30.6.11

Waste Land - Vik Muniz (Documentário)

Vik Muniz é um célebre artista brasileiro, vive em Nova York e é conhecido por utilizar materiais incomuns nas suas obras. Mistura desenhos com fotografias, lixo, jóias, arames, comidas.

Li algumas entrevistas com ele, e ele tem uma história de vida interessante. Já postei no aqui blog um trecho que gostei.


No documentário Waste Land, Vik Muniz visita o maior aterro sanitário do mundo, no Jardim Gramacho, Rio de Janeiro.

Lá ele encontra catadores de lixo, e cria obras inspiradas na dura realidade em que vivem. O dinheiro da venda das obras foi revertido aos catadores.


WASTE LAND Official Trailer from Almega Projects on Vimeo.









Veja mais:

Vik Muniz faz arte com arame, açúcar | Video on TED.com

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

21.6.11

122 Livros para Entender o Mundo - Revista Super Interessante

Acho que vi isso no twitter, não lembro quem postou :-/

Alguns livros dessa lista eu já li, e são muito bons mesmo.




2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

20.6.11

Para Superar Aflições - Alan Wallace

Vi no LLL. Vídeo e Transcrição por Gustavo Gitti.


YouTube - Alan Wallace | Conselho para quem deseja superar as aflições


Melhores Trechos:

"Todos nós queremos encontrar felicidade. Queremos ter menos frustrações, insatisfações, problemas no coração e na mente. Todos nós queremos isso.

Cada um de nós deseja paz, menos ansiedade, uma felicidade maior. Todos nós queremos isso.

De forma geral, muitos de nós, na maior parte do tempo, estamos sempre olhando para fora, pensando:

“Alguém vai me fazer feliz”, “Algum trabalho vai me fazer feliz”, “Algum lugar vai me fazer feliz,” “Alguma posse vai me fazer feliz”

Mas na medida que crescemos e amadurecemos, vemos que nada daquilo é verdade.

Ninguém lá fora pode nos fazer felizes de verdade. Nenhuma aquisição, nenhum emprego.

É óbvio. E quanto mais cuidadosamente nós olhamos, mais óbvio se torna.

Se realmente queremos ser felizes, encontrar contentamento, liberação da ansiedade e assim por diante… realmente só há uma maneira.

Você não tem que ser religioso, não tem que ser espiritual. Você tem que ser realista!

E isso é reconhecer que a única forma de você realmente encontrar satisfação, um maior sentido na vida, maior felicidade na vida, realização, é cultivando seu próprio coração e mente.

Isso é apenas realista. Você não tem que acreditar em nada. É apenas bom senso.

Agora, nós podemos perguntar, antes de tudo: será que há maneiras com as quais estamos nos comportando (com nosso corpo, com nossa fala, mesmo com nossa mente) que estão prejudicando aos outros desnecessariamente?

Às vezes crianças tem que ser disciplinadas, talvez. Elas não gostam, mas estamos fazendo isso apenas pelo seu bem. Então, às vezes é assim.

Mas, estamos nós prejudicando alguém, de alguma forma que não está sendo útil, mas apenas prejudicando?

Quando nós reconhecemos isso, vemos que causa dano para outras pessoas, mas também causa sofrimento a nós mesmos. Sempre.

Então a primeira coisa é: realmente viver uma vida suave, sem causar danos. É o mais importante.

Assim você não prejudica a si mesmo e não prejudica aos outros. Pelo menos isso!

E então se você quer realmente começar a cultivar as causas verdadeiras da felicidade, uma maior liberdade do sofrimento, da ansiedade, do medo, da aflição, então, é pra isso que serve a meditação.

Meditação, em sânscrito, é “bhavana”. E “bhavana” significa cultivar, como um agricultor cultiva o campo. Ele não sai, simplesmente, e pega alguma comida aqui e lá.

Mas ele realmente se dedica ao solo, ele o lavra, o fertiliza, irriga, planta a semente, ele cuida, tira as ervas daninhas e então faz a colheita.

Então, em vez de sair por aí tentando achar alguma felicidade externa, nós a cultivamos com nossos próprios corações e mentes.

E meditação é uma forma de fazer isso.

Há muitas maneiras para meditar. Para muitas pessoas que estão começando, um tipo de meditação chamado shamata é muito útil.

O essencial dela, antes de tudo, é aprender como relaxar, aprender como relaxar o corpo muito profundamente. Sem tensão, sem estresse, sem contração.

Saber como relaxar a respiração, respirar sem esforço. E aprender como deixar a mente relaxada. Então, primeiro de tudo, aprender como relaxar.

E então, gradualmente, por meio da meditação, cultivar uma calma interna, uma serenidade interna, quietude interna, uma presença.

De forma que não estamos sempre distraídos, inquietos, agitados, excitados, mas realmente temos alguma paz mental.

Isso pode ser cultivado por meio da meditação.

E então, gradualmente, com base em relaxamento e estabilidade, podemos desenvolver clareza e vivacidade.

Portanto, com essas três qualidades, através da meditação, da atenção plena sobre a respiração e outros métodos, nós podemos ter maior presença, maior paz mental. E também quando estamos nos relacionando com outras pessoas.

Porque as nossas mentes, internamente, estão quietas. Então nós podemos realmente focar nos outros com muito mais proximidade.

E não ficar sempre sendo pegos pelos nossos próprios pensamentos, esperanças, medos, mas realmente focar nas necessidades dos outros.

Dessa forma, naturalmente, quando começamos a expandir nossas mentes e corações para focar outras pessoas, outros seres sencientes, nós também encontramos felicidade, uma felicidade maior.

Porque nossas mentes e corações se ampliam, há maior paz e maior felicidade."

- Alan Wallace


Alan Wallace

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

14.6.11

AUTOSSABOTAGEM - Parte 5: Frases, Textos, Vídeos, Livros

Autossabotagem
Este é o último post da série sobre Autossabotagem.

Espero que tenha sido útil :)


Série sobre AUTOSSABOTAGEM:

Frases relacionadas a Autossabotagem:

"Nós não conseguimos mudar as cartas que temos nas mãos. Podemos apenas pensar em como jogar com elas." (Randy Pausch)

"O problema não é o problema - o problema é a atitude com relação ao problema." (Kelly Young)

"É loucura esperar resultados diferentes quando continuamos fazendo a mesma coisa" (Albert Einstein)

"Já enfrentei muitas dificuldades na minha vida. A maioria delas nunca existiu" (Mark Twain)

"Quem é bom em arrumar desculpas, raramente é bom em outra coisa"

"O primeiro princípio é não enganar a si mesmo - e você é a pessoa mais fácil de enganar" (Richard Feynman)

"Desistir é fácil, difícil é desistir do hábito de desistir."

"Nada deve ser temido, apenas compreendido" (Marie Curie)

"Que nossa preocupação antecipada se torne reflexão e planejamento adiantados" (Winston Churchill)

"A diferença entre o bicho-da-seda e a aranha é a que a primeira tece sua teia para ficar presa, a segunda tece sua teia para ficar livre" (Li Yutang)

"Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas.

Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota.

Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas."

(Sun-tzu)

"No passado cometi o maior pecado que um homem pode cometer: não fui feliz." (Jorge Luis Borges)

"Cuide de seus Pensamentos, porque eles se tornam Palavras
Escolha suas Palavras, porque elas se tornam Ações.
Compreenda suas Ações, porque elas se tornam Hábitos.

Entenda seus Hábitos, porque eles se tornam seu Destino."

"O remédio para a ansiedade é sermos como verdadeiramente somos" (Soren Kierkegaard)

"O homem só é capaz de sobreviver através de sua mente. Ele vem ao mundo desarmado. Sua mente é sua única arma." (Ayn Rand)

"Não importa o que aconteceu com um homem. Importa o que ele faz com o que aconteceu com ele." (Jean-Paul Sartre)

"A maior felicidade é saber porque se é infeliz" (Fiodór Dostoiévski)

"AGIR, eis a inteligência verdadeira. Serei o que quiser. Mas tenho que querer o que for.

O êxito está em ter êxito, não em ter condições de ter êxito.

Condições de palácio tem qualquer terra larga, mas onde estará o palácio se não o fizerem ali?"

(Fernando Pessoa)

"Muda! Que quando a gente muda o mundo muda com a gente.
A gente muda o mundo na mudança da mente.
E quando a mente muda, a gente anda pra frente!
E quando a gente manda, ninguém manda na gente [...]

Na mudança de atitude não há mal que não se mude,
nem doença sem cura.

Na mudança de postura a gente fica mais seguro.
Na mudança do presente a gente molda o futuro"

(Gabriel, O Pensador)


Poesias relacionadas a Autossabotagem:

Livros relacionados a Autossabotagem:


Links relacionados a Autossabotagem:

2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

13.6.11

AUTOSSABOTAGEM - Parte 4: Dicas para Superá-la

"Seja a mudança que você deseja ver no mundo"

(Mahatma Gandhi)


Autossabotagem
Série sobre AUTOSSABOTAGEM:

Aceitação


Se uma situação ruim é recorrente na sua vida, em qualquer área (profissional, amorosa, etc), dificilmente é azar. O provável é que seja consequência dos seus hábitos e pensamentos.

Enquanto atribuir a fatores externos, nada irá mudar.

Aceite que as causas podem estar no nosso comportamento.

Compreenda que o comportamento é resultado de nossos pensamentos, e pode ser mudado.

Esse é o primeiro passo.

Terapia

Os hábitos de autossabotagem são arraigados, pode ser dificil de trabalhá-los sozinho. Procure um psicólogo. É o caminho mais rápido, e o melhor.

Li que as pessoas demoram em média 4 anos para ir a um psicólogo, após identificarem um problema.

Sofrem durante esse tempo, perdendo amizades, casamentos, oportunidades profissionais.

Deixe de preconceito. Conheço pessoas que tiveram ótimos resultados.

Uma sessão de terapia não é o mesmo que conversar com amigos e familiares. O psicólogo é uma pessoa de fora, paga para te ouvir e ajudar, acostumado a inseguranças e ressentimentos - você pode falar sem reservas de magoar alguém.

Ele irá ajudar a desenvolver a sua visão do mundo e de si mesmo, que são a base dos seus comportamentos.

Avalie bem o profissional e conheça a linha de terapia que ele adota. Experimente algumas sessões. Vale a pena.

Identificação

Separe tempo para relaxar e refletir. É preciso silêncio e foco. Deixe o ego de lado. Reflita sobre seus comportamentos e pensamentos.

Aceite a realidade. Pense no que amigos e familiares dizem sobre você. Avalie as opiniões construtivas.

Veja a lista de pensamentos e hábitos sabotadores. Verifique quais são frequentes e te prejudicam. Busque os disparadores (pessoas, lugares, situações). Conheça as causas mais comuns.

Mudança de Comportamento

Identificados os pensamentos e hábitos sabotadores, pode-se encontrar os conflitos de origem.

Conhecendo esses conflitos, é possível encontrar alternativas para resolvê-los, ou superá-los. Às vezes são sentimentos relacionados à pessoas ou situações que nem existem mais, não tem lógica continuarem afetando sua vida.

Auto-confiança não é Vaidade. Investir em si mesmo não é egoísmo. Ser autêntico não é ofensa. Ser feliz não é errado.

Reformule seus pensamentos. Domínio de si mesmo é tudo na vida. Substitua as idéias limitadoras por pensamentos produtivos.

Bernardo Stamateas, autor do livro Autossabotagem, cita alguns pensamentos produtivos:
  • Não me sabotar é ter confiança em mim
  • Não me sabotar é poder ter intimidade
  • Não me sabotar é não depender das pessoas
  • Não me sabotar é investir em mim
  • Não me sabotar é querer superar a mim mesmo
  • Não me sabotar é pensar triunfantemente
  • Não me sabotar é contar meus sonhos e correr atrás deles
  • Não me sabotar é desenvolver minha inteligência social e emocional
  • Não me sabotar é dar-me permissão para vencer
  • Não me sabotar é mostrar meu eu verdadeiro
  • Não me sabotar é praticar hábitos de sucesso
  • Não me sabotar é buscar ser mais feliz

Frente ao medo, pense: "Qual o pior que pode acontecer?". Perder o emprego? Começar de novo? Exceto para morte, tudo tem jeito. Nada é definitivo, irremediável. Não existe fracasso. Encare tudo como experiência, aprendizado, crescimento, fortalecimento.

Sempre dá para tentar de novo, tentar diferente, voltar atrás, mudar o rumo. Em toda dificuldade há uma oportunidade.

Converta sua preocupação em energia para se preparar, planejar e se dedicar.

Não aja com base apenas na emoção. Espere 1 dia. Pense "Por que estou sentindo isso? É válido? Qual é a atitude mais produtiva?".

Reflita sobre críticas construtivas, peça por elas. Afaste-se de pessoas nocivas, que te rotulam e fazem comentários destrutivos.

Foco nas soluções, não nos problemas, nas justificativas, nos culpados.

Simplifique. Não desperdice tempo ou dinheiro. Pense no custo-benefício. Defina prioridades.

Tenha grandes objetivos, e divida-os em metas menores, desafiadoras mas possíveis. Vá cumprindo as etapas até concluir o objetivo maior.

Cuide do seu corpo, da sua aparência, do seu ambiente, da sua atitude, dos seus pensamentos.

Dedique-se ao seu crescimento pessoal. Aprenda com as pessoas que admira, repare nos hábitos e na visão de mundo delas. Leia livros. Reveja seus pensamentos.

Nas situações em que você se autossabota, e agora tem consciência da sua atitude, aja diferente. Não importa se sairá bem ou não, o objetivo não é perfeição, mas progredir.

Encare desafios. Conforme vai superando-os, sua confiança e capacidade aumenta.

Seja paciente e persistente. A mudança é de longo prazo. Lute com todas as forças contra a Autossabotagem.

Comece agora.

---

No próximo e último post, vou citar frases, links, livros, vídeos e textos - que serviram de referência para essa série sobre Autossabotagem ;)


"Não importa o que aconteceu com um homem.
Importa o que ele faz com o que aconteceu com ele."


(Jean-Paul Sartre)

2 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

8.6.11

2011/Junho - Pedra Bela-SP

Fast-trip bacana, curti demais :)

Post completo lá no Mochila de Pano


2011/Junho - Primeira viagem de moto com o Nelson - Pedra Bela from Mochila de Pano on Vimeo.

1 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

7.6.11

AUTOSSABOTAGEM - Parte 3: Causas Comuns

"Cuide de seus Pensamentos, porque eles se tornam Palavras.

Escolha suas Palavras, porque elas se tornam Ações.

Compreenda suas Ações, porque elas se tornam Hábitos.


Entenda seus Hábitos, porque eles se tornam seu Destino."


Autossabotagem
Nos post anterior, listei pensamentos e hábitos que podem sinalizar padrões de autossabotagem.

1ª parte
: Por que não Conseguimos o que Queremos?
2ª parte: Sinais nos Pensamentos e Hábitos

O que desencadeia esses padrões?

Geralmente, as causas estão relacionadas à:

  • Medo

    Derrotas passadas ou comentários negativos, a pessoa pode internalizar e formar uma imagem inferior de si, mesmo sendo capaz de realizar o que deseja.

    A pessoa com baixa auto-estima e confiança, tem medo:

    • de Não Conseguir (e se desapontar)
    • de Conseguir (e se desapontar)
    • das Mudanças (e se desapontar)
    • de Contrariar outros (e desapontar alguém)

    Quer tanto evitar o desapontamento... e vive desapontada.

  • Culpa

    Por algum erro do passado ou atribuída por outros. Não se sente merecedora, se vê como uma fraude.

    Age inconscientemente para ser "desmascarada", ou punindo-se, para aliviar uma culpa que muitas vezes é ilógica, sem razão.

  • Resentimento

    Comporta-se para contrariar uma pessoa ou situação que às vezes nem está mais presente, prejudicando a si mesma.

  • Depressão, Descrença

    Acha que nada vale a pena, ou está deprimida. A visão de si e do mundo é negativa. Surge pensamentos e hábitos autossabotadores para confirmar essa visão.

  • Estresse

    A pessoa está exausta, esgotada. Ao invés de diminuir o ritmo, entra em padrões de autossabotagem, que quebram esse ritmo sem ela tomar consciência.

  • Inabilidade

    Não desenvolveu habilidade para lidar com as emoções, não faz uma avaliação racional de fatos e consequências. Tem pouca empatia e reflexão.

Os ciclos de autossabotagem parecem sem lógica, aleatórios - mas eles tem causa. Estas acima são comuns, coloquei de forma abrangente.

Espero que ajude a encontrar o conflito interior que está gerando a autossabotagem.

"Contradições não existem.

Sempre que você se deparar com uma contradição, verifique suas premissas.

Você descobrirá que uma delas está errada."

(Ayn Rand)


Nos próximos posts publicarei dicas de como superar a autossabotagem, e também frases, textos, links sobre o tema.

3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

3.6.11

AUTOSSABOTAGEM - Parte 2: Sinais nos Pensamentos e Hábitos

"A maior felicidade é saber porque se é infeliz"

(Fiodór Dostoiévski)


Autossabotagem
Para saber mais, veja a 1ª parte
:

Todos se autossabotam, e acontece em qualquer área da vida. O problema está no grau de dificuldades que isso traz para você.

O desafio está em identificar o que é autossabotagem e o que não é. Geralmente atribuímos seus efeitos à fatores externos, e os seus impulsos, à intuição.

No entanto, circunstâncias desfavoráveis são pontuais, esporádicas - no máximo, uma fase ruim. Ser azarado é superstição, isso não existe.

Quando uma situação ruim fica recorrente na sua vida, é provável que você esteja se sabotando.

Se está seguindo a sua intuição, e isso está fazendo bem para sua vida - ótimo, tudo certo.

Mas se não está, não consegue realizar o que deseja, sente que algo te prende mas não sabe o que é, repetidamente - os obstáculos provavelmente estão dentro de você.

Seja racional e honesto. Se acha que é autossabotagem, então provavelmente é.

Identificar esses padrões é o passo primordial. Fiz uma lista com os mais comuns. Há muitos outros. Alguns são contraditórios, outros podem ocorrer simultâneamente.

Tente visualizar a intensidade, o prejuízo e a frequência deles no seu dia-a-dia.

  • Pensamentos - Autossabotadores pensam...
  • Eu não sirvo para nada
  • Eu não preciso de ninguém
  • Sem Fulano(a), não vivo
  • Primeiro os outros, depois eu
  • Depois eu faço
  • É o que me coube na vida
  • Eu não mereço
  • Sou azarado
  • Não vai dar certo
  • Não tenho tempo
  • Não tenho condições
  • Não tenho ajuda
  • Não estou pronto
  • Não tem jeito
  • Não sou bom o suficiente

  • Hábitos - Autossabotadores estão sempre...
  • Arrumando Justificativas e Culpados
  • Atrasados, Procrastinando, Adiando
  • Indecisos e Inseguros
  • Presos à Perfeccionismo e Detalhes irrelevantes
  • Ocupados, Sobrecarregados, Sem foco. Não pedem ajuda.
  • Pessimistas, Vítimas, Azarados
  • Invejando e Comparando
  • Em maus relacionamentos, amorosos ou de amizade
  • Consumindo por Impulso e Perdendo Dinheiro
  • Desleixados, Rebeldes sem motivo e Auto-destrutivos
    (Drogas, Riscos desnecessários)
  • Sacrificando-se, Martirizando-se pelos outros
  • Despreparados e Reativos
  • Entediados e Desinteressados
  • Pensando Pequeno, Censurando a si e aos outros
  • Tímidos e Anti-sociais
  • Defensivos e Donos da verdade
  • Imaturos e Levando tudo para o lado pessoal
  • Iludidos e com Expectativas Irreais
  • Desistindo, não terminando o que começam
  • Delegando o controle de sua vidas para outras pessoas

Ter consciência de como nos sabotamos, permite ver o dano que isso causa, e dará motivação para mudar.

Conhecendo os padrões autossabotadores, é possível buscar e reformular as crenças, valores e conceitos que os desencadearam.

"A maior descoberta de uma geração é que os seres humanos podem mudar sua vida modificando seus pensamentos"

(Albert Schweitzer)


Nos próximos posts vou falar de causas comuns de autossabotagem, dicas para superá-la, frases, textos e links relacionados.


Posts que podem interessar

3 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

1.6.11

AUTOSSABOTAGEM - Parte 1: Por que não Conseguimos o que Queremos?

"Já enfrentei muitas dificuldades na minha vida.

A maioria delas nunca existiu"

(Mark Twain)


Autossabotagem
Conheço gente capaz, que poderia ser muito feliz, realizar grandes coisas - e toda vez deixa a peteca cair.

Não vão atrás do que querem, arrumam desculpas, criam caso, brigam, perdem foco. Algo sempre dá errado.

O Autoboicote ou Autossabotagem é a repetição de pensamentos e comportamentos, que inconscientemente nos impede de atingir o que queremos.

Acontece com todo mundo, e não é sempre ruim. Funciona como um mecanismo psicológico de defesa para nos proteger dos desapontamentos e de coisas que não queremos realmente.

Acontece quando nosso consciente quer uma coisa, e o insconsciente, outra.

No entanto, quando se torna um modo de vida, vira um desatre.

Pessoas que tem "tudo para dar certo", não alcançam o que poderiam e acabam sentindo-se frustradas, incapazes, impotentes - o que reforça ainda mais o ciclo destrutivo.

Os padrões autossabotadores são profundamente arraigados, a maioria das pessoas nem os percebe ou não sabe como quebrá-los. Acham que seus infortúnios são resultado de fatores externos ou imutáveis, e seguem sofrendo.

Isso se reflete na expressão facial, na linguagem corporal, na disposição, no humor, no tom de voz. Aí não conseguimos mesmo o que buscamos. É uma "profecia auto-realizável".

Acreditamos que nossas escolhas são conscientes, racionais, e com o tempo vamos percebendo que nos afastamos dos sonhos e das pessoas que gostávamos.

Esses ciclos se apresentam em qualquer área da vida: família, relacionamentos, trabalho, estudo, finanças, cuidados com a saúde.

Em 1916, Freud escreveu o artigo "Os que fracassam ao triunfar" sobre pessoas que sentem medo da satisfação e ficam aliviadas quando ela não dá certo.

Elas não usufruem plenamente da satisfação porque entra em conflito com suas crenças primordiais. Podem ter todas as condições para aproveitar a vida, e talvez não o façam. É o tal do "medo de ser feliz".

Em 1978 a expressão "auto-sabotagem" começou a ser usada, quando os psicólogos Steven Berglas e Edward Jones fizeram uma pesquisa com estudantes que optaram por usar uma droga que supostamente inibiria seu desempenho em uma prova.

Estudos recentes afirmam a autossabotagem destrói a confiança, suga a energia necessária para realizarmos nosso potencial e nos impede de vivenciar plenamente a felicidade.

A boa notícia é que podemos quebrar esses padrões. A origem deles está em nosso pensamento. Depois de identificá-los, podemos reformular nossas idéias e mudar o comportamento que nos prejudica.

Nos próximos posts, vou falar sobre padrões comuns de autossabotagem, causas prováveis e estratégias para quebrá-los.

Tudo dessa série sobre Autossabotagem, na verdade, é para mim mesmo.

Não tenho grandes problemas externos. Tudo o que eu quero, depende só de mim.

De uns anos para cá, melhorei bastante. Mas ainda perco muita energia e tempo com desorganização, controle financeiro ruim, falta de foco, introversão, impaciência.

Terei um salto enorme na minha vida quando superá-los ;)


Link para a 2ª parte
:


Posts que podem interessar:

6 comentários

Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us
Blog Widget by LinkWithin