2.6.10

Filosofia para o Dia-a-Dia: Sócrates e a Auto-Confiança

No documentário "Filosofia para o Dia-a-Dia" (Philosophy: A Guide to Happiness), o filosófo suiço Alain de Botton destaca 6 grandes pensadores sobre temas importantes do nosso cotidiano:
  • Epicuro e a Felicidade
  • Schopenhauer e o Amor
  • Sócrates e a Auto-Confiança
  • Nietzsche e o Sofrimento
  • Montaigne e a Auto-Estima
  • Sêneca e a Ira

- Sócrates e a Auto-confiança

"Existe apenas um bem: a Sabedoria.
Existe apenas um mal: a Ignorância."



Parte 1 - 10min


http://www.youtube.com/watch?v=AQU6s5_RJCs

Parte 2 - 7min
http://www.youtube.com/watch?v=bpF0Gjq505w

Parte 3 - 7min
http://www.youtube.com/watch?v=m5j6h_bGOZo


Melhores Trechos:

"Pensar logicamente sobre nossas vidas pode nos ajudar a ficar mais seguros e independentes, menos conformistas e menos vulneráveis à opinião alheia."

"Há muitas semelhanças entre o homem e a ovelha. Não fabricamos lã nem balimos. Mas, muitas vezes, seguimos o rebanho passivamente e temos pavor de nos separarmos do grupo."

"Por que seguimos cegamente os outros, em especial as pessoas importantes?

Principalmente porque imaginamos que elas sabem o que estão fazendo. Porque tendemos a acreditar que quem ocupa cargos de liderança tem razão.

Era essa crença que Sócrates queria desafiar, conclamando-nos a analisar logicamente bobagens que ouvimos de autoridades, em vez de nos intimidarmos por sua aura de importância e aparente segurança."

"Sócrates, em vez de ficar apenas de conversa fiada, abordava essas figuras importantes e fazia as perguntas fundamentais, querendo saber, basicamente, por que eles viviam da forma que viviam. Assim, ele acabou descobrindo falhas surpreendentes, ao tentar compreender a vida que levavam.

Os ricos não sabiam explicar por que tinham tanto dinheiro [...]

Os generais não sabiam dizer por que guerriavam [...]

Podemos extrair disso uma lição incrível: se você tiver a sorte e a coragem de abordar figuras importantes, e questioná-las sobre suas vidas, vai descobrir inconsistências que nem de longe pareciam existir."

"Sócrates caminhava pelo mercado assim, abordando as pessoas e questionando sobre o sentido da vida, de uma maneira muito interessante, mas também muito irritante. Se você pede explicações sobre as crenças das pessoas, elas muitas vezes, reagem agressivamente."

"Sócrates não tinha essas inibições. Ele preferia ser considerado contundente e esquisito, a permitir que seus compatriotas seguissem levando a vida sem pensar.

Sua intenção era fazer todos reavaliarem suas crenças, acreditava que todos tinham o dever de refletir sobre suas vidas, e que todos nós temos capacidade para fazê-lo.

Sócrates queria que superássemos a preguiça e a timidez, descobríssemos nossas crenças, e que pudéssemos defendê-las."

"Sócrates não nos dá somente a confiança para desafiar ideologias dominantes, crenças e tradições. Ele também nos faz desenvolver nossas próprias crenças, que podem ajudar a nos destacar na multidão."

"Há muitas idéias confusas e imprecisas no mundo, porque as pessoas imaginam que podem ter boas idéias sem pensar muito.

Sócrates foi além nessa análise, formulando um método particular. É o método socrático do pensamento.

Ele identificou cinco etapas distintas com as quais qualquer pessoa pode formular uma boa idéia, bastando seguí-las para chegar lá.

Essas etapas podem ser resumidamente descritas assim:

Primeiro, pegue um conceito considerado verdadeiro pela maioria.

Por exemplo: "os melhores empregos são aqueles que pagam melhor", ou "o casamento traz felicidade".

Em seguida, tente achar uma exceção.

Será que alguém pode ser casado e infeliz, ou ter um bom salário mas não estar satisfeito com o emprego?

Terceiro passo: se for possível encontrar a exceção, o conceito deve ser falso ou impreciso.

Em nosso caso, existe uma imprecisão.

Em quarto lugar, ache uma nova definição que abarque a imprecisão.

Em nosso exemplo, reconheça que é possível estar infeliz num emprego que paga bem, mas que, criativamente, não satisfaça, ou ser infeliz no casamento se você escolheu o cônjuge errado.

Por último, continue repetindo o processo, tentando achar o máximo de exceções para o conceito escolhido.

Sócrates dizia que a verdade, quando é possível chegar a ela, está num conceito impossível de contradizer.

Se testarmos nossas idéias com esse método, dizia Sócrates, seremos capazes de formular opiniões sólidas.

A vantagem do método socrático é tornar você menos passivo e menos inclinado a seguir a massa.

Se alguém discordar, você não vai precisar dizer apenas: 'Acho que estou certo, mas não sei dizer por quê', mas demonstrar logicamente o porquê de suas crenças."

"Como ele dizia, 'uma vida sem reflexão não vale a pena ser vivida'."

"Para Sócrates, era possível ter uma conversa filosófica em todo lugar, mesmo na esquina de uma rua. A filosofia não estava restrita a universidades ou escolas. Sócrates conversava com todo tipo de gente, e gostava de demonstrar que todas as pessoas eram capazes de chegar a opiniões bem abalizadas. Uma idéia inspiradora."

"Mas, na sociedade democrática moderna, dominada por pesquisas de opinião, Sócrates diria que nosso problema é dar ouvidos a elas sem analisar se são fundamentadas ou não."

"Embora acreditasse que todos somos capazes de auto-análise, Sócrates sabia que, na prática, poucas pessoas o fazem."

"Sócrates se recusava a aceitar que, só porque era defendida pela maioria, uma opinião estava certa.

Para ele, importa mais saber se o argumento tem lógica e é razoável, e é assim que devemos tomar decisões, em vez de acatar a vontade da maioria."

"Mesmo acreditando que a maioria pode estar errada e tendo a certeza de estar certo, pode não ser fácil sustentar uma opinião minoritária"

"Você só pode ver o mundo por seus próprios olhos. Pode tentar entender o ponto de vista dos outros. Às vezes, isso é possível. Certas vezes, a outra pessoa tem uma visão diferente, mas você consegue respeitá-la, consegue ver as razões dela.

Mas é diferente quando a outra pessoa está errada. Podemos aceitar pontos de vista diferentes. Mas, pessoalmente, se vejo que algo está errado, fico muito incomodado."

"Sócrates foi acusado de corromper a juventude ateniense e desrespeitar os deuses cultuados na cidade. Sua sentença foi a pena de morte. Sócrates viu que poderia morrer, mas não se descontrolou.

Ele disse que, se tivesse mais tempo para expor seus argumentos, tinha certeza de que os convenceria de que era inocente. Mas não havia tempo, e ele aceitou a sentença resignadamente.

Depois do último voto, a maioria do júri considerou-o culpado e sentenciou-o à morte. Sócrates foi levado do tribunal para a prisão próxima. A esposa, Xantipa, foi visitá-lo, mas teve uma crise histérica e precisou ser retirada do local. Seus amigos também choravam.

Até o guarda da prisão, que já conduzira muitos condenados à morte, pediu perdão e disse que, de todos os que já vira na prisão, Sócrates era o homem mais nobre, mais generoso e mais sábio. Pouco depois, o carrasco entrou com uma taça de cicuta. Ela foi dada a Sócrates, que teve de beber o veneno."

"Uma vez, perguntaram-lhe de onde ele vinha, ao que Sócrates respondeu: 'Não sou ateniense, nem grego, mas um cidadão do mundo'."

"Sócrates nos faz ver que todos temos a capacidade, e o dever, de parar de seguir passivamente opiniões alheias e, em vez disso, desenvolver crenças em que realmente possamos confiar."

"Embora relutemos em enxergar isso, todos podemos nos transformar de ovelhas em seres pensantes, ou seja, em filósofos."



Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

1 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

Nicholas. Amei cada partícula exprimida de forma brilhante, levando-me à refflexões intensas.

Abraços.

Priscila Cáliga

Blog Widget by LinkWithin