30.8.09

Saiba DESISTIR - Livro "The Dip", Seth Godin

Se você:
  • Começa um monte de coisa e não termina nada
  • Ou rala, rala, rala - e sente que não chega a lugar nenhum
LEIA ESTE POST! ;) rs

Livro The Dip - Seth Godin

Saber a hora de DESISTIR foi uma das lições mais IMPORTANTES que aprendi na vida.

Demorei para aprender, e foi do jeito difícil. ARGH! Por que não li esse livro antes!? rs

Há uns anos, eu achava que se esforçar ao máximo - em tudo e para todos - era o certo! Que bastava determinação e paciência, e tudo valeria a pena.

VAI POR MIM: Nem tudo, nem todos, valem a pena. O custo é alto demais em gastar sua vida e energia em algo que não dará frutos, ao invés de concentrar-se naquilo que realmente importa.

Hoje tenho pessoas prioritárias, objetivos prioritários e necessidades prioritárias.

Por outro lado, vejo gente capaz começando um monte de coisas e abrindo mão do sonho na primeira dificuldade que aparece. E organizações também cometem esses mesmos erros.

Esse é o assunto do livro. Ensinar quando desistir e quando persistir, para que você se torne o melhor do mundo.

VOCÊ - é sua equipe, sua empresa, ou você mesmo.

MUNDO - é o seu micromercado. Se for "orgânicos na Tulsa", então esse é seu mundo.

MELHOR - é o melhor que posso encontrar por um preço que posso pagar.

Muitos podem até achar óbvio, mas vejo POUCOS colocando em prática esses conceitos.

Além disso, o autor é o Seth Godin, meu escritor favorito. Leio o blog dele tem vários anos, e todo dia ele posta algo brilhante, inspirador, bem-humorado - e este livro não foge a regra.

Seth Godin
*Melhores Trechos / Resumo - Clique aqui!*

A sabedoria popular diz que vencedores nunca desistem e que desistentes nunca vencem. Este é um péssimo conselho.

Em todo novo projeto (ou trabalho, hobby, empresa) o começo é excitante e divertido. Depois vai ficando difícil e nada divertido. Você pensará se o objetivo vale o esforço.

Neste ponto, talvez você esteja em um “vão”, que poderá superar se continuar forçando. Ou talvez esteja em um “beco sem saída”, que nunca ficará melhor, não importa quanto tente.

Aquilo que separa os melhores do resto é a habilidade de escapar cedo dos becos sem saída e continuar motivado e focado naquilo que realmente vale a pena.

Vencedores desistem rápido, desistem muito e sem culpa, até encontrarem e persistirem no vão certo. Vencedores procuram o vão. Sabem que quanto maior a barreira, maior a recompensa em atravessá-la.

Vale a pena ser o Melhor do Mundo

O mercado de massa está morrendo. Não existe uma música melhor ou tipo de café melhor. Existe é um milhão de micromercados, onde cada um tem o seu melhor.

Se o seu micromercado é de "orgânicos na Tulsa", então esse é seu mundo. Ser o melhor nele, é o lugar para se estar.

Ser o nº1 no seu nicho, te trará muito mais do que a parcela justa de lucros, glória e segurança de longo prazo.

No entanto, a maioria das pessoas caem em 2 armadilhas: desistem do que não deveriam e persistem em becos sem saída.

Benefícios extraordinários ficam para os que persistem um pouquinho mais que maioria. E também aqueles com coragem de desistir rápido e direcionar esforços para novas oportunidades.

Desistir é muitas vezes uma ótima estratégia. Não dá para tentar fazer de tudo, se pretende ser o melhor do mundo em algo.

Recompensas são escassas. Quem é o nº1 ganha 10x mais que o 10º, e 100x mais que o 100º.

O sorvete de baunilha é o mais vendido nos EUA. Representa 30% de todas as vendas. O de chocolate é o 2º lugar e representa apenas 7,5%. É a Lei de Zipf, e se aplica a praticamente tudo.


Há infinitas opções e o tempo é limitado para experimentações. Por isso as pessoas concentram suas escolhas em que está no topo. Todos fazemos isso. Como resultado, a recompensa aos primeiros é enorme.

Sites em 1º no google recebem centenas de vezes mais tráfego do que os outros sites.

O Maior Erro das Escolas

A coisa mais errada que aprendemos na escola: ser bom em todas as matérias é o segredo do sucesso.

Muitas organizações tentam fechar todas as brechas - serviço ao cliente, recepção, localização conveniente, etc – mas fica tudo medíocre. Em sua maioria, as pessoas escolhem empresas excepcionais nas áreas que importam a elas.

Outro péssimo conselho da escola: "Pule as questões difíceis ou que não sabe, e responda as fáceis". Os melhores do mundo se especializam em encontrar respostas para as perguntas difíceis.

As Curvas

O que acontece é que as pessoas desistem quando dói e persistem quando não podem se incomodar em desistir.

Existem 2 tipos de curvas que definem quase todas as situações que as pessoas atravessam quando desejam alcançar algo.
  • Curva 1: O "Vão"
Praticamente tudo que vale a pena é uma curva do tipo "Vão".

No começo, é super divertido. Seja aprender golf, acumpultura, pilotar avião - é interessante, e você fica ansioso em receber feedback positivo do seu desempenho.

Após algumas semanas, o aprendizado rápido mantém seu interesse. Seja o que for, é fácil continuar comprometido.

Então o "vão" chega. É a diferença entre estar começando alguma coisa e se tornar mestre nela. Atravessar o vão, apesar de difícil, é o caminho mais rápido para chegar aonde se quer. O vão é o que mantém fora as pessoas comuns. O vão cria escassez e escassez cria o valor.

Quantos não desejam a fortuna, o poder, os privilégios... do presidente de uma grande empresa?

Mas ninguém vê que é preciso aguentar 25 anos até conseguir o emprego, puxando saco, abaixando a cabeça, fazendo o que mandam, batendo metas e trabalhando por longas horas. Dia após dia, ano após ano.

Ser presidente de uma grande empresa não é difícil. Difícil é chegar lá.
  • Curva 2: O Beco sem Saída
É a situação em que você trabalha, trabalha, e nada muda. Não fica melhor, nem pior. São os chamados "empregos terminais".

Quando encontrar-se na direção de um, caia fora, JÁ. Enquanto você caminha no beco sem saída, você está deixando de ir atrás de outra coisa. O custo de oportunidade é alto demais em investir sua vida em algo que não tem previsão de melhrar.

Persista em atravessar os vãos que valem a pena e desista dos becos sem saída. Assim poderá concentrar recursos naquilo que trará resultados.

O Sucesso vem depois do Vão

Você já sabe dessas coisas, mas meu palpite é que não está fazendo nada sobre elas.

As pessoas que investem o tempo, a energia e o esforço, para atravessar o vão são as que se tornam as melhores do mundo. É só depois do vão que o sucesso acontece.

Snowboarding é um esporte bacana. Rápido, excitante, paga um bom salário, te faz ser uma pessoa popular. Por que existem tão poucos snowboaders? Porque aprender o básico é um doloroso vão para atravessar.

A atitude corajosa é atravessar o vão e ganhar todos os benefícios do outro lado que vêm da escassez.

A atitude madura é nem tentar porque você provavelmente não conseguirá atravessar o vão e então guardar os recursos para algo que seja realmente apaixonado em fazer.

A atitude estúpida é começar, se dedicar, gastar um monte de tempo e dinheiro, e desistir bem no meio do vão.

Em um mundo competitivo, a adversidade é sua aliada. Quanto mais difícil, mais pessoas desistem e melhores são as chances de se destacar. Mas se adversidade te leva a desistir, então todos os seus esforços serão à toa.

Quando Jack Welch refez a GE, sua decisão mais fabulosa foi essa: "Os nossos produtos não forem o 1º ou 2º do mercado, não iremos mais fabricá-los".

Por que vender negócios de bilhões de dólares que lucram bem como 4º do mercado? Simples. Porque desvia a atenção da administração. Suga recursos, energia, capital e foco. E o mais importante: ensina as pessoas que está tudo bem não ser os melhores. Jack abandonou os abismos e liberou recursos para desenvolver os produtos com verdadeiro potencial.

Contabilidade seria fácil se os relatórios fossem precisos e pontuais. Atendimento ao consumidor seria fácil se não fosse os consumidores. Vendas seriam fáceis se os clientes comprassem os produtos.

Ai está a boa notícia: ser difícil ou imprevisível é uma vantagem. Se não fosse, não haveria lucro nenhum nisso. A razão de pessoas praticarem windsurfing é porque o desafio torna a atividade interessante.

Para que Existem os Melhores do Mundo

O que faz as pessoas pagarem um especialista é o problema ser difícil de prever ou diagnosticar. Os melhores do mundo existem para solucionar problemas difíceis.

Da próxima vez que quiser xingar um cliente difícil, perceba que esta interação falha é a melhor coisa que aconteceu no seu dia. Sem ela, você seria facilmente substituível. Trate as dificuldades como oportunidades, porque realmente são.

O Mito da Diversificação

Quando chega o "Vão", muitos indivíduos e organizações diversificam.

Pessoas dedicadas e motivadas encontram na diversificação um subterfúgio para seu excesso de energia e falta de direção. No entanto, o sucesso verdadeiro vai para aqueles que são obcecados.

Medo de Desistir

É mais fácil ser medíocre do que confrontar a realidade e desistir. Desistir é difícil, exige que admita que não será o melhor do mundo, pelo menos não nisto.

Solução Simples

Fico puto com organizações que persistem em becos sem saída, deixando de investir recursos onde deveriam.

Fico puto de ver as pessoas desperdiçando tempo e dinheiro em alcançar algo que está além dos recursos disponíveis.

E acima de tudo, fico puto comigo mesmo por ter demorado tanto tempo para entender quão simples é a solução.

Quando não Desistir

Desistir quando chega o vão é uma má idéia. Se começou algo que vale a pena, então desistir no meio é jogar no lixo todo o tempo e recursos investidos.

Desistir no meio do vão muitas vezes fará de você um "desistente em série", começando muitas coisas mas terminando poucas. Se você não vai superar o vão, nem comece.

Se quiser ser bem-sucedido, precisa escolher uma área com um vão inclinado - uma barreira entre os que tentam e os que conseguem - um vão que acredita ter chances de vencer, e você precisará vencê-lo. Não pode ser algo que qualquer um consegue. Se fosse assim, todo mundo seria bem-sucedido. E desistir rápido de todos os becos sem saída que aparecerem no seu caminho.

Ser melhor do que 98% da competição costumava ser o suficiente. Mas agora, no mundo do google, os melhores estão a um click de distância. A única posição segura é ser o melhor.

7 Razões que podem fazê-lo Desistir de ser o Melhor
  • Você estoura seu prazo e desiste
  • Você estoura seu orçamento e desiste
  • Você entra em pânico e desiste
  • Você não leva a sério e desiste
  • Você perde o interesse, passa a ser medíocre e desiste
  • Você foca no curto prazo ao invés do longo, o curto fica difícil e você desiste
  • Você escolhe a coisa errada para ser o melhor do mundo

IMPORTANTE: Todas essas coisas são mais ou menos possíveis de prever antes de começar. Geralmente, você falha em ser o melhor por ter planejado mal ou por ter desistido muito cedo.

8 Tipos Comuns de "Vão"s

É possível que você ou sua equipe simplesmente não tenham capacidade para serem os melhores? Sim, é possível. Se a área que escolheu for Speed Skating, eu diria até que é provável.

Mas na maioria das áreas que consigo pensar, não, você é capaz de ser o melhor. A questão é: você está realmente disposto a ser o melhor?
  • Fabricação - é fácil e divertido construir algo na sua garagem. Difícil e caro é comprar uma fábrica para produzir em larga escala.

  • Vendas - A maioria das idéias começam quando alguém começa a vendê-la para empresários, consumidores e até eleitores. Mas o vão aparece quando você precisa ampliar sua atuação com uma força de vendas profissional. Em quase todas as áreas, o competidor que coloca uma grande e agressiva força de vendas consegue uma enorme vantagem.

  • Educação - Uma carreira começa logo que se deixa a escola. Mas o vão chega quando é hora de aprender algo novo e redesenvolver suas habilidades. Um médico que sacrifica 1 ano para adquirir uma especialização, colhe as recompensas por décadas.

  • Risco - Empreendedores percebem que em certo ponto, não dá para bancarem tudo sozinhos. É preciso assumir o risco de alugar um espaço maior ou investir em novas técnicas. O sucesso está em perceber a diferença entre investir para atravessar um vão ou investir em um risco inconseqüente.

  • Relacionamentos - Existem pessoas e organizações que podem ajudá-lo mais para frente, mas apenas se investir tempo e esforço em trabalhar com elas agora, mesmo que não seja o melhor momento para você.

  • Conceitual - Quando você abandona conceitos estabelecidos e assume novas suposições pode ser exatamente o que precisava. Exemplo de heróis que reinventaram instituições e indústrias: Martin Luther King, Richard Branson, Zelma Watson George, Jacqueline Novogratz.

  • Ego - Quando tudo só depende de você, é fácil. Abrir mão do controle e delegar responsabilidades aumenta seu poder de alcance. Mas a maioria das pessoas não consegue desistir do controle ou dos aplausos, e ficam presas no vão.

  • Distribuição - Colocar seu produto no WalMart tem mais chances de gerar muitas vendas do que colocar apenas na Web.
Onde está a Dificuldade

É fácil determinar se algo é um beco sem sáida ou um vão. O difícil é ter coragem para tomar a atitude certa.

Não há razão para continuar investindo em algo que não ficará melhor. E se você desistir logo, vai criar uma necessidade urgente de substituição, que te forçará a inventar uma nova e melhor alternativa.

A Média é para os Medíocres

Quando enfrentamos um vão, muitas vezes não desistimos. Optamos pela mediocridade.

Na próxima vez que pegar a si mesmo sendo mediano lembre-se de que há apenas 2 escolhas: desistir ou ser excepcional.

Ser mediano parece seguro, mas não é. Torna você invisível.

Vendedores que Desistem

Um estudo aponta que um vendedor típico desiste após o 5º contato com o prospect. O mesmo estudo aponta que 80% desses consumidores compram na 7ª tentativa.

Isso não quer dizer que o vendedor deva ficar sempre atrás do cliente, sempre forçando. A moral da história: vendas é transferência de emoções. Se for apenas para apresentar fatos, então um folder ou um site é suficiente.

Se o vendedor está lá pensando no longo prazo, comprometido em fazer a venda porque beneficiará a outra pessoa, o cliente perceberá isso. Se não for capaz de atravessar o vão de um jeito excepcional, você deve desistir. Agora.

Enfrentando o Vão

Você pode estar convicto de que seu produto é o melhor do mundo, mas ninguém além de um pequeno grupo liga para isso. Apenas uma pequena porção das pessoas procuram algo realmente novo. A maioria espera produtos que estejam testados, aprovados e barateados.

Marketeiros que não desistem são recompensados. Enfrentam o vão e aperfeiçoam seu produto enquanto outros correm atrás de sucessos rápidos.

Algumas editoras passam de autor em autor atrás de um best-seller imediato, enquanto outras apóiam um Stephen King até ele criar gradualmente uma enorme audiência.

A Microsoft falhou 2x com o Windows, 4x com o Word, 7x com o Excel. A empresa toda é baseada na idéia de atravessar o vão, mudando as táticas, mas nunca desistindo de uma grande idéia.

Sim, você pode e deve desistir de um produto, ou recurso, ou design – alías, você precisa fazer isso regularmente para crescer e investir recursos nos negócios certos.

Mas não, você não deve ficar desistindo de mercados ou estratégia. Sucessos "da noite para o dia" não ocorrem da noite para o dia.

Não se apaixone demais por uma tática. Ao invés disso, decida como e para que você estará no mercado. E se estiver, atravesse o vão.

Caso o seu produto não esteja funcionando, nem mesmo para os “doidos” que amam coisas novas, você não deve persistir com a tática.

Sua estratégia - ter credibilidade no mercado que escolher - sobrevive mesmo quando seu produto é cancelado.

Oposto de Desistir

O oposto de desistir não é "esperar para ver o que acontece", o oposto é dedicar-se a uma nova e revigorante estratégia para enfrentar o problema.

David estava em um "emprego terminal" após uma longa carreira na mesma empresa, e estava pronto para sair.

Seu chefe era um desastre, o trabalho não agregava mais valor ao seu currículo, e ele estava infeliz.

Ele foi para o tudo-ou-nada. Reuniu-se com o chefe e com o chefe dele e explicou o problema. Disse que acabaria saindo, mas que gostava da empresa e chegaram a uma alternativa. Ele ganhou uma promoção, um desafio totalmente novo, e um novo chefe.

Se ele pensasse apenas no curto prazo e não se dispusesse a sair naquele dia, nada aconteceria.

Não Desista Errado

Desistir no vão é geralmente uma decisão baseada nos benefícios de curto prazo, e uma má decisão. Em outras palavras, "tá doendo, vou parar".

As dores de curto prazo tem mais impacto do que os benefícios de longo prazo. Por isso é tão importante lembrar mais dos benefícios de longo prazo. É mais fácil aguentar uma aula ruim na faculdade, quando você imagina o dia da formatura.

E ainda mais vívido é o poder de medir o desempenho. Se você acompanha as estatísticas do seu blog, sua participação no mercado, ou sua pontuação na equipe de vendas, esse feedback diário ajuda no caminho para chegar ao topo e a lidar com as adversidades do curto prazo.

Nunca vi ninguém desistir no último quilômetro de uma maratona.

Pessoas persistentes visualizam a luz no fim do túnel que os outros não vêem. E ao mesmo tempo, as pessoas realistas não imaginam luz quando não há nenhuma.

Se você trabalha em um grande jornal, você pode ver que não há luz no fim do túnel. (devido a disseminação de conteúdo grátis na internet e massificação das ferramentas de autoria)

As pessoas que vencem sabem que absorver a dor cedo evita muito mais dor depois.

A decisão entre desistir ou persistir é uma avaliação simples: a dor de atravessar o vão vale o benefício da luz no fim do túnel?

Para Desistir Certo

Peão: "Quanto mais eu trabalhar, mais cedo serei rei"
Rei: "Quanto mais ele trabalhar, por mais tempo serei rei"

Tá tudo bem desistir às vezes. Aliás, tá tudo bem desistir muitas vezes. Você deve desistir sempre que estiver em um beco sem saída. Você deve desistir se o projeto em que estiver trabalhando não valer a recompensa do final.

Desistir de projetos que não vão a lugar nenhum é essencial para dedicar-se nos projetos certos. Não há tempo, nem paixão, nem recursos suficientes para ser o melhor do mundo em tudo.

Mas não fique desistindo de suas estratégias de longo prazo (qualquer que seja - uma carreira, uma receita, um relacionamento, uma venda) , apenas das táticas que não estiverem funcionando.

Desistir ao entrar no vão não é uma falha moral. É algo inteligente. Ver com antecedência um abismo se aproximando não é fraqueza. Ao contrário, representa perspicácia e coragem. Libera energia para atravessar o vão certo.

Doug me disse uma vez: “Sim, estou aqui a 14 anos, mas tive 7 cargos. Quando cheguei, estávamos começando mas agora somos uma divisão da Cisco. Obtive novos desafios e a transformação foi enorme...”

Eu o interrompi. Ele precisa sair por uma simples razão: está marcado. Todos na empresa tem uma expectativa formada do que ele é capaz ou não. Apesar do que ele poderia ser capaz de fazer, para as pessoas ele parou de evoluir. Ninguém lhe dará grandes desafios.

Mas se ele sair e entrar em outra empresa, precisará se reinventar. Ninguém na empresa nova se lembrará do Doug de 10 anos atrás. Vão tratá-lo como o novo Doug, o Doug com potencial infinito e algum passado.

Procure um novo emprego quando não precisar de um. O momento de mudar de emprego é antes dele se tornar confortável. Vá. Mude. Desafie a si mesmo, dê a si mesmo um aumento e uma promoção. Você deve isso a sua carreira e a suas habilidades.

Trabalhos medíocres raramente acontecem por falta de talento.

Desistir pensando no curto prazo é uma má idéia. Desistir pensando no longo prazo é uma excelente idéia. Nunca desista de algo com ótimo potencial no longo prazo apenas por não conseguir lidar com o estresse do momento.

Orgulho: um Grande Inimigo

Orgulho é o inimigo da desistência inteligente. Nixon sacrificou dezenas de milhares de inocentes por não desistir da Guerra do Vietnã. A única razão dele não ter desistido antes: orgulho. O mesmo que mantém uma pessoa por décadas em uma carreira após ter se tornado desinteressante e chata.

As pessoas sentem-se muito bem após desistir de um projeto sem futuro porque descobrem que orgulho ferido não mata, que tudo ficará bem.

Faculdade em Harvard não é Motivo

Michael Crichton desistiu quando estava no topo da profissão. Quando largou a medicina, Crichton tinha se graduado na Faculdade de Medicina de Harvard e concluído um pós-doutorado no Salk Institue for Biological Studies, o que sem dúvida garantia uma carreira lucrativa.

Ele trocou tudo isso pela imprevisível vida de escritor. E tornou-se um escritor best-seller.

Questões para fazer Antes de Desistir

1) Estou em pânico?

Aqueles que desistem do modo certo, decidem com antecedência quando irão desistir. Você sempre poderá desistir mais tarde. Espere passar o pânico para decidir. Decidir em pânico é perigoso e caro.

Quando a pressão estiver no auge, seu desejo de desistir deve estar mínimo. A decisão de desistir no geral é feita pelo momento, e é exatamente o momento errado para tomar uma decisão tão importante.

2) Quem estou tentando influenciar?

Se está tentando influenciar apenas uma pessoa, persistência tem limite. É fácil cruzar a linha entre mostrar comprometimento e tornar-se uma peste.

Se está tentando influenciar um mercado, as regras são diferentes. Algumas pessoas poderão se interessar ou rejeitá-lo. Mas a maioria nunca ouviu falar de você. Diferentes pessoas no mercado vêem coisas diferentes.

Influenciar uma pessoa é escalar um muro. Se conseguir em algumas tentativas, você entra. Se não, logo perceberá que o muro fica mais alto a cada tentativa.

Influenciar um mercado, mais parece como subir uma colina. Você vai progredindo, passo-a-passo, cada vez mais alto e mais fácil. As pessoas no mercado conversam entre si e se influenciam. Assim, cada progresso é ampliado.

3) Que tipo de progresso mensurável estou fazendo?

Para ter êxito, você precisa progredir, não importa quão pequeno seja. Mas precisa ser algo mais do que "sobreviver".

Se tem um pequeno negócio e está mantendo alguns consumidores felizes, tudo bem continuar com isso, porque esses clientes atrairão mais clientes. Você poderá medir seu progresso pelo número de recomendações e crescimento de vendas.

Se sua empresa não gera nenhum boca-a-boca, não vê novos clientes, não está indo para frente, por que você com ela?

Consistência e presença no mercado, geralmente não são suficientes para justificar seus esforços.

Mude de Táticas, Não de Estratégia

Quando você tenta influenciar um mercado, o valor de persistir é bem alto. Comprometimento com o mercado deve ser inquestionável - é mais barato e fácil construir sua base em um mercado do que mudar para outros em busca de sucesso rápido.

Desistir de uma carreira não é desistir da sua empreitada de mudar de vida, fazer a diferença ou causar um impacto.

Um emprego é apenas uma tática, um meio para conseguir aquilo que se quer. Quando seu emprego entra em um beco sem saída, é sensato desistir e levar sua empreitada para um lugar onde pode progredir.

Escreva: O que te Levaria a Desistir?

Desista antes de começar. Escreva as circunstâncias que o levaria a desistir e quando. Então, siga o que escreveu.

Você Pode ser o Melhor

Você e sua empresa podem mudar tudo. Criar produtos e serviços memoráveis. Entregar mais do que promete. Ser os melhores do mundo.

Mas quantas vezes você dissipa seus recursos espalhando-os em várias coisas? Quantas vezes opta pela mediocridade por estar cheio de tarefas na agenda, correndo contra o relógio para terminar todas?

Conclusão

Se isso aplicar essas idéias te assusta, é provável que seja algo bom para se tentar.

Todos os sucessos são iguais. Todos os fracasso também.
Obtemos sucesso quando fazemos algo extraordinário.
Falhamos quando desistimos cedo demais.
Somos um sucessos quando somos os melhores naquilo que fazemos.
Somos um fracasso quando nos distraímos com tarefas das quais faltou coragem para desistir.

Desista dos becos sem saída
Persista no vão que vale a pena
Tenha coragem para fazê-lo.

Resumo do Livro The Dip - Seth Godin
E para terminar, uma das poesias que mais gosto:
(e que tem tudo a ver com este post)



Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

7 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Ola Nicolas!


Queria convidar você para conhecer o meu blog, o Genizah que horas é pirado e engraçado, horas é exaltado e sério, mas é super do bem e tem como regra levar o Evangelho da Liberdade Verdadeira e a Santa Subversão de Jesus ao mundo egocêntrico e perdido nos seus valores! E, ainda dando tempo, aproveito para tirar uma onda com este pessoal que anda explorando a fé das pessoas e ainda dizendo que são cristãos... Ops!

Por minha vez, já me tornei seu seguidor.

Abraços em Cristo e Paz!

Danilo

http://www.genizahvirtual.com/

André disse...

Grande Nicholas! Apesar de nunca ter comentado, acompanho seu blog faz um tempão.

Muito bom esse post, realmente é um conceito que eu gostaria de já ter sido apresentado há bastante tempo. Vou com certeza ler esse livro.

Valeu pela dica! (Apesar de ter esse nome horríel :P)

Natalie S. Dowsley disse...

Adorei as dicas desse post! Sempre muito bom! =)
Olha, recebi meu 1º selinho e indiquei, lógico, seu blog tb. =)
Um abração pra tu!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...interesante
agil
y
ameno
blog
que
desde
mis
--- horas rotas---

sigo
y
comparto
con
un
fuerte
abrazo:

nicholas....


jose ramon...

Sabrina Noureddine disse...

Tão importante quanto não desistir é saber escolher e desistir daquilo que não faz mais parte da sua vida e de seus objetivos, não é fácil, mas é necessário para crescer...
Como sempre, excelente dica!!!
Abs., Sabrina.

Ludmilla disse...

Preciso desse livro URGENTE... nossa, como não descobri isso antes. beijo

Ludmilla disse...

Ah, finalmente alguem que deixa QLQER um postar, nao suporto aqelas coisas de letras.. sabe?

Blog Widget by LinkWithin