31.1.11

Filme "Caçadores de Emoções" (Point Break, 1991)

FILMÃO!! Passou ontem à noite na Band. =D

Olhe para você! Normalmente, tem uma cara fechada, de concentração [...] Desapareceu.
Se não o conhecesse, diria que parece quase feliz.


Caçadores de Emoções - Point Break
Me identifico com a mudança do personagem Johnny quando ele começa surfar. Acho inspiradoras as cenas de surf e de paraquedismo, e o papo místico do Bhodi.

Eu até os 20 anos, só pensava em trabalho. Sempre que não tinha nada para fazer em casa, eu sentava no micro e adiantava o trabalho. Eu tinha a chave, às vezes ia para a empresa trabalhar mesmo.

Pensava "Ficar vendo Faustão? vou fazer algo de útil". Eu era retardado, não sabia o tanto que dá para curtir a vida, e como é fácil.

Lembro quando vi as fotos de um amigo na Patagônia, com aquelas montanhas geladas. Ele me contando que foi de ônibus, com a barraca.. e contou sobre muitas outras viagens que ele fez e que tinha saltado de páraquedas. Achei tão maluco e impossível aquilo.

Inventaram de saltar de novo e me convidaram. Eu nunca tinha ido nem em parque de diversão. Com a insistência deles e todo o resto contra, fui e foi a coisa mais maravilhosa, marcante, intensa, empolgante, que eu já fiz. Todo mundo deveria fazer pelo menos 1x na vida.

Foi um daqueles momentos chaves, "despertadores", que muda o rumo da vida para melhor. Hoje tenho moto, fiz várias viagens, escaladas e amigos - são responsáveis por grande parte da minha felicidade.

Quando eu tiver grana vou fazer curso de paraquedismo, de paraglider, de surf, de pilotagem de avião e de tantas outras coisas boas para fazer nesse mundo.

Ouço muito a pergunta: "Do que você tem medo?". É difícil responder, não tenho medo de muita coisa. Com saúde, o pior cenário seria sem emprego e rejeitado. Isso não me assusta, eu conseguiria virar o jogo.

Pensando agora, o meu único medo MESMO, que me aterroriza de verdade.. é cair nessa vidinha de formiga, de tarefas sem sentido, de hipocrisia, de cinismo. Por conformismo, preguiça ou covardia.

O anseio mais forte em mim é o de ter uma vida autêntica, verdadeira... de grandes amizades, experiências, realizações - de acordo com minhas vontades e princípios.

Fui no campeonato de escalada de Paulínia ontem (a Teh venceu na categoria iniciante, mandou muito bem, deu orgulho dessa pangaré) , lá estava cheio da galera que escala e fiquei reparando pela milésima vez de como é um pessoal diferente, que valoriza outras coisas: esporte, natureza, amizades, bem-estar. Quase todo mundo que escala uma vez, é fisgado por esse espírito.

Na parte final do filme quando o Bhodi pergunta ao Johnny "E aí, continua surfando?", ele responde "Todos os dias."

É isso que eu quero para mim. Que seja surfando, de moto, escalando, rindo, ou fazendo um trabalho significativo... uma VIDA VERDADEIRA é o que eu quero - "Todos os dias" ;)

Caçadores de Emoções - Point Break
Cenas do Filme, com a música "Dayvan Cowboy"
do Boards of Canada


Música fera, cenas perfeitas! Vi umas 100x! =D


http://www.youtube.com/watch?v=Fn-UN9pl6NA

Trailer Oficial


http://www.youtube.com/watch?v=Lec7qucEcG8

Montagem com a Música "Sabotage" - Beastie Boys


http://www.youtube.com/watch?v=-FctX4acpyw

Sinopse

Uma gangue de ladrões de banco que se autodenomina "Os Ex-Presidentes", pois cometem seus assaltos usando as máscaras de Reagan, Carter, Nixon e Johnson. O F.B.I. acredita que os membros da quadrilha possam ser surfistas e manda para lá um jovem agente disfarçado, Johnny Utah (Keanu Reeves) com o auxílio de Angelo Pappas (Gary Busey), outro agente, chega a uma comunidade de surfistas onde os dois se infiltram. Lá ele conhece Bodhi (Patrick Swayze), um homem místico e muito inteligente, que começa a mostrar a Johnny uma maneira diferente de ver o mundo.


Caçadores de Emoções - Point Break
Melhores Trechos


"A sua ficha pessoal é impressionante [...]
mas tem zero horas de experiência na prática. Sabe menos do que nada. Se tivesse consciência disso, era alguma coisa, mas não tem."

"O surf é um esclarecimento. Muda a nossa vida."

"Sempre fiz coisas pelas outras pessoas.
Na escola joguei futebol... porque o meu pai queria.
Os meus pais sempre quiseram que eu fizesse direito. Assim fiz.
Tive uma bolsa de estudo por prêmio de futebol.
Para os meus pais sou um grande herói.
Mas há 2 anos morreram num acidente de automóvel.
Não pode imaginar. A vida muda.
De repente percebi que os meus objetivos... eram os objetivos deles.
Que não tinha vivido a minha vida.
Queria alguma coisa para mim.
Por isso vim de Ohio para aqui há um mês.
Nunca tinha visto o mar. Nenhum mar.
Não pensei que me impressionasse tanto.
Me atrai... ou sei lá o que.
Quero fazer como você."

"Em vez disso fui fazer Direito.
Direito? É advogado?
A vida ainda não acabou.
Agora surfa."

"- Vivem para ser radicais.
Não compreendem o mar.
Nunca verão o seu lado espiritual.
Não vai cantar mantras, vai?
- Talvez. Ainda não entendeu o que é surfar, não?
É um estado de espírito.
Onde se solta e se encontra.
Não sabe ainda, mas tem tudo aí.
Reparei em você, eles não o amedrontaram.
Isso é muito raro neste mundo."

"- As grandes ondas são para machos idiotas... com vontade de morrer.
- Não é assim. É um prazer supremo. Nada se compara. Nem sequer o sexo.
Talvez não esteja fazendo direito. Apenas boiar nela é um delírio total. Você não pode pedir um tempo se as coisas não estão bem.
- Para o desafio máximo, temos de pagar o preço máximo. Não é trágico morrer fazendo o que gosta."

"- Bando de viciados em adrenalina. Espero que não se junte nesta loucura com os outros.
- De que está falando?
- Você tem um olhar "Kamikaze". Bodhi percebe a distância. Vai levá-lo ao extremo... e além."

"Sinta a onda. Aceite a sua energia, sincronize com ela... e depois carregue as baterias.
Não é preciso ver. A visão é largamente superada.
É agora. Vamos nessa.
Rema. Vamos, rapaz! Depressa.
Está surfando!
Olha bem!
Não é a melhor sensação do mundo?"

"- Olhe para você!
Normalmente, tem uma cara fechada, de concentração...
Como se estivesse fazendo isto para um projeto escolar.
Ou como se qualquer coisa o movesse. Desapareceu.
Se não o conhecesse, diria que parece quase feliz.
- Não sei descrever o que sinto.
- Não precisa."

"Somos nós contra o sistema.
O sistema que mata o espírito humano..
e torna o oceano um depósito de tóxicos.
Representamos algo para aqueles mortos-vivos...
que correm nas estradas.
Mostramos que o espírito humano ainda vive."

"- Aprontou o meu pára-quedas?
- Sim, porquê? Não confia em mim?
- Confiança se conquista.
- Conquistaremos juntos."

"- Vamos saltar ou jogar conversa fora?
- Esse é dos meus!
- Vamos lá!
- Vai saltar de um avião. Como se sente?
- Merda! Puta merda!
- Sexo com os deuses! Não há nada melhor que isto.
- É uma maravilha!"

"- O que achou?
- Incrível. Inacreditável. Maravilhoso!
- Adoro ver o chão se aproximar.
[...]
- Nunca estará tão perto de Deus.
É como a palma da mão
Vindo direto na cara.
Ë uma experiência
absolutamente memorável!
- Eu disse que o Johnny ia conseguir."

"O medo causa hesitação. A hesitação torna real os piores pesadelos."

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

28.1.11

Desconectar para Conectar

Aproveite o final de semana ;)


http://www.youtube.com/watch?v=wf_dzUamjwg

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

27.1.11

Livro "DEMIAN" - Hermann Hesse

"Queria apenas tentar viver aquilo que brotava espontaneamente de mim. Por que isso me era tão difícil?

[...] Quem quiser nascer tem que destruir um mundo; destruir no sentido de romper com o passado e as tradições já mortas,

desvincular-se do meio excessivamente cômodo e seguro da infância para a conseqüente dolorosa busca da própria razão do existir: SER é OUSAR SER.

(Hermann Hesse)




Indicação da Babs :) Conta uma parte da vida de Emil Sinclair, um menino bem educado e amado pela família, em como foi deixando de ser garoto e se tornando homem. Esse processo é catalisado por algumas situações e amizades, principalmente pela de Max Demian.

É um livro curto (150 pág), recomendaria fortemente para meninos entre 14-19 anos, principalmente introvertidos.

Fala sobre os conflitos na transformação de adolescente para adulto e da vida espiritual e mundanda, sobre descobrir-se, pensar pela própria cabeça, encarar a realidade, sobre a influência do amor e mulheres, enfim... é MUITO bacana! ;)

Tem outros 2 livros dele que vou ler: "Sidarta" e "Lobo da Estepe". Juntos com "Demian" formam uma trilogia disfarçada; tratando da infância, velhice e juventude, respectivamente.

Dali - Geopoliticus Child
"A ave sai do ovo, o ovo é o mundo.

Quem quiser nascer tem que destruir um mundo."
(Hermann Hesse)

Melhores Trechos

[...] um homem real, único e vivo. Hoje sabe-se cada vez menos o que isso significa, o que seja um homem realmente vivo, e se entregam à morte sob o fogo da metralha a milhares de homens, cada um dos quais constitui um ensaio único e precioso da natureza.

Não creio ser um homem que saiba. Tenho sido sempre um homem que busca, mas já não busco mas nas estrelas e nos livros: começo a ouvir os ensinamentos que meu sangue murmura em mim.

A vida de todo o ser humano é um caminho na direção de si mesmo.

Homem algum chegou a ser completamente ele mesmo, mas todos aspiram a sê-lo.

A manhã sem colégio, em dia útil, era algo mágico e lendário: o sol entrava logo em meu quarto, mas não era o mesmo sol que obrigava o professor a fechar as cortinas verdes na sala de aula.

Quando o medo nos quer dominar, é necessário livrar-nos dele. Tens que livrar-te desse medo de qualquer maneira.

Como quase todos os pais, também os meus não auxiliaram o despertar dos instintos vitais, assunto sobre o que nunca se falou em nossa casa.

Auxiliaram apenas, com inesgotável atenção, minhas vãs tentativas de negar a realidade e continuar habitando um mundo infantil cada vez mais irreal e fictício.

Não sei se os pais podem fazer a esse respeito alguma coisa, e nenhuma reprovação tenho para com os meus.

Eu devia encontrar o meu caminho por mim mesmo, tarefa que foi tão difícil quanto à maioria dos jovens que receberam o que se costuma chamar de "uma boa educação".

Todos os homens vivem esses momentos difíceis. Para os de nível médio, este é o ponto da existência em que surge a maior oposição entre o avançar da própria vida e o mundo ao redor, o ponto em que se torna mais duro conquistar o caminho que conduz à frente.

São muitos os que, unicamente essa vez, passam na vida por aquele morrer e renascer que é nosso destino, somente essa vez, quando tudo que chegamos a amar quer abandonar-nos e sentimos de repente em nós a solidão e o frio mortal dos espaços infinitos.

E há muitos também que se embaraçam para sempre nesses obstáculos e permanecem a vida toda agarrados a um passado sem retorno, ao sonho do paraíso perdido, o pior e o mais assassino de todos os sonhos.

Mas apesar de tudo, me sentia miserável. Vivia numa orgia contínua e aniquilante e meus camaradas me consideravam um de seus líderes mais enérgicos, um moço sagaz e resoluto, mas, a despeito disso, minha alma esvoaçava temerosa, penetrada de angústias.

[...] embora me achasse diferente de meus novos companheiros e me sentisse continuamente solitário em sua companhia, não me era possível desligar-me deles. Já não posso precisar se cheguei alguma vez a encontrar prazer naquela vida de bebedeiras e fanfarronadas.

São muitos os caminhos pelos quais Deus pode nos conduzir à solidão e levar-nos a nós mesmos.

Jamais troquei com Beatrice uma única palavra. E, não obstante, ela exerceu sobre mim a mais profunda influência. Fixou diante de mim sua imagem, abriu-me as portas de um santuário, fez de mim um devoto a rezar ajoelhado num templo.

De súbito deixei de frequentar os cafés e as correrias noturnas de meus camaradas. Voltei a estar sozinho e recuperei o gosto pela leitura e os longos passeios silenciosos.

Sempre é bom termos consciência de que dentro de nós há alguém que tudo sabe.

A ave sai do ovo, o ovo é o mundo. Quem quiser nascer tem que destruir um mundo.

Queria apenas tentar viver aquilo que brotava espontaneamente de mim. Por que isso me era tão difícil?

Quem quiser nascer tem que destruir um mundo; destruir no sentido de romper com o passado e as tradições já mortas, de desvincular-se do meio excessivamente cômodo e seguro da infância para a conseqüente dolorosa busca da própria razão do existir: ser é ousar ser.

Não creio que se possam considerar homens todos esses bípedes que caminham pelas ruas, simplesmente porque andam eretos ou levem nove meses para vir à luz.

Sabes muito bem que muitos deles não passam de peixes ou de ovelhas, vermes ou sanguessugas, formigas ou vespas.

Não há porque te comparares com os demais, e se a natureza te criou para morcego, não deves aspirar a ser avestruz. Às vezes te consideras por demais esquisito e te reprovas por seguires caminhos diversos dos da maioria. Deixa-te disso.

Contempla o fogo, as nuvens, e quando surgirem presságios e as vozes soarem em tua alma, abandona-te a elas sem perguntares se isso convém ou é do gosto do senhor teu pai ou do professor ou de algum bom deus qualquer. Com isso só conseguimos perder-nos.

A única realidade é aquela que se contém dentro de nós, e se os homens vivem tão irrealmente é porque aceitam como realidade as imagens exteriores e sufocam em si a voz do mundo interior.

Também se pode ser feliz assim; mas quando se chega a conhecer o outro, torna-se impossível seguir o caminho da maioria.

Meu maior desejo era viver, por fim, um pouco, dar algo de mim ao mundo exterior, entrar em contato e em luta com ele.

Há muita diferença entre levarmos simplesmente o mundo em nós mesmos e conhecê-lo.

Pistórius, que por sua vez era bastante excêntrico, ensinou-me a conservar a coragem e a estima por mim mesmo, e serviu-me de exemplo, achando sempre algo valioso em minhas palavras e sonhos, em minhas fantasias e idéias, levando sempre a sério tudo aquilo e discutindo-o gravemente.

Sei muito bem que hás de ter sonhos que não revelas nem a mim. Não quero que me contes. Mas ouve-me bem: vive esses sonhos, vive-os bem, dedica-lhes altares! Não é a perfeição, mas já é um caminho.

Que consigamos, tu, eu e alguns outros, renovar ou não o mundo é coisa que em breve se verá. Mas, dentro de nós mesmos, temos que renová-lo a cada dia; de outro modo, nada conseguiremos.

- Mas não podes mesmo aconselhar-me nada? - perguntou, por fim, entristecido e esgotado. - Nada absolutamente? Deve haver algum caminho! E tu, como fazer?
- Nada posso dizer-te, Knauer. Nessa questão não é possível obtermos ajuda. Também a mim nunca ninguém ajudou.
Tens que refletir contigo mesmo e fazer aquilo que verdadeiramente surja em tua essência. Não há outro caminho. Se tu mesmo não o podes encontrar, também não encontrarás quaisquer espíritos que te guiem, creio eu.

O que verdadeiramente me fazia bem era o progresso do conhecimento de mim mesmo, minha confiança crescente em meus próprios sonhos, idéias e intuições; a revelação, cada dia mais clara, do poder que em mim mesmo levava.

Todos os homens buscavam a "liberdade" e a "felicidade" num ponto qualquer do passado, só de medo de ver erguer-se diante deles a visão da responsabilidade própria e da própria trajetória.

Todo o homem, por mais bondoso que seja [...] Tem que dar aquele passo que o desliga dos pais e de seus mestres e sentir um pouco a aspereza da solidão, embora em sua maioria não a podem suportar por muito tempo e voltem para a submissão.

Aquele que só quer seu destino já não tem modelos nem ideais, amores nem consolos.

Para o homem consciente só havia um dever: procurar a si mesmo, afirmar-se em si mesmo e seguir sempre adiante o próprio caminho, sem se preocupar com o fim a que possa conduzí-lo [...]

Sua missão era encontrar o próprio destino, e não qualquer um, e vivê-lo inteiramente até o fim.

Tudo o mais era ficar a meio caminho, era retroceder para refugiar-se no ideal da coletividade, era a adaptação e medo da própria individualidade interior.

Era um impulso da natureza, um impulso em direção ao incerto, talvez do novo, talvez do nada, e minha função era apenas deixar que esse impulso atuasse, nascido das profundezas primordiais, sentir em mim sua vontade e fazê-lo meu por completo. Esta, e somente esta, era minha função.

Poucos dias depois, iniciei minha viagem. Estranha viagem! Passei sem descanso de um lugar a outro, seguindo a inspiração do momento

Quinze dias depois matriculei-me na Universidade de H. Tudo nela decepcionou-me. O curso de história da filosofia, que comecei a frequentar, pareceu-me tão vulgar e trivial como as atividades dos jovens estudantes.

Tudo seguia padrões rígidos, todos faziam as mesmas coisas, e a calorosa alegria das faces juvenis tinha uma expressão lamentavelmente vazia e impessoal. Quanto a mim, desfrutava a minha liberdade.

O que existe hoje não é comunidade: é simplesmente rebanho. Os homens se unem porque têm medo um dos outros e cada um se refugia entre seus iguais: rebanho de patrões, rebanho de operários, rebanho de intelectuais...

E por quê têm medo? Só se tem medo quando não se está de acordo consigo mesmo. Têm medo porque jamais se atreveram a perseguir os próprios impulsos interiores. Uma comunidade formada por indivíduos atemorizados com o desconhecido que levam dentro de si.

Não sabia que o mundo pudesse ser ainda tão belo. Acostumara-me a viver absorto em mim mesmo e a aceitar, resignado, a perda do sentido exterior,

supondo que a ausência das cores vivas do mundo visível estivesse indissoluvelmente vinculada à perda da infância e que a liberdade e a virilidade da alma tinham que ser pagas, de certo modo, com a renúncia desse suave esplendor.

Agora percebia, encantado, que tudo aquilo estivera simplesmente obscurecido e coberto de cinzas, e que também o homem que se libertou e que renunciou à felicidade da infância pode ver o mundo resplandecer e apreciar as íntimas delícias da visão infantil.

Não há nenhum sonho perdurável. Uns substituem os outros e não devemos esforçar-nos por nos prender a nenhum.

Não estávamos separados dos homens por fronteira alguma, mas por uma forma diversa de ver. Nosso trabalho era erguer no mundo uma ilha, talvez um exemplo e, quando não, o anúncio de uma possibilidade diferente.

Por tanto tempo antes solitário, conheci então aquela comunidade que se faz possível entre homens que experimentaram a mais absoluta solidão.

Para eles, a humanidade - que amavam tanto quanto nós - era algo completo que deveria ser conservado e protegido.

Para nós, a humanidade era um futuro distante para o qual todos caminhávamos, sem que ninguém conhecesse sua imagem e sem que encontrassem suas leis escritas em parte alguma.

Para nós, só havia um dever e um destino: chegarmos a ser perfeitamente nós mesmos, conformarmo-nos inteiramente à semente da natureza em nós ativa e vivermos tão entregues à nossa vontade que o futuro incerto nos encontraria prontos para tudo que pudesse trazer consigo.

Você não deve se entregar a desejos nos quais não acredita. Sei o que deseja. Você tem que abandonar esses desejos ou desejá-los de verdade e totalmente.

Quando chegar a pedir tendo em si a plena segurança de alcançar seu desejo, a demanda e a satisfação coincidirão no mesmo instante. Mas você desejo e se reprova, temeroso de seus desejos. Tem que dominar tudo isso.

O amor não deve pedir - continuou - tampouco exigir. Há de ter a força de chegar em si mesmo à certeza e então passa a atrair em vez de ser atraído.

Sinclair, seu amor é agora atraído por mim. Quando chegar a atrair-me, então, atenderei. Não quero ser uma dádiva, mas uma conquista.

Não há motivo para preocupações. O que há de vir logo surgirá diante de nós e então saberemos o que necessitamos saber.

A corrente do mundo já não iria passar ao largo deixando-nos à margem, mas desta vez diretamente através de nossos corações; a aventura e os mais violentos destinos nos chamavam, e aproximava-se o momento em que o mundo queria transformar-se e precisava de nós.

Todos os homens pareciam irmanados. Pensavam na pátria e na honra. Mas era o destino que se mostrava diante deles, por um momento, frente a frente e sem véus. Milhares de jovens saíam dos quartéis e entravam nos trens.

Havia julgado os homens abaixo do que realmente valiam. Apesar da uniformidade que lhes impunha o serviço militar e o perigo comum, vi muitos se aproximarem arrogantemente à vontade do destino, em plena vida ou a ponto de morrer.

Muitos mostravam, a todo momento e não só no ataque, aquele olhar firme, distante e alheado que não sabe de fim nenhum e implica uma completa entrega ao monstruoso.

Fossem quais fossem suas opiniões ou idéias, aqueles homens estavam prontos, eram aproveitáveis e podiam servir para dar forma ao futuro.

Hermann Hesse

3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

26.1.11

2011/JAN - Buenos Aires - Vídeos e Fotos


YouTube - 2011/JAN - Buenos Aires à Trabalho

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

5 Desafios para Líderes Criativos em 2011 (The 99 Percent)

Post Original:


Desafio 1
Criar Excelentes Produtos que também Fazem o Bem

Desafio 2
Contratar e Administrar Trabalhadores Remotos

Desafio 3
Adaptar-se para Mudanças na Distribuição de Conteúdo

Desafio 4
Organizar e Planejar Eventos ao Vivo

Desafio 5
Administrar o Trabalho com Transparência

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

25.1.11

De vuelta de la Argentina

Trabalhei bastante, mas fiquei no final de semana e consegui ir em tudo que eu queria: os Palermos, Recoleta, Puerto Madero, La Boca, San Isidro, El Tigre e não poderia faltar um show de Tango, fantástico! =)

Essa semana eu vou postar no Mochila de Pano os vídeos, fotos, relato da viagem e dicas, e vou retomar minhas postagens por aqui, podexá! rs ;)

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

16.1.11

Indo para Argentina - à trabalho


A empresa em que trabalho presta serviços para alguns clientes de lá, e estarei em Buenos Aires nesta e talvez na próxima semana.

Trabalho tem bastante, mas em qualquer tempinho livre, vou dar um jeito de aproveitar ;)

Na outra vez que eu fui, foi assim: trabalhei muito e curti absurdo também.

O Thiago teve uma ótima idéia, de eu ir no encontro do Couch Surfing! Tomara que dê certo :)

Por conta disso, o blog vai ficar meio paradão até eu voltar. Mas ó não some não! Experimenta a seção Melhores Posts. Pode ter algo interessante que você ainda não viu ;)


Listas

2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

14.1.11

Enchentes no Rio: Dona Ilair, Fotos, Vídeos, Ajuda

"Agonias são uma de minhas mudas de roupa,
Não indago da pessoa ferida como se sente, eu mesmo me torno a pessoa ferida"

(Walt Whitman)


YouTube - O emocionante resgate de Dona Ilair

Dona de casa Ilair Pereira de Souza, 53 anos, sendo salva por vizinhos com uma corda, o cachorro foi levado pelas águas.




Enchentes no Rio de Janeiro - Zoom
Fotos marcantes do Brasil e do Mundo – iG






3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

13.1.11

Martin Seligman sobre Psicologia Positiva (Psicologia da Felicidade) TED Talks - Fantástico!

Palestra EXCELENTE do TED Talks. =)

Dê uma olhadinha, pelo menos no que está em negrito! ;)


Martin Seligman on positive psychology | Video on TED..com (25 min)




Por mais de 60 anos, a psicologia trabalhou com o modelo de doença, e consistia em encontrar o que há de errado com você.

O bom é que há 60 anos nenhuma das doenças eram tratáveis, e agora 14 das doenças são tratáveis, 2 delas curáveis.

Outra coisa que aconteceu é que uma ciência se desenvolveu, uma ciência de doença mental.

Descobrimos que podemos usar conceitos pouco claros como depressão, alcoolismo, e medí-los com rigor; que podemos criar uma classificação das doenças mentais; que podemos entender as causas das doenças mentais;

Podemos observar as mesmas pessoas ao longo do tempo - pessoas que, por exemplo, são geneticamente vulneráveis à esquizofrenia, e perguntar qual a contribuição dos cuidados maternos, da genética, e podemos isolar outras variáveis, fazendo experimentos com as doenças mentais.

E o melhor de tudo, pudemos inventar tratamentos com remédios e psicológicos, e depois pudemos testá-los rigorosamente em testes com distribuição randômica e controle com placebos - jogar fora as coisas que não funcionaram e manter as que funcionaram.

A conclusão disso tudo é que a psicologia e a psiquiatria conseguem tornar pessoas extremamente infelizes em menos infelizes. Estou orgulhoso disso. Mas há 3 consequências:

  • A primeira é moral - psicólogos e psiquiatras se tornaram vitimólogos, patologizadores; nossa visão da natureza humana era que se você estivesse com problemas é porque caíram tijolos em você. E nos esquecemos que as pessoas fazem escolhas e tomam decisões. Esquecemos responsabilidade. Esse foi o primeiro ponto negativo.

  • O segundo ponto negativo foi que esquecemos de melhorar a vida de pessoas comuns. Esquecemos da missão de fazer pessoas relativamente sem problemas mais felizes, mais realizadas, mais produtivas, e "gênio", "talentoso", se tornaram palavras sujas. Ninguém trabalha com isso.

  • E o terceiro problema com o modelo de doença é, na nossa correria em fazer algo pelas pessoas com problemas, para fazer algo para consertar danos, nunca nos ocorreu desenvolver intervenções para fazer as pessoas mais felizes, intervenções positivas.

Foi isso que levou pessoas como Nancy Etcoff, Dan Gilbert, Mike Csikszentmihalyi e eu mesmo a trabalhar com algo que chamo de psicologia positiva, que tem 3 objetivos:

  • O primeiro é que a psicologia deveria estar tão preocupada com os pontos fortes do ser humano quanto com suas fraquezas.

  • Deveria estar tão preocupada com desenvolver os pontos fortes quanto com consertar danos.

  • Deveria se interessar pelas melhores coisas da vida, e deveria se dedicar à fazer a vida de pessoas comuns mais gratificante e a desenvolver genialidade, promover talentos.

Então durante os últimos 10 anos, temos visto o começo de uma ciência de psicologia positiva: uma ciência sobre o que faz a vida valer a pena.

Acontece que podemos medir diferentes formas de felicidade. E qualquer um de vocês, de graça, pode visitar o website AuthenticHappiness.org e fazer toda a gama de testes de felicidade. Vocês podem consultar como se comparam em relação a emoções positivas, a sentido, a fluidez (flow), com dezenas de milhares de outras pessoas.

Criamos o oposto do manual de diagnóstico de insanidades: uma classificação dos pontos fortes e virtudes que considera como se comportam em homens e mulheres, como são definidos, como diagnosticá-los, o que os constrói e o que os atrapalha.

Percebemos que podíamos descobrir as causas dos estados positivos, a relação entre atividade no hemisfério esquerdo e atividade no hemisfério direito como causa de felicidade.

Começando há 6 anos, perguntamos sobre pessoas extremamente Felizes, e como elas se diferenciam do resto de nós?

Elas não são mais religiosas, não estão em melhor forma, não têm mais dinheiro, não são mais bonitas, não têm mais situações boas e menos situações más.

A única maneira pela qual se diferenciam: elas são extremamente sociais. Elas não passam tempo sozinhas. Cada uma delas está em um relacionamento amoroso e cada uma tem um repertório rico de amigos.

Mas prestem atenção. Estes são apenas dados correlacionais, não causais, e é sobre felicidade primeiro no sentido Hollywoodiano que vou falar: felicidade transbordante e risadinhas e bem estar. Afirmo a vocês que isto não está perto de ser suficiente.

Descobrimos que podíamos começar a olhar as intervenções ao longo dos séculos, do Buda a Tony Robbins. Cerca de 120 intervenções foram propostas que se afirma que tornam as pessoas mais felizes.

E constatamos que pudemos procedimentar muitas delas, e realizar estudos de eficácia e eficiência com distribuição randômica. Isto é, quais intervenções tornam as pessoas felizes de forma duradoura?

Além da missão de curar os que possuem doenças mentais, e além da missão de tornar pessoas extremamente infelizes menos infelizes, é se a psicologia realmente pode tornar as pessoas mais felizes?

Acredito que há 3 vidas felizes diferentes:

  • A primeira vida feliz é a vida prazerosa. Uma vida na qual você tem tantas emoções positivas quanto puder, e as habilidades para amplificá-las.

  • A segunda vida é uma vida de envolvimento. Uma vida de trabalho, cuidados com os filhos, amores, lazeres, o tempo pára para você. É sobre isso que Aristóteles falava (endemonia).

  • E terceiro, a vida com significado. Agora quero falar um pouco sobre cada uma destas vidas e o que sabemos sobre elas.

A primeira vida é a vida prazerosa e é simplesmente o melhor que pudermos encontrar, é ter todos os prazeres que puder, toda a emoção positiva que puder, e aprender as habilidades, saborear, atenção no presente, que os amplifiquem, que os alongue pelo tempo e espaço.

Mas a vida prazerosa tem 3 inconvenientes, e é por isso que a psicologia positiva não é felicidadologia.

O primeiro inconveniente é o fato de que a vida prazerosa, a sensação de emoção positiva, é cerca de 50% hereditária, e na verdade não muito alterável.

Em segundo lugar, acostuma-se rápido com a emoção positiva. É como sorvete de baunilha, a primeira mordida é 100%, mas ao chegar na sexta mordida, já era.

E isso leva à segunda vida. E eu tenho que contar-lhes sobre meu amigo, Len. Em duas das três grandes áreas da vida, Len tinha um enorme sucesso.

A primeira área era o trabalho. Quando estava com 20 anos, era um negociante de opções de ações. Quando estava com 25, era um multi-milionário e o dono de uma empresa de corretagem de opções.

A segunda área, o jogo: ele é um jogador campeão nacional de bridge.

Mas na terceira grande área da vida, amor, Len é um fracasso absoluto. E a razão disso era que Len tem sangue frio. É um introvertido. As mulheres americanas diziam ao Len, quando saíam com ele "você não é divertido, vai passear".

Len era rico o suficiente para poder pagar psicanalistas famosos, os quais por cinco anos tentaram encontrar o trauma sexual que de alguma forma havia trancado sua emoção positiva dentro de si. Mas acontece que não havia trauma sexual.

A pergunta é, Len é infeliz? E eu quero dizer que não. Penso que Len é uma das pessoas mais felizes que conheço. Ele não está condenado ao inferno da infelicidade e a causa disso é que Len, como a maioria de vocês, é enormemente capaz de fluidez (flow).

Quando ele entra na bolsa de valores às 9:30h, o tempo pára para ele. E pára até o fechamento. Quando a primeira carta é jogada, até 10 dias depois quando o torneio está encerrado, o tempo pára para Len.

E é sobre isso, de fato, que Mike Csikszentmihalyi tem falado, sobre fluidez (flow), e é diferente de prazer de uma maneira muito importante. O prazer é um sentimento puro: você sabe que está acontecendo. É pensamento e sentimento.

Durante a fluidez, você não sente nada. Você e a música são um só. O tempo pára. Você tem intensa concentração. E esta é realmente a característica do que consideramos boa vida.

Achamos que há uma receita pra isso, e é saber quais são seus melhores pontos fortes. E de novo, há um teste válido de quais são seus 5 pontos fortes. E então remodelar sua vida para usá-los o máximo possível. Remodelar seu trabalho, seu amor, seus jogos, suas amizades, seus cuidados com os filhos.

Apenas um exemplo: uma pessoa com quem trabalhei era um empacotador em um supermercado. Odiava seu trabalho. Ela está trabalhando para pagar a faculdade. Seu ponto mais forte era inteligência social, então ela remodelou empacotar para fazer do encontro com ela o ponto alto social do dia de cada cliente.

É claro que ela falhou. Mas o que ela fez foi pegar seus pontos fotes, e remodelar o trabalho para usá-los o máximo possível. O que você consegue com isso não é um sorriso de orelha a orelha. O que você consegue é mais absorção. Então esse é o segundo caminho.

O primeiro caminho, emoções positivas. O segundo caminho é o da fluidez da eudemonia.

E o terceiro caminho é o significado. Esta é a mais venerável das felicidades, tradicionalmente. E significado nesta visão consiste em saber quais são seus pontos fortes, e usá-los para pertencer a e em serviço de algo maior que você.

Eu mencionei que para todos os três tipos de vida, a vida prazerosa, a vida boa, a vida com sentido, as pessoas estão trabalhando para responder a pergunta: existem coisas que mudam estas vidas de forma duradoura?

E a resposta parece ser sim. E vou dar-lhes alguns exemplos disso. Isto tem sido feito de uma maneira rigorosa. Fazemos randomização, controle de placebo, estudos de longo prazo de diferentes intervenções.

E apenas para exemplificar o tipo de intervenções que descobrimos que têm efeito, quando ensinamos às pessoas sobre a vida prazerosa, como ter mais prazer em sua vida, uma das tarefas é pegar as habilidades de atenção no presente, habilidades de saborear, e lhe damos a tarefa de criar um lindo dia.

No próximo sábado, separe um dia, crie um lindo dia para você, saboreando e ficando atento no presente para realçar estes prazeres. E podemos mostrar que deste modo a vida prazerosa é melhorada.

Visita de gratidão. Gostaria que lembrassem de alguém que fez algo imensamente importante que mudou sua vida em uma direção boa, e a quem você nunca agradeceu apropriadamente. A pessoa tem que estar viva. Eu espero que todos vocês tenham uma pessoa como essa.

Sua tarefa é escrever um depoimento de 300 palavras para essa pessoa, telefonar para ela, perguntar se pode visitá-la, não diga o porquê, aparecer na porta da casa dela, você lê o depoimento. O que acontece é que quando testamos as pessoas uma semana, um mês, três meses depois? Ambas estão mais felizes e menos deprimidas.

Outro exemplo é um encontro de pontos fortes, no qual pedimos à casais para identificar seus pontos mais fortes no teste de pontos fortes, e então projetar uma tarde na qual ambos usem seus pontos fortes, e percebemos que este é um fortalecedor de relacionamentos.

E diversão versus filantropia. Nós fazemos com que as pessoas façam algo altruístico e algo divertido, e comparem. E o que se descobriu é que quando você faz algo divertido tem a forma de uma onda quadrada. Quando você faz algo filantrópico para ajudar outra pessoa, isso dura e dura. Então estes são exemplos de intervenções positivas.

Então a penúltima coisa que quero dizer é que estamos interessados em quanta satisfação com a vida as pessoas têm, pois isso mostra como você realmente é . E esta é nossa variável objetivo.

Fazemos a pergunta em função das três diferentes vidas, quanta satisfação com a vida você tem?

Então perguntamos - e temos feito isso em 15 repetições envolvendo milhares de pessoas - em que extensão a busca pelo prazer, a busca por emoção positiva, a vida prazerosa, a busca de envolvimento, o tempo parando para você, e a busca por sentido contribuem para a satisfação com a vida?

Nossos resultados nos surpreenderam, foram o oposto do que pensávamos.

Acontece que a busca pelo prazer não tem quase nenhuma contribuição para a satisfação com a vida.

A busca por sentido é a mais forte. A busca de envolvimento também é muito forte. Onde o prazer importa, é quando você tem tanto envolvimento quanto significado, aí o prazer é a cereja com chantily.

Isto quer dizer que na vida completa, a soma é maior que as partes se você tem todas as três. Inversamente, se você não tem nenhuma das três, é a vida vazia.

E o que estamos perguntando agora é se saúde física, morbidez, longevidade e produtividade, seguem a mesma relação?

Isto é, em uma empresa, será que a produtividade é uma função da emoção positiva, do envolvimento e do sentido?

Será que a saúde é uma função de envolvimento positivo, de prazer, e de significado na vida?

Há motivos para se pensar que a resposta para ambas estas perguntas pode muito bem ser sim.

Nós todos sabemos que tecnologia, entretenimento e design têm sido, e podem ser, usados para fins destrutivos.

Nós também sabemos que tecnologia, entretenimento e design podem ser usados para aliviar miséria.

E a propósito, a diferença entre aliviar miséria e construir felicidade é extremamente importante.

Eu pensava, quando eu me tornei um terapeuta há 30 anos, que se eu fosse bom o suficiente para tornar alguém não deprimido, não ansioso, sem raiva, que eu o faria feliz. Eu descobri que o melhor que se podia fazer era chegar a zero. Mas eles estavam vazios.

O paralelismo que isso mantém com a tecnologia, entretenimento e design, acredito, é que é possível que estes três motores do nosso mundo aumentem a felicidade, aumentem a emoção positiva, e é assim que eles tipicamente têm sido usados.

Mas uma vez que você fracione a felicidade da maneira que eu faço, não apenas em emoção positiva - isso não está nem perto de ser suficiente - há também a fluidez na vida, e há sentido na vida.

Eu acredito que também entretenimento, tecnologia e design, podem ser usados para aumentar também o envolvimento e o significado da vida.

Para concluir, com tecnologia, entretenimento e design, nós podemos de fato aumentar a quantidade de felicidade humana no planeta.

Se a tecnologia, o entretenimento e design puderem na próxima década, ou na seguinte, aumentar a emoção positiva, eudemonia, fluidez, e significado, o que estamos todos fazendo juntos se tornará suficientemente bom.

Mais sobre Psicologia Positiva:

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

11.1.11

Bernardo Collares - Herói do Mundo Moderno (1964-2011)

Em um mundo de cínicos, hipócritas, conformados; alguém que sai corajosamente em busca de seus sonhos, é um herói.

Era um escalador experiente. Mas acidentes acontecem, para qualquer um.

É melhor arriscar-se a viver intensamente, do que morrer cozinhando no fogo brando da própria infelicidade.

Veja as fotos abaixo. Tenho noção da alegria que ele sentiu por trás de cada um desses sorrisos e de tantos outros que deve ter dado nas montanhas.

Descanse em paz, Bernardo. Satisfeito pela vida, pelas experiências e pelas amizades que teve.

"Uma vez descoberto o vôo, estarás condenado a caminhar olhando para o céu, pois terás descoberto porque os pássaros cantam"

(Leonardo Da Vinci)

"as montanhas são uma espécie de reino mágico,
onde, por meio de algum encantamento,
eu me sinto a pessoa mais feliz no mundo."
(Bernardo Collares)



"É nas experiências, nas lembranças, na grande e triunfante alegria de viver na mais ampla plenitude que o verdadeiro sentido é encontrado."

(diário do Chris McCandless)



"Os dias que estes homens passam nas montanhas, são os dias em que realmente vivem.

Quando as cabeças se limpam das teias de aranha, e o sangue corre com força pelas veias. Quando os cinco sentidos recobram a vitalidade, e o homem completo se torna mais sensível, e então já pode ouvir as vozes da natureza, e ver as belezas que só estavam ao alcance dos mais ousados"


(Reinhold Messner)



"Logo que a ponta do pé largou daquela saliência, experimentei uma onda de sensações emocionantes: a adrenalina do medo, a intoxicação do desconhecido e, acima de tudo, o prazer jubiloso da auto-descoberta."

(David Breashears)



"Aquele que cresceu nas montanhas pode viver durante anos na cidade, desenvolver um trabalho científico e enriquecer sua inteligência, mas o que não pode fazer é permanecer eternamente lá embaixo.

Quando vê aparecer o sol entre as nuvens e sente o vento no rosto, sonha como uma criança com novas aventuras nas montanhas. Comigo acontece exatamente isso."

(Reinhold Messner)



"Um homem precisa viajar [..] conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto."

(Amyr Klink)



"Eu queria movimento e não um curso calmo de existência. Queria excitação e perigo e a oportunidade de sacrificar-me [...]

Sentia em mim uma superabundância de energia que não encontrava escoadouro em nossa vida tranqüila."

(Leon Tolstói)



"Houve alegrias grandes demais para ser descritas com palavras e houve dores sobre as quais não ousei alongar-me; e com isso em mente, digo:

Escale se quiser, mas lembre que coragem e força são nada sem prudência e que uma negligência momentânea pode destruir a felicidade de uma vida inteira.

Não faça nada às pressas; olhe bem para cada passo; e, desde o começo, pense o que poderá ser o fim"


(Edward Whymper, "Escaladas entre os Alpes")



"Eu amo escalar. É uma ótima forma de estar na natureza. Não é apenas algo físico, é também algo espiritual... onde o tempo pára.

Você pára de pensar sobre as coisas. Não existe passado, presente ou futuro. Tudo desintegra."

(Chris Sharma)


"A vida só quer uma coisa da gente: CORAGEM"

(Guimarães Rosa)



"Se o dia e a noites são de tal forma que vós os saudais com alegria, se a vida emite uma flagrância de flores e ervas aromáticas e se torna mais elástica, mais cintilante e mais imortal - eis aí o vosso êxito.

[..] A verdadeira colheita do meu dia-a-dia é algo de tão intangível e indescritível quanto os matizes da aurora e do crepúsculo. O que tenho na mão é um pouco de poeira das estrelas e um fragmento do arco-íris."

("Walden", Henry David Thoreau)



"A vida é uma ousada aventura, ou não é nada."

(Helen Keller)



"...tudo compreender, tudo ver e vê-lo muitas vezes, de modo incomparavelmente mais nítido do que o fazem todas as nossas inteligências mais positivas;

não se conformar com nada e com ninguém, mas ao mesmo tempo, não desdenhar de nada..."

(Fiódor Dostoiévski)



"Gostaria de repetir o conselho que lhe dei antes: acho que você deveria promover uma mudança radical em seu estilo de vida e começar a fazer corajosamente coisas em que talvez nunca tenha pensado, ou que fosse hesitante demais para tentar.

Tanta gente vive em circunstâncias infelizes e, contudo, não toma a iniciativa de mudar sua situação porque está condicionada a uma vida de segurança, conformismo e conservadorismo, tudo isso parece dar paz de espírito, mas na realidade nada é mais maléfico para o espírito do homem que um futuro seguro.

A coisa mais essencial do espírito vivo de um homem é sua paixão pela aventura. A alegria da vida vem de nossos encontros com novas experiências [..]

Você está errado se acha que a alegria emana somente ou principalmente das relações humanas. Deus a distribuiu em toda a nossa volta. Está em tudo ou em qualquer coisa que possamos experimentar. Só temos de ter a coragem de dar as costas para nosso estilo de vida habitual e nos comprometer com um modo de vida não-convencional.

O que quero dizer é que você não precisa de mim ou de qualquer outra pessoa para pôr esse novo tipo de luz em sua vida. Ele está simplesmente esperando que você o pegue e tudo que tem a fazer é estender os braços. A única pessoa com quem você está lutando é com você mesmo [..]

Espero que na próxima vez que eu o encontrar você seja um homem novo, com uma grande quantidade de novas experiências na bagagem. Não hesite nem se permita dar desculpas. Simplesmente saia e faça. Simplesmente saia e faça. Você ficará muito, muito contente por ter feito."

(carta de Chris McCandless para Ron Franz)

4 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

10.1.11

Receita de Ano Novo - Carlos Drummond de Andrade

Acabaram-se minhas férias, 2011 começa para mim agora.

Vamos com tudo nesse novo ano, meus amigos.

Há MUITO o que fazer. ;) abraços.


“Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano novo,
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de MERECÊ-LO,
tem de FAZÊ-LO NOVO, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.”


(Carlos Drummond de Andrade)

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

5.1.11

Mudando os Paradigmas Educacionais - Ken Robinson (RSA Animate)

Mais um excelente vídeo da RSA, com o feríssimo Ken Robinson.

YouTube - RSA Animate - Changing Education Paradigms



Melhores Trechos

Todas os países estão tentanto reformar a educação pública, por 2 razões:

- Econômica: como educar nossos filhos para que tenham seu lugar na economia do séc. 21, sendo que não conseguimos prever nem como a economia estará semana que vem.

- Cultural: com a globalização, como criar uma identidade cultural nas crianças, para quem saibam a que cultura pertencem.

Estamos educando as crianças como no passado, alienando milhões de jovens que não vêem propósito no que é ensinado.

No passado, dar duro e ir para a faculdade, garantia um bom emprego. Hoje nossas crianças não acreditam nisso. Eles tem razão. E ainda a educação marginaliza o que eles acham importante sobre si mesmos.

Dizem que devemos melhorar a qualidade da educação. Sim. No entanto, nosso sistema educacional foi projetado para uma outra época, sob os moldes do Iluminismo e da Revolução Industrial.

Inteligência era definida como raciocínio dedutivo e conhecimento dos clássicos e assim acadêmicos eram os "inteligentes" e o resto não. Muitas pessoas brilhantes, pensam que não são.

DDA (Distúrbio de Déficit de Atenção) é a mais nova epidemia moderna - isso está equivocado. Esse problema até existe, mas não é uma epidemia e crianças estão sendo medicadas (Ritalina) para anestesiarem seus sentidos e não se distraírem nas aulas.

Vivemos o período com mais estímulos da humanidade: computadores, IPhones, propagandas, televisão... e ainda reclamam que nos distraímos nas tediosas salas de aula.

Artistas são as maiores vítimas da mentalidade educacional. Nas artes os sentidos operam no máximo.

Esses remédios desligam a criança para o que acontece fora dela. Deveríamos ligá-las para aquilo que possuem dentro de si.

A educação é feita para a industrialização e nos moldes da industrialização. Tem sinal sonoro, área especializadas, educa-se as crianças em lotes agrupados por idade... por quê? Por quê achar que as crianças só podem ter em comum a idade?

Crianças podem ser melhores em certas disciplinas e piores em outras, ou melhores em determinado período do dia e piores em outro, ou melhores sozinhas, ou melhores em grupos. Depende da criança.

Caminhamos em direção à padronização da educação. Temos que ir no caminho oposto. Diversidade de pensamento é essencial para a criatividade.

Fazendo um teste com crianças e considerando sua capacidade sob o critério de pensamento divergente, 98% chegaram no nível de genialidade. Avaliando as mesmas crianças anos depois, 15% apenas chegaram nesse nível.

Isso mostra que todos temos essa capacidade e que ela se deteriora com o tempo que passamos no sistema educacional.

Nas escolas para tudo há apenas uma resposta certa. Fora da escola trabalhamos de forma colaborativa nos problemas, encontrando diversas soluções.

Não são os professores que querem isso, é o que está no DNA da educação.

Temos que mudar nossa forma de pensar sobre a capacidade humana, superar esse mito de que o certo é o conhecimento acadêmico-abstrato-teórico, desenvolver o potencial de cada um e sua capacidade colaborativa.

Não deixe de ver:

2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

3.1.11

Os 5 Principais Arrependimentos de Pacientes Terminais

Vi no Ben Casnocha e me lembrei no LLL.

Post original: REGRETS OF THE DYING | Inspiration and Chai

Bronnie Ware trabalha com tratamentos paliativos para pacientes próximos do fim de suas vidas. Ela escreve sobre os principais arrependimentos que revelaram no leito de morte.

Carolynne em seu aniversário, 2 semanas antes de sua morte.
A fotografia é parte da
série que ganhou o Pultizer em 2008.
A série vencedora em 2007 teve um tema parecido.


Os 5 Principais Arrependimentos de Pacientes Terminais

1. Eu queria TER TIDO A CORAGEM DE VIVER UMA VIDA VERDADEIRAMENTE MINHA, NÃO AQUELA QUE OS OUTROS ESPERAVAM.

Esse é o arrependimento mais comum. Quando as pessoas reconhecem que suas vidas estão acabando e olham para o passado com clareza, é fácil ver muitos sonhos que não realizados.

A maioria das pessoas não honra nem metade de seus sonhos e terão que morrer sabendo que foram escolhas delas.

2. Eu queria NÃO TER TRABALHADO TANTO.

Esse vem de cada paciente homem que eu cuidei. Perderam a juventude de seus filhos e a companhia de suas companheiras.

Mulheres também citam esse arrependimento. A maioria vem de uma geração mais antiga, muitas não eram chefes de família.

Todos os homens que cuidei se arrependeram profundamente de dedicar tanto de suas vidas ao trabalho.

Simplificando seu estilo de vida e fazendo escolhas conscientes pelo caminho, é possível viver sem todo o dinheiro que você pensa que precisa.

E criando mais espaço para sua vida, você se torna mais feliz e aberto a novas oportunidades, mais adequadas ao seu novo estilo de vida.

3. Queria TER TIDO CORAGEM DE EXPRESSAR MEUS SENTIMENTOS.

As pessoas reprimem seus sentimentos para manter a paz com os outros. Como resultado, estabelecem uma existência medíocre e nunca se tornam aquilo que são capazes. Muitos desenvolvem doenças relacionadas a amargura e ressentimento que carregam.

Nós não podemos controlar as reações dos outros. As pessoas inicialmente irão reagir quando você mudar o seu jeito e falar com franqueza, mas no fim isto levará a relação para um novo e mais saudável patamar. Ou retirará as relações negativas da sua vida. De qualquer forma, você ganha.

4. Eu queria TER MANTIDO CONTATO COM MEUS AMIGOS.

Frequentemente eles não percebem os benefícios de velhas amizades até suas últimas semanas de vida, e nem sempre é possível reavê-las.

Alguns se tornaram tão bitolados nas próprias vidas que deixaram amizades de ouro definharem através dos anos.

Há muito arrependimento em não dar às amizades o tempo e esforço que mereciam. Todos sentem falta de seus amigos quando estão morrendo.

É comum que pessoas com uma vida ocupada deixem as amizades definharem. Mas quando você enfrenta uma morte eminente, os detalhes físicos da vida não importam.

Todos querem ter suas finanças em ordem se possível. Mas não há dinheiro ou status que sustente a verdadeira importância deles.

As pessoas querem as coisas em ordem para o benefício daqueles que amam. A maioria, no entanto, fica muito doente ou cansada para pensar nisso.

Tudo se resume em amor e relacionamentos no final. Isso é tudo que fica nas semanas finais, amor e relacionamentos.

5. Eu queria TER ME PERMITIDO SER MAIS FELIZ.

Essa é surpreendemente uma comum. A maioria não percebe que felicidade é uma escolha. Ficaram presos em velhos padrões e hábitos.

O chamado "conforto" da familiaridade sobrepôs suas emoções, assim como suas vidas físicas. Medo da mudança os levaram a fingir para os outros, e para si mesmos, de que estavam contentes.

Lá no fundo, sentem falta de dar boas risadas e de ter um pouco de amenidades na suas vidas novamente.

Quando você está no leito de morte, o que os outros pensam de você fica longe da sua mente. Como seria maravilhoso ser capaz de deixar fluir e sorrir de novo, muito antes de estar morrendo.

Vida é escolha. A vida é SUA. Escolha com consciência, com sabedoria, com honestidade. Escolha ser feliz.

Veja também:

7 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

1.1.11

Filme "Sim Senhor" (Yes Man)

É o filme de comédia que mais gosto. Além de ótimas risadas e cenas memoráveis, também passa uma mensagem interessante.


Sinopse

Carl Allen (Jim Carrey) tem uma vida insossa, não tem namorada, está estagnado no emprego e sempre recusa os convites dos amigos. Após ir em um workshop de desenvolvimento pessoal, que recomenda dizer sim a qualquer coisa que lhe aconteça ou ofereçam, Carl passar a seguir este preceito e sua vida começa a mudar, fazendo com que conheça Allison (Zooey Deschanel), por quem se apaixona.

Trailer 1 (2 min):



http://www.youtube.com/watch?v=20q61tjlZZ8

Teaser (2 min):


http://www.youtube.com/watch?v=uIARewrukBA

Trailer 2 (2 min):


http://www.youtube.com/watch?v=WYk2SkElXV8

A mensagem do filme não é "diga SIM para tudo", você ficaria sobrecarregado sem tempo para nada, seria a coisa mais idiota do mundo.

Eu digo MUITO mais NÃO do que SIM na minha vida e vou continuar. Mas aprendi
a dizer SIM para mim mesmo, SIM para novas possibilidades, para novas experiências e amizades.



Melhores Trechos


Você está morto, Carl.
Você diz não à vida, portanto não está vivendo.
Inventa desculpas aos que estão à sua volta.
E a si mesmo.
Está preso no mesmo emprego que está há anos.
Não tem namorada.
Não tem nada parecido com um namoro.
E perdeu o amor da tua vida,
porque ela não podia viver com alguém que não vive.
E muitas noites se sente tão entediado e vazio...
Sempre que aparecer uma oportunidade,
Não importa do que se trata.
Você dirá sim. Sim! Sim!

Nunca evite oportunidades. Elas podem aparecer de muitas formas.

Sim, eu quero aprender guitarra.
Sim, eu quero aprender a voar.
Sim, eu quero aprender coreano.

- Não consigo te entender. Você é meio imprevisível. Meio misterioso.
- Sabe, gosto de manter o frescor. Gosto de viver e misturar. Se não gosta disso, melhor que diga agora.
- Adorei isso. Não entendo como as pessoas vivem com a mesma rotina todo dia [...] Sério, eu saí com um cara, e ele era todo perfeitinho... totalmente previsível, só vivendo a vida dele numa caixa, sabe?
- Eu sei. É frustrante.
- Tenho vontade de pegar essas pessoas e acordá-las. E dizer: "Você, acorde! Você está perdendo! Uma coisinha chamada vida!"

Ela é espontânea, peituda. E nem imagina o que está fazendo. E ela não liga. Completamente o oposto de mim.

O mundo é um playground, sabe? Igual quando éramos crianças. Mas as pessoas esquecem
quando crescem.

meu cliente foi a um seminário de desenvolvimente pessoal. Ele tem que dizer 'sim' para tudo que perguntam. Portanto, qualquer atividade suspeita, como ter aulas de vôo, viagens espontâneas, só aconteceram porque ele tem que dizer sempre sim a tudo. E ele é muito dedicado.

- Não nós só não sabemos quando usar o sim.
- Eu sei. Dizendo sim para tudo. O sim não é difícil.
- Não, não é assim. Talvez no inicio. Para se abrir. Então quando disser sim não é porque tem que dizer. Não é por causa de um acordo obrigatório. É porque seu coração sabe que quer o sim.

- Mas se não fosse isso, não teria te conhecido. Eu era um Carl que pensava não ser suficiente para ninguém. Eu disse sim a muitas coisas, fiz muitas amizades, mais cedo ou mais tarde penso que irá valer a pena. Não pensei que tivesse algo para oferecer. Agora sei, tenho muito para oferecer. E quero partilhar com você [...] Antes, se te conhecesse, nunca saíria com você. É completamente o oposto de mim. Faz coisas, tem amigos, canta em uma banda de rock e faz a vida acontecer. Não tem medo de nada [...]
- O que quer que eu te diga?
- Diga sim. Mas só se quiser mesmo.


antes do sim | depois do sim

0 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us
Blog Widget by LinkWithin