12.3.10

Emoções são como Ondas

"Emoções são como ondas,
não podemos impedí-las de virem,
mas podemos escolher qual iremos surfar"


(via @celsinho)



Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

6 comentários:

DIÁRIO DA LUIZA disse...

Olá passando para fazer uma visitinha e dizer que sou uma aficcionada por frases também.
Inclusive quando escrevo procuro as minhas frases de efeito, mas são só minhas(anônimo).
Abraços
Luiza

Canteiro Pessoal disse...

Nicholas,

cada vez que pouso em teu cantinho, uma metamorfose acontece em meu íntimo. A seleção de frases são arrebatadoras.
Ave rara, como disse a pouco em outro blog que me transporta ao cume, no nosso território há tantas sementes mortas, e que clamam ressureição. Tanto se ler e pouco enxergamos o que é lido em prática, e isto, nos apavora. Saiba que nosso nome precisa em muitas fases, repousar em pausa [rever pontos], para que se viva a frase acima, antes de recomeço, e muitas vezes, começar. E assim, ao pé do ouvido do vento, sussurrar, para que se aprenda e reaprenda a ler e reler até o fim. Olhemos para o cume, pois nossa casa tem uma pena que corre por todos os compartimentos. O mistério do pensante gosto do escrever adocicado sobre o que é amargo [o que dói profundamente]. Como tantas coisas doem profundamente [as ondas], e temos que dá commando do seguir adiante, onde tudo que sucede é temporário, afinal todo deserto é passageiro. Então, vamos, desenhar ou cantar, porque é ótimo quando atua o brincar [felicidade], não se sente só, e fica-se de coração aquecido.

Abraços!

Priscila Cáliga

Canteiro Pessoal disse...

Nicholas,

voltei! Pois me fizeste adentar num escrito de Neruda, compartilho contigo.

----

Quem morre?

Morre lentamente
quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente
quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente
quem evita uma paixão,
quem prefere o preto no branco
e os pingos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções,
justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
sorrisos dos bocejos,
corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida,
fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente
quem não viaja,
quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente
quem destrói o seu amor-próprio,
quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente,
quem passa os dias queixando-se da sua má sorte
ou da chuva incessante.
Morre lentamente,
quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,
não pergunta sobre um assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior
que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos
um estágio esplêndido de felicidade.

Odele Souza disse...

Nem todos conseguem aplicar essa frase às suas vidas. E como seria bom se conseguissem.

Deixo um forte abraço pra você e o desejo de um bom domingo.

JoeFather disse...

Apaixonante a visão que o amigo nos dá!

Parabéns pela inspiração!

Abraços renovados!

Vanilla disse...

Postei no vanilla sky com base na inspiração que teu blog meu deu ;)
Vai lá...
bjss

Blog Widget by LinkWithin