30.7.10

"Classe Média" - Max Gonzaga e Banda Marginal


http://www.youtube.com/watch?v=KfTovA3qGCs

Dica da minha amiga Ana Laura :)

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

29.7.10

"Acorrentando a Si Mesmo" - Rabindranath Tagore

"Prisioneiro, contai-me quem foi que forjou essa inquebrantável corrente?"

"Fui eu mesmo", disse o prisioneiro."Fui eu que forjei cuidadosamente essa corrente.

Pensei que poderia prender o mundo com meu invencível poder, e que isso poderia me deixar em imperturbável liberdade.

Noite e dia, trabalhei nessa corrente com fogos terríveis e duras e cruéis marteladas.

Quando terminei o trabalho e os elos estavam completos e inquebráveis, descobri que a corrente acorrentava a mim mesmo."

(Rabindranath Tagore)


Dica da Daniele ;)

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

27.7.10

Livro "Tête-a-Tête - Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre", Hazel Rowley


"Eles formavam um dos casais mais lendários da História. Os dois estão sepultados no mesmo jazigo. Impossível pensar em um sem lembrar do outro.

O impacto de seus escritos no pensamento moderno é inestimável, mas Sartre e Beauvoir são igualmente lembrados pela vida que levaram. Eram brilhantes, corajosos, inovadores.

Como estudantes, não podiam ter tido uma atuação mais brilhante, no entanto deram as costas para a rigidez acadêmica e as sutilezas burguesas. Tornaram-se ícones como livres-pensadores e intelectuais engajados. Sua produção abrange um extraordinário leque de gêneros.

Sartre e Beauvoir são associados com liberdade. Sua filosofia não era uma mera teorização, foi feita para ser aplicada à vida.

Rejeitaram o casamento. Nunca viveram juntos. Tinham abertamente outros amantes, davam-se bem com os amantes um dos outros, às vezes, dividiam-nos.

Este livro mostra a paixão, a energia, a audácia, o humor e as contradições de seu notável (e pouco ortodoxo) relacionamento.

Esta não é uma biografia de Sartre e Beauvoir, é a história de uma relação. Quis retratar essas duas pessoas de perto, em seus momento mais íntimos.

Podemos ou não considerar esta uma das grandes histórias de amor de todos os tempos, mas é uma grande história. Exatamente o que Sartre e Beauvoir sempre quiseram que suas vidas fossem."

(Hazel Rowley)


Indicação da minha grande amiga Daniele Trindade Cabral, NOTA 1000 esse livro! VALEU DANI!!! =D

Eu li mais por interesse na vida do Sartre. Tive contato com as idéias de liberdade e responsabilidade dele, que me atraíram. Sobre a Simone de Beauvoir, eu nunca tinha ouvido falar.

Após a leitura, achei a Simone de Beauvoir ainda mais impressionante do que o Sartre. Ambos tiveram vidas excepcionais: viajaram pelo mundo, quebraram tabus, transformaram o pensamento da sua época, influenciaram intelectuais e milhões de pessoas no mundo, se engajaram ferozmente contra guerras e injustiças, e amaram muito.

Quando Sartre era jovem, o avô dele disse que ele não tinha talento para ser um grande escritor. Aos 59 anos ganhou o Nobel de Literatura e recusou o prêmio, mesmo estando apertado de dinheiro! hahaha

No entanto, eram humanos como nós. Tinham inseguranças, tristezas, arrependimentos, desilusões, dúvidas.

Para Simone, tudo era mais difícil. Era mulher, em uma época em que o grande objetivo das mulheres deveria ser o casamento. Havia diferenças gritantes entre os sexos nos estudos, no trabalho, no comportamento social. Ela teve que superar essa carga a mais. Ele não.

Suas obras, ações e modo de vida, fizeram dela um dos principais expoentes do feminismo.

Este livro me acrescentou muita coisa, devorei as páginas em poucos dias, fiquei até triste que acabou. RECOMENDO! :D

Melhores Trechos do Livro

"Naturalmente, não se tem sucesso em tudo, mas é preciso querer tudo" (Sartre)

"O homem é condenado a ser livre" (Sartre)

" Eu era muito triste porque sofria por ser feio. Livrei-me completamente dessa tristeza, porque é uma fraqueza. Quem conhece a força que tem, deve ser alegre." (Sartre)

"Para mim, uma escolha nunca é final. Esta sempre sendo feita [...] O horror da escolha definitiva é que envolve não só o eu de hoje, mas também o de amanhã" (Sartre)

"Sartre era encorajador; também estava cheio de projetos e planos para o futuro deles juntos. Teriam aventuras e viagens, trabalhariam muito, e teriam vidas de liberdade e paixão. Ele lhe daria tudo que pudesse. A única coisa que não podia lhe dar era sua individualidade. Precisava ser livre."

"Era óbvio que a ajuda de Sartre não seria do tipo convencional. Ele desdenhava qualquer coisa que soubesse a conformismo ou convencionalismo. A idéia de um emprego regular, com colegas e um chefe, era anátema para ele. Tampouco queria ser um literato profissional, escrevendo em um escritório cheirando a mofo e revestido de livros.

A idéia de se estabelecer num lugar não tinha graça. E embora já tivesse sido noivo, atualmente, a perspectiva de se casar, ter filhos e adquirir bens o horrorizava. Ele tinha uma missão: ser um grande escritor. Nada mais importava. Para escrever, tinha que experimentar o mundo.

[...] Para ele, os indivíduos viviam num estado de absurdo fundamental, ou ‘contingência’. Deus não existia; a vida não tinha um significado preexistente. Cada indivíduo tinha que assumir sua liberdade, criar sua própria vida. [...] Ser livre era assustador. A maioria das pessoas fugia de sua liberdade. Mas Sartre abraçava a dele [...] Sua vida seria sua própria construção. Beauvoir achou isso uma bela filosofia"

"Havia algo incrívelmente vital naquele homem. Ele fazia com que ela quisesse se descobrir, fazia com que quisesse descobrir o mundo. Com ele, ela sabia que nunca se estagnaria."

"Jamais gostei tanto de ler e pensar. Jamais estive tão viva e feliz, ou previ um futuro tão rico. Ah Jean-Paul, querido Jean-Paul, obrigada." (Beauvoir)

"Ele podia ser um homem pequeno, mas vivia a vida de forma tão intensa que parecia maior do que qualquer homem que ela conhecia. Tinha uma ambição ardente. Mas não no sentido mundano. Não tinha interesse nas coisas materiais, nem em estar com pessoas famosas.

Muito simplesmente, estava convencido de que seria um grande homem e que sua tarefa era conseguir isso. Sartre precisava de sua liberdade, mas também queria que Beauvoir abraçasse a dela."

"Sartre estava convencido de que amor não era possessão. Para ele, um tipo mais generoso de amor significava amar a outra pessoa como um ser livre. Quando Beauvoir levantou a espinhosa questão do ciúme, Sartre disse que, se contassem tudo um ao outro, um nunca se sentiria excluído da vida do outro.

Não deveriam ter segredos. Em casos amorosos, dúvidas, inseguranças e obsessões, deveriam ter como objetivo a abertura total. Ele chamava isso de 'transparência' [...] Beauvoir achou a idéia tão assustadora quanto estimulante [...] lá estava Sartre querendo que ela compartilhasse seus pensamentos - todos eles - com ele."

"Desde cedo, compreendera que um aventureiro precisava preservar sua liberdade. Em tudo que lia [...] o herói solitário ia se conduzindo em meio a obstáculos traiçoeiros, dos quais os mais sinistros eram as mulheres. Sartre estava determinado, diz, a evitar esta armadilha"

"A sociabilidade e generosidade de Sartre eram lendárias. Engraçado, brincalhão, criativo e brilhante imitador, fazia as pessoas chorarem de rir. Adorava ajudar e encorajar os outros, e gostava de dar presentes. Mas apesar de seu calor humano e de seu espírito gregário, possuía uma auto-suficiência desconcertante.

Gostava de gente em volta, do burburinho das vozes ao fundo. Precisava ter uma mulher apaixonada por ele, e também gostava de se sentir indispensável a essa mulher. Mas, desde que se sentisse amado, era mais feliz sozinho com sua caneta, papéis e livros.

Os amigos regularmente o acusavam de indiferença. Suas namoradas, a princípio, se deleitavam com suas atenções, depois reclamavam que não lhes dava o suficiente de seu precioso tempo. Ficavam possessivas e ciumentas, e Sartre resmungava que eram exigentes demais"


Jean-Paul Sartre

"Como indivíduos, somos livres, e agimos de 'má-fé' quando tentamos evitar nossa liberdade. A liberdade traz consigo a angústia da escolha. Vem com o fardo da responsabilidade"

"Sartre não gostava de cíume. Achava importante que as pessoas controlassem suas paixões sem se deixar dominar por elas. Do contrário estavam negando sua liberdade, sendo reativas e não ativas" (Beauvoir)

"A tristeza anda de mãos dadas com a preguiça [...] Se, em sua noite melancólica, você fosse serrar lenha, sua tristeza desaparecia em 5 minutos. Vá serrar, mentalmente, claro. Empertigue-se, pare de representar, ocupe-se, escreva" (Sartre)

"Sartre acreditava firmemente que, com força de vontade, podia-se superar todos os desconfortos, emoções e obstáculos. Segundo ele, lágrimas e nervoso eram fraquezas"

"Nasci com uma personalidade combinando com a minha cara: boba e emotiva, covarde e auto-indulgente." (Sartre)

"Levava idéias muito a sério, mas não levava nem um pouco a sério sua posição de autoridade."

"Sartre estava ferozmente determinado a ser um homem livre; mantinha-se afastado de tudo que pudesse sobrecarregá-lo ou acorrentá-lo a um lugar. Nunca se casou; nunca adquiriu nenhum bem; não possui sequer uma cama, um quadro, um souvenir, um livro.

No entanto, o dinheiro dele sempre sai tão depressa quanto entra [...] uma característica que impressiona todos os seus amigos é sua imensa generosidade. Ele dá sem fazer conta, seu tempo, seu dinheiro e a si mesmo; está sempre pronto para se interessar pelos outros, mas não deseja nada em troca; não precisa de ninguém"

"Em dez dias você estará lá, tocarei em você. Falarei com você - estou extasiada. Sabe, mais do que Libertação [...] você é sempre minha experiência mais espantosa na vida, e a mais forte e a mais profunda e a mais verdadeira" (Beauvoir para Sartre)

"Nunca foi muito fácil para mim viver, embora eu seja sempre bem feliz - talvez por querer muito ser feliz. Gosto muito de viver e odeio a idéia de morrer um dia. E aí sou gulosíssima, quero tudo da vida, quero ser mulher e homem, ter muitos amigos e ter solidão, trabalhar muito e escrever bons livros, viajar e me divertir, ser egoísta e altruísta [...] Está vendo, é difícil ter tudo o que eu quero." (Beauvoir)


Simone de Beauvoir

"Cada vez mais, ele achava que escrever era uma busca fútil e complacente num mundo em que havia crianças morrendo de fome e injustiça em toda parte [...] Já não ligava para belas frases. Estava convencido de que a política era importante, a literatura, não"

"Ela e Sartre acreditavam firmemente que era responsabilidade dos intelectuais dizer a verdade, e isso significava permanecer independentes"

"Ele era um foguete, com uma vida e inteligência fascinantes [...] Fazia as idéias parecerem fáceis. Nunca era abstrato" (Lanzmann sobre Sartre)

"Ela abriu seus horizontes de forma espetacular. Tinha 44 anos e estava na flor da idade, era cheia de vitalidade. Com ela, descobriu o prazer de viajar, partir num carro com mapas e guias, e explorar novos lugares. Ficava impressionado com sua alegria de viver. Nunca vira ninguém trabalhar tanto quanto ela, nem conhecera alguém com tamanha capacidade de ser feliz.

Quando dizia que faria algo, ela fazia. 'Era a pessoa mais confiável que se possa imaginar [...] Você podia lhe contar tudo [...] ela quase nunca fazia julgamentos morais [...] Sua primeira reação era forçar-se a compreender, e colocar-se na pele do outro'" (Lanzmann sobre influência de Beauvoir)

Chicago, 1952. Beauvoir estava 44 anos. O fotógrafo Art Shay colocou a câmera na porta entreaberta e bateu a foto hahaha mandou bem!

Ela era linda demais, tinha olhos azuis, cabelos lisos escuros. Tinha paixão pela vida, inteligência e sensibilidade fascinantes, e adorava sexo.

Sartre feio daquele jeito, baixinho, vesgo, barrigudo! Além de ajudá-lo com os trabalhos, ainda ajudava ele a ter amantes hahahaha O Sartre era muito sortudo!! :-P rs



"A única forma de aprender é questionando o que se ensina [...] O homem não é nada se não for um contestador." (Sartre)

"O intelectual devia ouvir as massas e trabalhar com elas, ao invés de conduzí-las"

"Ela o admirava como escritor e como homem, dizia na carta. Ele escrevera os melhores livros de sua geraçã; defendera os fracos e oprimidos; era a alma da generosidade. 'Fazendo e oferecendo amor, um sedutor sempre pronto para ser seduzido, você ultrapassou todos os seus amigos com sua vitalidade, inteligência e brilho" (Françoise Sagan para Sartre)

"Uma coisa não mudou e não pode mudar: não importa o que aconteça e o que eu venha a ser; virei a ser o que eu for com você" (Sartre para Beauvoir)

Lápide no Cemitério de Montparnasse em Paris

Biografia de Sartre
Biografia de Beauvoir

Frases de Sartre sobre Existencialismo



"O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós."

"Somos separados das coisas por nada, apenas por nossa liberdade; é ela que faz que haja coisas com toda sua indiferença, sua imprevisibilidade e sua adversidade, e que nós sejamos inelutavelmente separados delas."

"A vergonha é vergonha de si, ela é reconhecimento de que eu realmente sou esse objeto que o outro olha e julga. Só posso Ter vergonha de minha liberdade enquanto ela me escapa para tornar-se objeto dado. "

"Quanto aos homens, não é o que eles são que me interessa, mas o que eles podem se tornar."

"E são estas duas idéias - difíceis, reconheço: o homem é livre - o homem é o ser pelo qual o homem se torna objeto - que definem o nosso estatuto presente e permitem compreender a opressão."

"Nossa liberdade hoje não é nada mais que a livre escolha de lutar para nos tornarmos livres. E o aspecto paradoxal desta fórmula exprime simplesmente o paradoxo de nossa condição histórica. Não se trata de enjaular meus contemporâneos: eles já estão na jaula."

"O homem não é de modo nenhum a soma do que tem, mas a totalidade do que não tem ainda, do que poderia ter."

"Será que, no fundo, o que amedronta na doutrina que tentarei expor não é fato de que ela deixa uma possibilidade de escolha para o homem?"

"O homem nada mais é do que aquilo que ele faz de si mesmo: é esse o primeiro princípio do existencialismo."

"O existencialista declara freqüentemente que o homem é angústia. Tal afirmação significa o seguinte: o homem que se engaja e que se dá conta de que ele não é apenas aquele que escolheu ser, mas também um legislador que escolhe simultaneamente a si mesmo e a humanidade inteira, não consegue escapar ao sentimento de sua total e profunda responsabilidade."

"O homem está condenado a ser livre."

"Primeiro, tenho que me engajar; em seguida, agir segundo a velha fórmula: “não é preciso ter esperança para empreender”. Isso não quer dizer que eu não deva pertencer a um partido, mas que não deverei ter ilusões e que farei o melhor que puder."

"O que o existencialista afirma é que o covarde se faz covarde, que o herói se faz herói; existe sempre, para o covarde, uma possibilidade de não mais ser covarde, e, para o herói, de deixar de o ser. O que conta é o engajamento total, e não é com um caso particular, uma ação particular, que alguém se engaja totalmente."

"A escolha é possível, em certo sentido, porém o que não é possível é não escolher. Eu posso sempre escolher, mas devo estar ciente de que, se não escolher, assim mesmo estarei escolhendo."

"O homem é apenas seu projeto, só existe na medida em que se realiza, ele é tão-somente o conjunto de seus atos."

"Todo homem se refugia na desculpa de suas paixões, todo homem que inventa um determinismo é um homem de má fé."

"Sou responsável por mim mesmo e por todos"

"Cada vez que o homem escolhe seu compromisso e seu projeto com toda sinceridade e com toda lucidez, torna-se-lhe impossível preferir um outro"

"Uma coisa não mudou e não pode mudar: não importa o que aconteça e o que eu venha a ser; virei a ser o que eu for com você"
(Sartre para Beauvoir)

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

26.7.10

Enganando o Relógio - Seth Godin

Post Original: Seth's Blog: Cheating the clock



Um jeito de fazer um trabalho indispensável é se dedicar mais horas do que qualquer outro. Muitas horas de mão na massa e esforço inflamado é raro, e é possível alcançar algum sucesso.

Mas se você está vencendo trapaceando o relógio, você ainda assim está trapaceando.

O problema de usar tempo para chegar ao sucesso é que não escala bem. 20 horas por dia de trabalho não é o dobro melhor do que 10, e certamente você não poderá ir além de 24h.

O que aconteceria se você se proíbisse de trabalhar mais do que 5 horas por dia. O que você faria? Como usaria essas 5 horas para se tornar indispensável de um jeito diferente?

Vá em frente, experimente. Veja o que acontece. Mesmo se você voltar a trabalhar 10h por dia, você irá descobrir que mudou o seu jeito de competir.

2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

24.7.10

Indo para os Boulders de Ubatuba \o/


Eu amo calor, sol, verão, praia, sorvete... e escalar!!! Tava com saudade de tudo isso! A Teh agitou essa viagem em cima da hora.. e vixe, só quero saber de aproveitar! =D

A praia é a de Fortaleza, vários boulders para escalar... já fiz várias viagens bacanas para lá. A vez que eu mais gostei, por incrível que pareça, foi um bate-e-volta no mesmo dia, atrasamos absurdo, tava frio, teve manifestação na pista, choveu e na fé total não voltamos para trás e conseguimos escalar umas 2h ainda! hahaha Fora as risadas no carro:


http://www.youtube.com/watch?v=6ngT0JVWsOw

Tem a primeira que vez que fui lá:


http://www.youtube.com/watch?v=gixuv-Ofqzs

E um outro vídeozinho, eu escalando uma pedrinha lá:


http://www.youtube.com/watch?v=Jl7T7WIO4ck

O meu final de semana vai ser ótimo e desejo que vocês também tenham um ÓTIMO final de semana!! Aproveitem!!!

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

23.7.10

Não Há Tempo para Viver em Vão

"Sintonize sua vibração
Não há tempo pra viver em vão
E não pense mais em desistir
Existe um mundo
que só quer te ver sorrir"


(Natiruts Reggae Power)


McWay Falls - Big Sur, California, EUA

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

22.7.10

Cidade das Artes e das Ciências

A Cidade das Artes e das Ciências (em valenciano: Ciutat de les Arts i les Ciències, em espanhol: Ciudad de las Artes y las Ciencias) é um complexo arquitetônico, cultural e de entretenimento da cidade de Valência, na Espanha.

O projeto foi feito por Santiago Calatrava com a colaboração de Félix Candela.

Um dia vou conhecer este lugar!! =)











Veja mais da Cidade das Artes e das Ciências:

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

21.7.10

KÀ - Cirque Du Soleil

vi essa imagem no excelente blog do Zé Carlos

Eu sou FANZAÇO do Cirque Du Soleil! Já alguns espetáculos em DVD e quando apresentaram o Saltibamcos em São Paulo nossa me matei para pegar o ingresso! Fora que foi mais de duzentão, nunca paguei nem perto disso num show.

Para não dar zica eu madruguei na fila, mesmo assim fiquei em segundo. Quando abriram a porta do shopping, todo mundo foi indo em fila bonitinho até a loja. De repente a fila começou a deformar, o pessoal foi apertando o passo, até que um FDP lá de trás saiu correndo ai todo mundo desembestou!!

Eu corri com tudo e cheguei em primeirão na loja... a mulher disse "não é aqui que vende é do outro lado!". Vi um mar de cadeiras na minha frente e lá longe a área dos ingressos. Não tive dúvidas: saí pulando por cima das cadeiras (eu e mais uns 5 atrás de mim), a mulher gritando "pára, calma gente!! calma gente!!!"... e cheguei em segundo na fila!!! hahahah

O primeiro comprou VIP, então eu pude escolher à vontade o lugar da área normal, peguei o lugar que eu sonhava. Primeira fila, 45º em relação ao palco. PERFEITO! Comprei para os meus amigos também. Quando contei para eles o sacrifício para conseguir os ingressos eles choraram de rir hahahah :-P

No dia do espetáculo fomos para São Paulo, começou, uma das artistas que mexe com o público me escolheu para participar ali do meu lugar e tal... e por fim, não gostei!

É sei lá, ao vivo assim, não curti. Parece um circo bacaninha, não valeu a grana suada de estagiário que foi pro saco com o ingresso+viagem para SP. Mas também esse espetáculo que veio para o Brasil era mais meia-boca mesmo.

O que eu mais queria ver é esse KÀ. Tem o dos Beatles "LOVE" e o Viva ELVIS que devem ser fenomenais, preciso descolar os DVDs. Ah e eles estão preparando um sobre o Michael Jackson também! :)




Sobre o KÀ

Conta a história heróica de uma irmã e um irmão gêmeos, que se lançam numa aventura perigosa para realizar o seu destino comum.

Assista a alguns dos feitos mais inovadores de todos os tempos que desafiam a gravidade nesta aventura dos gêmeos para enfrentar os perigos que os aguardam a cada momento.

Adversários combatem, com seus rodopios no ar, numa apresentação cativante de acrobacias perpendiculares e aventuras aéreas.

Viva o amor e o conflito através de paisagens teatrais dinâmicas num ambiente em constante mudança que evoca a presença de um império inteiro no palco.

Somente no Hotel MGM Grand em Las Vegas.


Links

Vídeos

YouTube - Cirque du Soleil - Ka FULL PROMO from www.cirquedusoleil.com




YouTube - KÀ by Cirque du Soleil - Trailer




3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

20.7.10

Resumo do Livro "Como as Gigantes Caem" - Jim Collins

"A marca das empresas realmente excelentes, não é ausência de dificuldades. É a habilidade de retornar dos infortúnios, mesmo das piores catástrofes, mais forte do que antes.

Grande nações, empresas, instituiçoes, indivíduos... podem declinar e se recuperar. Desde que você não acabe totalmente nocauteado para fora do ringue, ainda há esperança.

Nunca entregue os pontos. Seja firme em matar idéias de negócios que fracassaram, até mesmo grandes operações em que trabalhou por longo tempo, mas nunca desista de construir uma empresa excelente.

Sucesso nada mais é do que fracassar, e se levantar mais uma vez, infinitamente."

(Jim Collins)




Faz um tempão que estava esperando o livro do Jim Collins "How The Mighty Fall - and why some companies never give in". O resumo do outro livro dele, o Good to Great foi um dos que mais me empenhei em fazer e o livro está entre os que mais gosto.

Veja também:

Assim como nos livros anteriores, Jim Collins e sua equipe fizeram uma extensa pesquisa com décadas de dados das empresas mais famosas, identificando pontos em comum. O que diferencia esse livro novo é que ao invés de analisar os sucessos, avalia os fracassos e tenta responder:

Quais as causas mais comuns para o declínio? É possível reconhecê-las com antecedência? Como e até quando é possível revertê-las?

Eu li livro na livraria mesmo, e seguindo a linha dos livros anteriores, os princípios são poucos e o que dá corpo são os vários estudos de caso, que são muito interessantes. Devido às poucas idéias-chaves e preço, não comprei o livro e fiz este post baseado em resumos que vi na internet.

Só para constar, para quem não conhece o Jim Collins, o cara é empresário de tecnologia, pesquisador, consultor, professor de administração em Stanford, palestrante, escritor... e escalador! E é casado com Joanne Ernst, também pesquisadora, triatleta, vencedora do Ironman! Muito FERA! :D


Jim Collins

Melhores Trechos / Resumo:

Organizações líderes em suas áreas podem despencar da excelência para a irrelevância. Todas as instituições são vulneráveis, não importa o tamanho. Não há uma lei na natureza garantindo que os mais poderosos inevitavelmente continuarão no topo. Todos podem cair, e a maioria cai.

Os estágios do declínio podem ser detectados cedo, e pode ser revertido (como aconteceu com IBM, HP, Merck, Nuvor).

Os estágios 1 e 2 correspondem às raízes do declínio. Os estágio 3, 4 e 5 correspondem à resposta equivocada dos administradores.

Até o estágio 4, o declínio não é nitidamente visível. No estágio 3, a empresa pode aparentar estar ótima, com os pés bem na beirada do precipício.

O declínio das organizações é na maioria auto-infligido, e revertido com controle próprio. Enquanto não cair no estágio 5, a recuperação é possível.

Estágios do Declínio

1) Excesso de Confiança Originado pelo Sucesso

Sucesso passado não é garantia de um futuro brilhante. Acreditar que é bem-sucedido porque se acha tão esperto/tão inovador/tão incrível pode causar grandes prejuízos. Muito do sucesso atribuído à administradores, posteriormente mostrava-se mais fruto de sorte do que de habilidade.

Administradores que inovaram continuamente o modelo de negócio de suas empresas superam aqueles que ficam apenas tornando velhos modelos de negócio mais eficientes e eficazes.

Continue inovando e melhorando. Não atribua o sucesso a você, lembre-se que a sorte uma hora vai embora. É melhor se preparar.

Ex. Motorola. Continuou apostando no sucesso do StarTac frente à celulares mais avançados.

2) Busca Indisciplinada pelo Crescimento

Empresas bem-sucedidas são propensas a começar muitas coisas e a correr para direções estranhas, porque o CEO se sente inseguro comparando-se com seu predecessor ou competidor.

Quando a organização cresce mais rápido do que sua habilidade de preencher os lugares com as pessoas certas, está cavando a própria cova.

Incursões descontinuadas em áreas que não se tem paixão, tomar ações inconsistentes com seus princípios, investir pesado em segmentos que não se pode ser um dos melhores, viciar em tamanho, ir além dos recursos financeiros, neglicenciar seu negócio principal, usar a organização para elevar seu sucesso pessoal (riqueza, fama poder)... são exemplos de crescimento indisciplinado.

Ex. Varejista Ames para competir com a Wal-Mart decidiu que dobraria de tamanho em apenas 12 meses. Para isso fez uma aquisição gigantesca e desastrosa.

3) Negação do Risco

Negligenciam os resultados não-tão-bons e atribuem a diversos fatores, sugerindo que as dificuldades são temporárias, ciclícas ou não perigosas. Atribuem as causas dos problemas ao mercado, concorrência, azar... ao invés de procurar entender o que está acontecendo.

Ex. Quando o negócio de mainframes da IBM começou a declinar, um dos diretores fez um relatório apontando os perigos, mas não foi levado a sério.

4) Corrida pela Salvação

O declínio já é visível e a pergunta é, como a liderança irá responder? Geralmente, procuram uma solução mágica para sair da crise: líderes visionários, estratégias ousadas não testadas, transformações radicais, esperança em um produto arrasador, uma aquisição decisiva, entre outras. Os resultados iniciais podem ser positivos, mas não duram muito.

Líderes em empresas neste estágio devem se voltar para a calma, clareza e abordagem focada. Seja rigoroso com o que não fazer.

Ex. Carly Fiorina, carismática, tomou decisões arriscadas como CEO da HP e comprou a concorrente Compaq. A fusão não deu resultado e foi demitida.

5) Irrelevância ou Morte

O vigor financeiro já acabou, as melhores pessoas já partiram para outra. Só resta ser adquirida, fechar as portas ou continuar na insignificância..

Ex. Scott Paper comprada pela Kimberly-Clark

Xerox. HP. Nucor. IBM. Merck. Texas Instruments. Disney. Boeing.

O que essas empresas tem em comum? Tiveram uma queda tremenda e se recuperaram. Em cada caso, os líderes não desistiram da idéia de sair da sobrevivência e alcançar o triunfo, apesar das dificuldades.


4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

16.7.10

Filme "The Edukators" (Die Fetten Jahren Sind Vorbei)


Sinopse

Jan e Peter são amigos e fundaram o movimento "The Edukators", que protesta contra a concentração de renda. Os dois invadem casas da alta sociedade, bagunçam móveis, mas nunca roubam nem machucam ninguém. O objetivo é dar uma lição nos ricos.

Jule, a namorada de Peter, tem problemas financeiros por causa de um acidente em que bateu em uma mercedez, e desde então, é obrigada a pagar uma indenização mensal a Hardenberg, um bem sucedido homem de negócios.

Enquanto Peter está viajando, Jan e Jule planejam uma ação na casa de Hardenberg. Eles começam a se envolver e a história segue um rumo inesperado.

-----------------------------------------------------

Este filme é bacaninha. Eu estava escrevendo aqui e buscando as imagens no google, quando caí num post do André Nunes Batista sobre o filme, e é um dos melhores que já li.

Nem vou escrever mais nada, recomendo ler o post dele! :)

Clique para ver:
[resistência] « tagesuhu

Melhores Trechos do post:

"O filme tenta chamar a atenção do espectador para a angústia dos jovens da atualidade, que vivem em um mundo onde a revolução já foi intentada de diversas formas e falhou em todas, um mundo onde o capitalismo prevaleceu e parece não haver mais espaço para qualquer idealismo, um mundo onde a juventude não encontra vazão para as suas angústias e, além do mais, parece estar cercada por ceticismo e conformismo.

Sendo eu mesmo um jovem, senti-me particularmente afetado pelo sentimento que o filme busca passar. Em nossa sociedade parece não haver de fato qualquer espaço para mudança outra que não seja a mudança conforme as regras do sistema.

O idealismo e a utopia são vistos pelos próprios jovens como demonstrações de imaturidade. O questionamento ao sistema tem ares de anacronismo. O pensamento crítico parece ter sido incorporado pelo sistema vigente como um modo de dar vazão à energia que, se melhor focada, poderia de fato abalar as bases de nossa sociedade."

"As pessoas que não estão no grupo de elite não sonham com uma outra sociedade, elas sonham em fazer parte da elite."

"A todo tempo funcionam ao nosso redor mecanismos que buscam captar nossa atenção para evitar que empenhemos nosso tempo e energia de forma livre. No filme, Jan alude a esta idéia falando da TV.

De fato a tv tem um poder de anulação impressionante, mas eu acho que ele é enfraquecido por ser muito evidente. Menos evidente parece-me o poder de enfraquecimento que tem nosso sistema educacional, o modo como nos acostumamos a obter o conhecimento, dentre muitas outras coisas. Aprendemos que a instrução é item basilar para a inserção social."

"Não existe espaço para a iniciativa individual. As pessoas conformaram-se com a postura passiva e orgulham-se de conquistas passivas. O ideal de muitos tornou-se conquista um título, seja ele acadêmico,profissional, mobiliário ou imobiliário. Todos emblemas de conquistas passivas e prêmios dados, não construídos.

Nesse sentido é emblemático o conceito de pró-ativo trazido diretamente do mundo do business. Num primeiro momento, parece que o sujeito pró-ativo seria o oposto do sujeito passivo.

A verdade é exatamente o inverso. O sujeito pró-ativo é justamente o ideal da passividade. O pró-ativo nada mais é do que aquele que busca por si mesmo fazer o que se espera que ele faça. Toma a iniciativa em cumprir bem um papel pré-moldado."

"Particularmente, não acredito em revolução que não seja a individual."

"Muito pelo contrário, creio que a saída encontre-se na resistência individual, na conjunção de esforços individuais. Se queremos mudança, e lembre-se, somos poucos, devemos construí-la. Para construí-la, o primeiro passo é rejeitarmos os modelos.

Não se pode construir nada verdadeiramente novo a partir de premissas velhas. Assim, o começo, para mim, encontra-se na busca individual por libertação e o cerne da libertação encontra-se no conhecimento e na maneira como o recebemos, o trabalhamos e o repassamos.

Os hackers chamariam a isto de tinker, os samurais chamariam de budo (ou caminho do samurai), C. G. Jung chamaria de individuação e a sociedade em geral chamaria de autodidata, todos conceitos irmãos para a idéia latente de busca individual de superação e aprimoramento."

"É difícil e angustiante tentar acreditar em mudança em nossos dias, mas acho que não existe nada mais mórbido do que o simples conformismo.

Trailer



http://www.youtube.com/watch?v=MB1UMfC8koc


Melhores Trechos do Filme

"O que antes era subversivo, hoje se compra em lojas. Camisetas do Che Guevara, adesivos anarquistas. Por isso, acabaram os movimentos juvenis. Acham que tudo já foi feito. Outros tentaram e falharam. Por que daria certo conosco?"

"- Quantas pessoas lá embaixo estão pensando em revolução?
- Neste momento, não muitas.
- Às 22:45, estão vendo TV. Provavelmente. Os europeus passam quatro horas por dia diante da TV. Quatro horas!
- Um horror!
- Não sobra tempo para idéias revolucionárias."

"- Quantas horas por dia você trabalha?
- 13, 14 horas, tranqüilamente.
- O que faz com tanto dinheiro? Você acumula coisas. Coisas grandes e caras. Carrões, mansões, um iate. Um monte de coisas pra dizer: ''Sou um macho alfa''. Não vejo outra razão. Nem tem tempo pra curtir o seu iate. Então, por que sempre quer mais?
- Vivemos numa democracia. Não devo explicações sobre meus bens. Paguei por eles.
- Errado. Vivemos numa ditadura do capital [...]
- Posso bancar mais coisas porque trabalho mais. Tive as idéias certas na hora certa [...]
-Papo furado.
-Todos têm chances iguais [...]
- No sudeste da Ásia, muitos trabalham atê 14 horas por dia... e não têm mansões. Ganham 3O euros por mês. Também tem boas idéas... mas não conseguem pagar um ônibus à cidade vizinha.
- Desculpe por eu não ter nascido na Ásia.
- Mas ainda assim pode tornar suportável a vida lá. O Primeiro Mundo devia perdoar a dívida do Terceiro Mundo [...] Vocês os querem pobres! Para poder controlá-los... forçá-los a vender seus produtos a preços ridículos."

"- É a regra básica do sistema: exaurir todos até o limite... ...para que não possam reagir.
-Não é verdade. Claro, precisamos melhorar as coisas. Proteção ambiental, aumentar os preços do produtor... ...mas o sistema não vai mudar.
-Por que não? [...]
- É da natureza humana querer ser melhor que os demais. Todo grupo logo elege um líder. E a maioria só fica feliz quando compra algo novo.
- "Feliz"? Acha que as pessoas são felizes, Hardenberg? Abra os olhos. Saia do seu carro... ande pelas ruas!

Elas parecem felizes ou parecem animais assustados? Veja suas salas de estar. Todas grudadas na TV... ouvindo zumbis chiques falarem sobre uma felicidade perdida.

Dirija pela cidade. Verá a imundice, a superpopulação... pessoas feitos robôs nas escadas rolantes das lojas. Ninguêm conhece ninguém. Acham que a felicidade está ao alcance... mas ela é inalcançável [...]

Mas tenho uma notícia pra você, executivo: a máquina superaqueceu. Somos só os precursores. Sua época está para acabar.

Enquanto você surfa na tecnologia, outros sentem ódio. Como as crianças das favelas vendo filmes de ação americanos. É só o começo.

Haverá mais. Mais casos de insanidade... serial killers, almas destruídas, violência gratuita.

Não pode sedar todo mundo
com game shows e shoppings... e os antidepressivos não irão funcionar para sempre.

O povo está cansado da merda do seu sistema.

- [...] Eu jogo o jogo, mas não fiz as regras.
- Não importa quem inventou a arma, e sim quem puxa o gatilho."

"- Não concordo com o que estão fazendo, mas os seus argumentos... me lembram minha juventude [...] Eu era diferente pacas. Cabelão comprido... jaqueta surrada, uma boca-de-sino... a infame boina, o próprio revolucionário [...]
- Como alguém com o seu passado vive como você? Você teve ideais.
- Meu pai dizia: ''Menos de 3O, sem ser de esquerda: desalmado. Mais de 3O e ainda de esquerda: burro'' [...] Acontece devagar, aos poucos. A gente nem nota. Um dia, vendemos o carro velho. Queremos um mais confiável, com ar-condicionado e seguro. Você se casa, constitui família, compra uma casa. Educar os filhos custa caro. Segurança. Você faz dívidas, trabalha para pagá-las e age como os demais. Até que numa eleição, pra sua surpresa... seu voto é conservador."

"- Achei que dinheiro traria liberdade. Pelo contrário. Há o peso da responsabilidade.Às vezes, me sinto numa prisão.
- Pare de reclamar. Três milhões por ano não compensam?
- Não sei o que fazer com o meu dinheiro.
- Dê pra quem precisa. Com o seu salário anual... você evita que 1.OOO pessoas morram de fome.
- Soa piegas, mas é verdade. Eu podia fazer isso, mas apenas uma vez.
- Então faça!
- Sinceramente, Peter, já pensei em desistir de tudo. Vender tudo, ir pro interior... viver modestamente com a minha mulher, nós dois lecionando... como quando éramos estudantes. Pobres, mas felizes. Éramos apaixonados."

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

The 100 Best Business Books Of All Time

Para quem está procurando umas dicas de leitura sobre negócios, administração e desenvolvimento pessoal:


Eu sou viciado em ler. Não assisto televisão e assim leio 2 ou mais livros por mês e faço resumo da maioria. Quase todos são sobre administração. Só dessa lista acima li uns 15, e sei as idéias principais de outros da lista. Achei que vários livros ótimos ficaram de fora.

E ler bastante, me fez perceber uma coisa: ler é importante, mas não tão importante. O mais importante é saber APLICAR o conhecimento.

Decorar todas as fórmulas ajuda, mas não garante um 10 na prova de matemática. Falta saber como utilizá-las.

Sabendo as fórmulas básicas, uma pessoa treinada já consegue resolver problemas matemáticos bem complicados.

Na adminstração é a mesma coisa. Há um abismo entre teória e prática. O ideal é combinar os 2.

"Na teoria, não há diferença entre teoria e prática. Mas na prática, tem."

(Jan L. A. van de Snepscheut)

A pior situação é ficar SÓ lendo. Além de gastar muito tempo e dinheiro, enche a cabeça de idéias pré-concebidas e fórmulas prontas que tendenciam o raciocínio. Você fica "achando" que sabe, mas não sabe. Aí lasca!

Conheço pessoas que não lêem 1 livro de administração, e são ótimos administradores.

"O problema de quem estuda demais é achar que é inteligente"

Por outro lado, ficar também só aprendendo pelas próprias ações, é perder a oportunidade de aprender com as ações de milhares de outras pessoas inteligentes e ficar alheio as novas tendências.

Algumas idéias que vi em livros mudaram o rumo da minha vida, para melhor. E já deram o insight na hora H, que quem não leu, perdeu.

Portanto, não ocupe todo o tempo com leituras. Use metade do tempo ou mais experimentando em algum negócio, começando algum projeto, fazendo trabalho voluntário, ou em iniciativas dentro do seu próprio emprego.

Mas não deixe de ler também, combine ação e pensamento:

"Pense como um homem de ação, aja como um homem de reflexão."

(Henri Bergson)

Uma dica para quem gosta de ler:

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

14.7.10

Como está a sua Teia? - Li Yutang

"A diferença entre o bicho-da-seda e a aranha é a que a primeira tece sua teia para ficar presa, a segunda tece sua teia para ficar livre"

(Li Yutang)

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

12.7.10

Por uma Vida Não-Otimizada - Seth Godin

O blog do Seth Godin é o meu favorito. Se eu tivesse mais tempo, abriria um blog só para traduzir os posts dele.


Post original: The non-optimized life

Se você pode medir algo, você pode melhorá-lo. Computadores tornaram fácil otimizar cada área da sua vida.

Óbvio, você pode otimizar um site ou um blog para obter mais tráfego.
Você pode otimizar propagandas para alcançar mais resultados.
Você pode otimizar seu estlo de apresentação para fechar mais vendas ou mudar mais mentes.
Você pode otimizar seus exercícios físicos para ficar mais ágil e forte.
Você pode otimizar sua dieta para perder peso e ganhar músculos.
Você pode otimizar o seu sono para descansar mais em menos tempo.
Dizem até que dá para otimizar sua vida sexual...

E então, de repente você percebe que gasta sua melhor energia apenas com otimização, não com criação.

É uma boa linha para se seguir, porque você pode otimizar seu tempo de criação também! Você pode desenvolver hábitos para ampliar os seus melhores pensamentos e realizá-los, e talvez entregar trabalhos que fazem a diferença. Eu entendo isso.

Mas me preocupo com o ciclo sem fim de otimização, que vira uma muleta, um lugar para se esconder quando você deveria estar confrontando o desconhecido infinito, e não o degrau banal da otimização incremental.

Enquanto o Yahoo ficava otimizando a sua home page em 2001, os caras do Google inventaram algo totalmente novo.

Essa é uma razão para eu resistir à tentação de otimizar esse blog para tráfego e ganhos. Eu prefiro forçar a mim mesmo a melhorá-lo escrevendo posts cada vez melhores.

Caramba, aplausos para este post dele! Eu fico tentando otimizar TUDO, uma muleta para não encarar o infinito desconhecido com certeza! Tenho muito o que mudar na minha vida, urgente. =)

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

8.7.10

O Ato Mais Revolucionário Hoje - Dr. Patch Adams

"O ato mais revolucionário que você pode cometer na nossa sociedade hoje é ser feliz"

(Dr. Patch Adams)


3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

7.7.10

Filme "Quando Nietzsche Chorou" (When Nietzsche Wept, 2007)

Eu não tava com tempo para ler o livro e resolvi assistir ao filme.

MUITO BOM! Fiquei mais afim de ler o livro ainda! =)


Sinopse

Baseado no best-seller Irvin Yalom, conta o encontro fictício (mas personagens e alguns fatos reais) entre o filósofo Nietzsche e o médico Josef Breuer, professor de Sigmund Freud.

Nietzsche é ainda um filósofo desconhecido e com tendência suicidas. Breuer passa por uma má fase após ter se envolvido com uma paciente, Bertha , com quem cria uma obsessão sexual e fica atormentado.

Breuer é procurado por Lou Salome, amiga de Nietzsche, com quem teve um relacionamento atribulado. Ela está empenhada em curá-lo de seu desespero, assim pede ao médico que o trate com sua controversa técnica da “terapia através da fala”.

O tratamento vira uma verdadeira aula de psicanálise, onde os dois terão que mergulhar em si próprios, num difícil processo de auto-conhecimento. Eles então descobrem o poder da amizade e do amor.


------------------------------------------------

Fiquei extasiado com esse filme. Mostrando um pouco da vida de pessoas que admiro muito como Nietzsche e Freud, numa época de grandes descobertas intelectuais, discutindo sobre temas importantes como o tempo, amor, amizade.

Recomendo para quem está surtando com a passagem do tempo ou amores não-correspondidos, que levam pessoas inteligentes a cometerem verdadeiros desastres em suas vidas. Considero fundamental (e reconheço ser bem difícil) amadurecer em relação a isso.

Um ponto mais intrigante do que o filme em si, foi conhecer a biografia da Lou Salomé. Ela era uma poetisa russa e circulava entre os maiores intelectuais da época. Muitos se apaixonaram pelo seu jeito masculinizado, analítico, sua distância emocional e olhos azuis, que a diferenciavam das outras mulheres.

Teve vários affairs e relacionamentos abertos. Alguns dos seus adoradores se divorciaram, se suicidaram, enlouqueceram ou jamais esqueceram dela.


atriz Katheryn Winnick representando a Lou Andreas-Salomé

Fora Nietzsche, outras mentes brilhantes a amaram: Gillet, Rilke, Reé. Wagner e Freud também balançaram por ela.

Nietzsche e Reé eram melhores amigos e juntos se apaixonaram por Salomé. Ela foi o grande amor da vida de ambos e a amizade deles se desfez. Nietzsche se desentendeu também com Wagner e com a própria família.

A irmã de Nietzsche culpava a Salomé pela depressão do irmão, considerava-a uma bruxa maligna e promoveu uma campanha na imprensa contra ela, mesmo após a morte dele.

Eu fico PERPLEXO, quanta babação de ovo! Como homens tão fortes, lúcidos, centrados... perderam o controle assim? Já gostei muito de algumas meninas, mas o pior que aconteceu foi perder meu entusiasmo, ficar meio jururu um tempinho, e beleza uai.

Realmente, o amor tem seus mistérios... "nem Freud explica"! :-P



Lou Salomé, Paul Reé e Friedrich Nietzsche (1882)
Ela com chicote na mão e eles em posição de levar a carroça. Engraçado rs.

Trailer


http://www.youtube.com/watch?v=qGTGOpjcwsk


Melhores Trechos do Filme:


- Meu amigo está se preparando para se suicidar. Sua morte traria graves conseqüências para mim, para o senhor, o mundo todo.
- Quem é esse seu amigo?
- O filósofo Friedrich Nietzsche.
- Nietzsche? Devo saber quem é? - Ainda não, mas na hora certa todos saberão quem ele é.

Tenho um novo paciente. Ainda não o conheço. Tendências suicidas. Como sempre, começa com uma mulher.

Tenho fases negras, mas quem não os tem? Elas não me dominam.

Tento dizer em 10 frases o que outros dizem no livro inteiro.

- Deixei de lecionar. Não tenho casa para cuidar nem esposa com a qual discutir... nem filhos para educar. Não tenho obrigações para com ninguém. Não sofro de estresse. - Isolamento extremo... é o próprio estresse.

- Sabe, parte de mim tem esperança que ao ajudar... esta bizarra criatura a superar a dor... eu possa superar a minha própria.
- Superar sua dor? Todos os médicos de Viena o invejam. - Sentimos coisas aos 40... que não podemos saber aos 25.

Quero lhe fazer uma proposta, Professor. Talvez jamais feita antes por um médico a seu paciente. Proponho uma troca profissional. Por um mês... tratarei seu corpo... se você tratar minha mente.

- Minha mente está invadida por pensamentos hostis. Perdi noção de por que estou vivo. Tenho horror à morte, mas... com freqüência penso em dar fim à vida.
- Não posso ajudá-lo nisso. Não tenho treinamento para tal. - E quem tem? Tal cura não faz parte das disciplinas médicas.
- O que sei eu disto?
- Sabe mais do que qualquer homem vivo. Seus livros não são verdadeiros tratados sobre o desespero?
- Não posso curar desespero. Só sei como suportá-lo.
- Então me ensine como suportar uma vida de desespero. Você escreve que sua missão é salvar a humanidade... da ilusão e da falta de sentido... para criar um novo código de comportamento... uma nova moral, livre de crendice. Está tudo aí nos seus livros.

Sinto-me... totalmente distante da minha esposa. Preso num mundo não escolhido por mim. Breuer é uma mistura curiosa. Inteligente, porém cego. Sincero, porém corrompido. - Não faço objeção a sexo. Detesto homens que imploram por isso... que se entregam a uma mulher ardilosa... que transformam a luxúria deles no poder delas.
- Luxúria faz parte da vida.
- Nada deve interferir no desenvolvimento do seu herói interior. Se a luxúria se interpõe, supere-a! Seja mais prático. Se optar pelo prazer do crescimento, prepare-se para sofrer. Quer menos dor? Vá. Seja parte da massa.

Sua querida e incapacitada Bertha... mexe as pernas... os lábios... os braços... e os seios. E a mente dele... que foi feita para as mais nobres idéias... agora fica repleta... de lixo.

Josef, eu li os livros dele. Ele conhece a humanidade mais a fundo que qualquer um. Acho que ele pode ser, talvez... o maior psicólogo de todos.

- Sou respeitado... e rico.
- Então atingiu suas metas. Está satisfeito?
- Atingi minhas metas, sim. Se estou satisfeito? Não.
- Como escolheu suas metas? Não, não pense... só "limpe pela chaminé".
- Metas são parte de minha cultura. Estão no ar. Você respira isso. Como todo garoto judeu, quis sair do gueto, ser bem-sucedido. Meu pai foi meu grande professor. Não, nunca escolhi metas. Elas eram como... um acidente. - Mesmo assim, não se apropriar de suas metas é exatamente isso. Deixar que sua vida seja um acidente.

Tive uma repentina e dolorosa compreensão do óbvio. O tempo é irreversível. As areias de minha vida estão se esgotando. Estou no mesmo passo... de todas as pessoas, marchando para a morte [...] Sou impotente e insignificante, sim. Não significa que a vida não tenha propósito. Não, conforme a morte se aproxima, aumenta o valor da vida. Você deve aprender a dizer sim, a cada minuto da vida. Seja impetuoso, um livre-pensador. Supere suas limitações.

- Suponho que, como todos os homens, sofra de paixão. Já experimentou a dor de amar?
- Sim. E?
- Eu devo saber.
- Lembre-se das palavras de Goethe. Seja homem. Não me siga... mas só a si mesmo. Ensinar filosofia e usá-la no mundo real... são duas tarefas bem diversas. Deseja algo que alivie? Então vá. Mame no seio da superstição. O que quer que faça, não recorra à razão.

- Que homem sensato amaria uma incapacitada?
- Pare. Bertha é inteligente, bonita, meiga.
- Meiga? Como assim? Ela tentou seduzi-lo a cometer adultério. Quase o destruiu.
- Você é duro demais com ela.
- Da próxima vez que a encontrar, não esqueça o chicote. Sim. Acho que amar uma mulher assim é odiar a vida.
- Bertha é uma boa mulher. Devo lembrá-lo que ela adoeceu com a morte do pai?
- E devo lembrá-lo que todos os pais morrem? Acho que acabou-se o tempo de desculpas.
- Preciso de sua ajuda. Ataque minha obsessão. Está acabando comigo!
- Quero que faça uma lista... de 10 insultos. E quero que diga para ela.
- Na cara dela?
- Sim [...] Livre-se da idéia serena que construiu. Veja Bertha como ela é toda manhã. Espasmos. As pernas e braços delas em espasmos. Vesga. Muda. Alucinando. Gaguejando. Veja-a como a criança que ela quer ser. Veja-a como um adulto que se senta na privada todo dia. Se estiver só e começar a pensar nela, grite... Vá embora, eu a odeio, bem alto. E belisque-se o mais forte que puder.

- Como seria sua vida... se Bertha não existisse?
- A vida sem Bertha... não teria cor. Tudo estaria decidido. Esta maleta médica, estas roupas pretas. Sou um cientista, embora a ciência não tenha cor. Preciso de paixão. Preciso de magia, é isso que Bertha representa. Uma vida sem paixão, sem mistério... quem consegue viver assim?

- Se é atraído pelo mistério, é atraído pelo perigo. - Mas odeio perigo. Vivo com cautela. - Viver com cautela é perigoso.

Talvez Bertha represente... meu desejo de escapar dessa vida segura, da armadilha do tempo. O tempo é um fardo. O maior desafio é viver apesar disso.

- Ela tem a mistura de lábios... olhos e seios... que lhe dão poderes quase sobre-humanos.
- Poderes de fazer o quê?
- Quando estou com ela... sinto que estou no centro de um ordenado... e tranqüilo universo. Um lugar muito bonito... onde não há questões sobre a vida... nem propósitos. Como andar nas nuvens.

Nos apaixonamos mais pelo desejo... do que o desejado.

- A morte só não é aterrorizante quando a vida já se consumou. Já consumou sua vida?
- Eu já consegui muitas coisas.
- Mas aproveitou a vida? Ou deixou-se levar por ela? Você está fora da sua vida... sofrendo... por uma vida... que nunca teve?
- Não posso mudar minha vida.

- A única coisa que amo na minha vida... é pensar... que cumpri meus deveres com minha esposa e meus filhos.
- Deveres?
- Seus deveres são um pretexto. É a cortina atrás da qual se esconde.


Capa do Livro

6 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

6.7.10

AMO Festa Junina (e as aulas de forró!)


Eu amo as músicas, as comidas, dançar quadrilha, as brincadeiras, as roupas! Que massa que é viu!

Eu fui numas 10 esse mês. Teve no trabalho, na facul, no centro da cidade, na casa de amigos.. e queria mais!

Ah to viciadaço nas aulas de forró também! Tô fazendo na Cooperativa Brasil. O pessoal é meeega gente boa, as aulas são todas as noites e sábado à tarde.

Até as músicas, eu não gostava muito, agora não ouço outra coisa! As letras são muito bacanas.. vou me dedicar bastante, quero aprender isso para valer! Vi um dos professores dançar com 3 mulheres ao mesmo tempo! hauhauhau será que chego lá??

Tem algumas músicas que gosto quando tocam na aula, fazem eu entrar no clima mesmo:

YouTube - Dona da Minha Cabeça - Geraldo Azevedo
YouTube - Xote dos Milagres - Falamansa
YouTube - Maskavo - Um Anjo do Céu

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

5.7.10

Plano de Negócios Moderno - Seth Godin

Mais um excelente post do Seth Godin (redundante falar isso né).

Post Original: Seth's Blog: The modern business plan


Não é claro para mim o motivo dos planos de negócios serem como são, na verdade, eles ofuscam, entediam e mostram habilidades apenas para atender as expectativas.

Para saber a verdade sobre um negócio e para onde ele está indo, eu prefiro ver outra coisa.

Eu divido um plano de negócio moderno em 5 seções:

  • Verdade

    Descreve o mundo como é. Faça observações, mas fale sobre o mercado em que estará entrando, as necessidades que já existem, os competidores, padrões tecnológicos, como outros obtiveram sucesso e fracasso no passado. Quanto mais específico melhor [...]

    O ponto é ter certeza de que sua visão de mundo é lúcida, e que eu e você concordamos com ela. Essa seção não tem partido, não toma posição, apenas mostra as coisas como são.

    Demore o quanto for necessário. Pode incluir planilhas, análises de participação no mercado e qualquer coisa que preciso saber sobre como o mundo funciona.

  • Afirmações

    Esta seção é sua chance de descrever como você mudará as coisas. Nós faremos X, e então Y irá acontecer. Vamos construir Z com este tanto de dinheiro e em tanto tempo. Vamos apresentar Q ao mercado e o mercado responderá tomando essa ação.

    Esse é o coração do plano de negócios moderno. A única razão para lançar um projeto é mudar algo, e eu quero saber o que você irá fazer e qual impacto isso terá.

  • Alternativas

    Claro, a seção de Afirmações ficará incorreta. Você fará previsões que não vão virar. Você irá errar orçamentos, prazos e vendas.

    Nesta seção você irá me dizer o que fará se isto acontecer. Quanta flexibilidade possui seu produto ou equipe? Se suas previsões não virarem, está tudo acabado?

  • Pessoas

    Esta seção destaca o elemento chave... quem está na sua equipe, quem irá fazer parte dela. "Quem" não significa o currículo, mas sim as atitudes, habilidades e histórico de entregas.

  • Dinheiro

    Quanto irá precisar, como irá gastar, como será o fluxo de caixa, P&Ls, balanços, margens e estratégias de saída.

O seu VC local pode estranhar o formato, mas eu garanto que ajudará sua equipe a pensar nas dificuldades com mais clareza.

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

1.7.10

Eles não podem se defender sozinhos

"Chegará o dia em que o homem conhecerá o íntimo dos animais. Nesse dia um crime contra um animal será considerado um crime contra toda a humanidade."

(Leonardo da Vinci)

vi essa frase no blog Chocolate com Pimenta




"Se você desiste, eles desistem":


http://www.youtube.com/watch?v=P_9mjBUSDng


"Os animais não podem ser avaliados pelo homem. Num mundo mais velho e completo que o nosso eles se movem confiantes e completos, dotados com extensões dos sentidos que nós perdemos, ou nunca possuímos, guiando-se por vozes que nós nunca ouviremos."

(Henry Beston)

5 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us
Blog Widget by LinkWithin