de gente boa, que se importava conosco, olhando para as montanhas onde nos conhecemos e desenvolvemos um relacionamento, Veronique e eu formalizamos nosso amor"

------------------------------------------------

"Se há uma montanha capaz de temperar a arrogância humana e ensinar humildade, essa montanha é o Everest"

------------------------------------------------

"Devíamos ter esperado um pouco mais? Teria eu sido um líder incompetente? Era um covarde? Eu conhecia esse mantra, de outras expedições fracassadas: a interminável e terrível reciclagem do que poderia ter sifo, logo seguida por uma ladainha de racionalizações e auto-enganos, enquanto você luta para reconcilar o vazio existente entre a pessoa que se deseja ser e a pessoa que se sabe ser."

------------------------------------------------

"Em situações extremas, você poderia confiar em si mesmo?"

------------------------------------------------

"Os aspectos fundamentais da escalada são confiança, respeito e auto-suficiência. Há um entendimento tácito entre seus companheiros de que você tem experiência suficiente para conhecer os próprios limites e não colocar em risco a vida dos outros. Essas não são cortesias corriqueiras - são responsabilidades morais. Quando você precisa convocar recursos que não estão ali na montanha, você não é apenas uma ameaça a si mesmo mas também às pessoas em volta. Para mim, essa é a irresponsabilidade máxima - colocar outras pessoas em risco por causa do ego e do desejo."

------------------------------------------------

"Apenas umas poucas pessoas [..] naquele final de tarde, compreendiam de fato a indiferença do Everest pela vida humana. Você pode escalar aquela montanha mil vezes que ela jamais saberá seu nome [..] aceitar esse fato em todas as suas terríveis conseqüências, é o segredo da humildade do montanhista, a chave para o autoconhecimento"

------------------------------------------------

"Nunca é demais enfatizar o quanto de refúgio e abrigo a luz pode fornecer lá no alto do Everest. A luz nos dá mais do que visão, do que a capacidade de enxergar um caminho ou do que a promessa de um acampamento mais abaixo. Fundamentalmente, a luz firma o moral; e era disso que estavam abrindo mão."

------------------------------------------------

"Rob Hall fez sua útlima chamada [..] Sua mulher, Jan Arnold, que estava grávida do primeiro filho, fora conectada [..] por telefone.

'Oi, minha querida', disse Rob. As palavras saíam com dificuldade. 'Espero que você esteja bem quentinha na cama. Como é que você está?'.

Jan conseguiu falar com uma voz positiva e forte, embora fosse óbvio que Rob não sobreviveria uma segunda noite. 'Você nem imagina o quanto estou pensando em você', disse ela. 'Sua voz está tão melhor do que eu esperava. Está bem aquecido, meu querido?'

O diálogo continuou mais um pouco. Depois Rob despediu-se de Jan. 'Eu te amo. Durma bem, minha querida. Não se preocupe demais.'"

------------------------------------------------

"Fiquei atônito. Esse homem, esse sobrevivente mutilado, estava me contando uma piada? A respeito dos próprios ferimentos? Beck era patologista, sabia muito bem o que o esperava [..] Ele ainda não tinha idéia do estado do rosto. E não seríamos nós que iríamos lhe contar. Com certeza teria feito outra piada [..]

Não se queixou uma única vez [..] Sentia-se grato [..] Depois de todas as mortes, após ter sido considerado morto ele próprio, não uma, mas três vezes, seu espírito transcendia."

------------------------------------------------

"As tensões de escalar em grandes altitudes acabam por revelar o verdadeiro caráter de uma pessoa: elas arrancam as máscaras e mostram quem você é de fato. Lá em cima não existem mais todas as regas sociais por meio das quais se ocultar. Você se torna a essência do que é na verdade. E se um dia eu puder ser um décimo do que Beck foi aquele dia, terei sido um homem digno."

------------------------------------------------

"Conseguia racionalizar a morte dos inexperientes, mas não a deles. A montanha cessara de ser uma fonte de prazer para mim. De repente, o vento me parecia mais barulhento, o frio mais prolongado, minhas pernas mais fracas e a montanha mais alta."

------------------------------------------------

"Ninguém nunca disse: 'Temos de terminar esse filme'. Esse era um fator secundário [..] A verdade é que estávamos nos recusando a deixar que a tragédia nos roubasse o Everest. Queríamos [..] descobrir um elemento mínimo de salvação em todo aquele horror. Acho que todos nós queríamos provar a nós mesmos o que Ed dissera no acampamento-base: 'O Everest não é uma sentença de morte'."

------------------------------------------------

"A força de uma equipe é a força de seu integrante mais fraco"

------------------------------------------------

"Queríamos os dois dividir as montanhas com os outros" (Rob através das expedições comerciais, David atrávés dos filmes)

------------------------------------------------

"Eu ainda me sentia incompleto, insatisfeito [..] Sue me mandou uma cópia da foto que Bruce fizera no último dia da sua vida. Era um auto-retrato, tirado no cume, e talvez seja a foto mais comovente jamais feita no topo do Everest [..] Pode-se ver o cansaço no rosto de Bruce. Mas por trás do cansaço, há uma nítida expressão de triunfo [..] Agora, de repente, sentia uma serenidade indizível, uma total reafirmação de vida, naquelas arestas geladas do Everest. Finalmente estava pronto para descer a montanha e voltar para casa."

Foto de Bruce Herrod tirada por ele mesmo, no cume do Everest. Morreu durante a descida.

------------------------------------------------



Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin