20.1.10

Filme "Foi Apenas um Sonho" (Revolutionary Road) - Claustrofóbico!


Ao contrário do que a imagem sugere, não é um filme de romance. Se eu pudesse definí-lo em uma palavra, seria: Claustrofóbico.

O filme é sobre um jovem e promissor casal dos anos 50. Ela quer ser atriz, ele cheio de planos e idéias.

Mas vem o casamento, os filhos, as contas. Ela se dedica às tarefas de casa, ele a um trabalho vazio que paga as contas.

Ambos se vêem presos em uma rotina sufocante, muito diferente daquela que sonharam.

Em uma tentativa de se libertarem, decidem mudar para Paris, uma cidade viva e empolgante. Mas precisam superar o medo, o comodismo, o tédio e o ceticismo dos outros.

No filme fica claro que problema não é falta de amor entre eles ou para com os flhos. Mas uma falta de perspectivas e de propósitos tão grande, que os leva a fazer merdas.

A frase que mais marcou é uma que já falei muito, até me surpreendeu vê-la no filme:

"Quero sentir verdadeiramente as coisas".

Conversando com a Gisele, ela disse uma coisa que me fez pensar bastante:

"É tão difícil ver uma pessoa com 40, 50 anos.. feliz... e isso é fruto das escolhas que fazemos agora (com 20 anos)"

Porque isso acontece? Será que estou escolhendo certo? Se eu escolher errado, não haverá outro jeito? É complicado, tudo te força a entrar na armadilha:

Fazer Faculdade para Trabalhar > Trabalhar mais para pagar a Faculdade > Ter carro para Trabalhar > Trabalhar mais para pagar o carro > e assim vai.

Você fica preso. Sem tempo, sem energia e sem grana para mudar de situação.

Se você, assim como eu, luta para não ser tragado para a armadilha rsrs, pensei em alguns passos para ficarmos longe dela:

1) É preciso ter uma reserva de dinheiro. Algo que dê para você se manter por 1 ano sem problemas, para acabar com o medo de ser demitido e poder investir em cursos ou alternativas para mudar de caminho.

Corte tudo que der para cortar, não gaste com nada que possa ter de graça, pague tudo à vista, não compre na hora, compre somente o que precisa, não compre tralhas, venda o que não usa. Depois que conseguir formar sua reserva, ai pode relaxar um pouco.

2) É preciso ter tempo. Para pensar nas alternativas e recuperar a disposição necessária para sair dessa situação.

Priorize as atividades, faça o que realmente precisa. Simplifique, elimine, delegue, automatize - o máximo possível. Utilize a tecnologia ao seu favor. Agrupe tarefas semelhantes, faça uma coisa de cada vez e defina prazos curtos.

3) É preciso ter iniciativa. Tem que pensar no que gostaria de fazer e tentar a sorte. Não importa o que a maioria pensa, não cuidam nem da própria vida.

Se não der certo, dá para mudar, nada é irremediável. Pior é desperdiçar a única vida que se tem em algo que não suporta fazer.

Após dar o primeiro passo, procure cursos, faça contato com pessoas que podem ajudar, crie um blog sobre a área pretendida, faça alguns trabalhos como voluntário ou freelance para ganhar experiência.

No começo tudo é difícil, poderá estar ganhando bem menos. Mas por gostar do que faz, logo estará se aprimorando, progredindo, ganhando mais e sentido-se mais feliz.

4) É preciso aproveitar as coisas simples da vida. O mundo oferece felicidade gratuita o tempo todo, para quem quiser pegar. Mas às vezes estamos tão atarefados que deixamos passar.

Família, amigos, esportes, hobbies, viagens curtas, bons livros e pequenos passeios são uma enorme fonte de felicidade e disposição.


Acredito que seguindo esses itens por alguns anos, seja possível sim viver uma vida verdadeira, sentir realmente as coisas e não tornar-se um robô, cumprindo tarefas sem significado, sempre no piloto automático.

Trailer


http://www.youtube.com/watch?v=12Ru_8nIPsI


Melhores Trechos:


"- Voltarei para lá assim que for possível. As pessoas são vivas lá sabe April? Não que nem aqui. Eu quero sentir as coisas, sentir verdadeiramente as coisas. O que acha disso?

"- Querida, só que não é muito realista, só isso.
- Não, Frank. Isto é o que é irrealista. É irrealista para um homem com uma mente maravilhosa ir trabalhar... ano após ano, em um trabalho que ele não pode suportar, voltar para casa para um lugar que ele não pode suportar, para uma mulher que é igualmente incapaz de suportar as mesmas coisas."

"Somos apenas como todo mundo. Olhe para nós! Fomos trazidos para a mesma desilusão ridícula. Esta idéia de que você tem que desistir da vida... e sossegar no instante que tem filhos."

"- Quando te conheci... não havia nada no mundo que você não poderia fazer ou ser.
- Quando me conheceu, eu era um espertinho com uma boca grande, e só."

"- Se ser doido significa... viver a vida como se ela importasse, então eu não me importo se somos completamente insanos."

"- Você nunca tenta nada. E se você não tentar nada, você não pode falhar.
- Que diabos você quer dizer com 'eu não tento nada'? Eu te sustento, não é? Eu paguei por esta casa. Eu trabalho dez horas por dia em um trabalho que eu não suporto.
- Você não precisa!
- Besteira! Olha, eu não estou feliz com isso. Mas eu tenho peito... para não fugir das
minhas responsabilidades!
- É preciso peito para levar a vida que você deseja, Frank."



Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

6 comentários:

方便 disse...

It takes all kinds to make a world...................................................

Canteiro Pessoal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canteiro Pessoal disse...

Nicholas. Sou remetida numa frase e é de um livro: É preciso saber viver de J. Ruy. A palavra 'escolha', me faz refletir em outra palavra 'atitudes'. Atitudes que vem na mala aos meus olhos 'conhecer pelos frutos', que seria: o elemento valioso de dentro em ação. Em meu discurso diário [repetitivo], é que somos reflexo de plantio. Portanto, colhemos o que plantamos. Uma amiga citou: "Daqui por diante o que conta serão as atitudes". Sabes querido, creio que 'atitudes' esteve sempre presente batendo à porta e continua o bater, a questão é que nossos olhos atrubui atitudes por uma nova palavra o 'fazer' e o não 'ser'. Perceba minuciosamente, que com 'boca que censura' acabamos atuando esta frase: 'Não valorizando as pessoas pelo que são, e no tanto no quanto fazem. Cobrando resultados, portanto, uma produção em série'. Uma vez um rapaz com sua arte de conquista, pois 'homens foram dotados', arte belíssima, e todo homem ama conquistar, no percurso da conquista 'meses' cometeu um deslize, e percebi que a 'falta de perspectiva e de propósito tão grande', o levava deixar cair as máscaras. Chegou a me pedir coisas absurdas, largar meus projetos e sonho e linguajar, e disse: 'Querido, meus projetos, sonhos, livros, escrita, linguajar e família vieram antes de ti, portanto, largo tu, pois não exprimi ambição, família e o 'é preciso saber viver a vida' é essencial; cada um viver sua individualidade em somatória dois em um. Precisamos SIM 'sentir verdadeiramente as coisas', sentir que é 'amar', pois assim tudo flui, torna-se espetacular, gratificante e edificante.
Sobre suas perguntas: Porque isso acontece? Será que estou escolhendo certo? Se eu escolher errado, não haverá outro jeito?
Acontece porque nós mesmos criamos o estar preso. É o 'sistema' projetado e alimentado por nossas mãos. Sempre fazemos nossas escolhas na fase de imaturidade 'juventude', onde tomos as decisões importantes, para toda nossa vida. Penso que para não cometermos esse 'erro' é fundamental voltar para o conselho dos mais velhos [hoje em dia se despreza gritantemente] e aprender com os erros dos outros também, pois é atuar em sabedoria, quem sabe assim o cometer de erros será bem menos!? Acredito que todo dia é oportunidade para 'recomeçar', do velho surgir o novo. Basta a posição de 'atitude' entrar em cena e em paciência não olhando para outrora, mas no seguir a diante no novo passo, 'escolha'. Bem, vou parando por aqui! Parabéns pelo post. Até e abraços.

Priscila Cáliga

anita sereno disse...

oi esta tudo lindo amei o que escrevestes continuaçao de bom sucesso desculpa nao comparecer mas tenho estado ausente beijos um bom ano 2010 e sim... esta tudo muuto lindo!!!!!

Fabrícia Lima disse...

Achei um máximo seus comentários apesar de não ter assistido ainda esse filme, me idenfiquei com frase que vc comentou:"Quero sentir verdadeiramente as coisas", hoje estou me sentindo assim...acho que isso acontece com muitos! adoro suas postagens, felicidades.

Nathalie disse...

Fala brother!Adorei seu post sobre este filme..excelente visão...acredito que estes passos ajudarão muitos a conquistarem a vida que sonham..muito bom, parabéns!! Abraços sua sister

Blog Widget by LinkWithin