16.6.15

Livro "Comunicação Não-Violenta" - Marshall B. Rosemberg

Livro NECESSÁRIO. A gente não sabe se comunicar.

Quase todas as discussões descambam para ataques, chantagens emocionais, ressentimentos e não tão raro, à violência física e morte. Ninguém consegue o que quer, a não ser à força e com o desejo de revanche do outro lado.

Marshall Rosemberg, psicólogo orientado pelo Carl Rogers, consultor para programas de paz e mediador de conflitos em regiões assoladas por guerras, junto com colaboradores, desenvolveu os princípios da CNV - Comunicação Não-Violenta (NVC - Nonviolent Communication).


"Somos ensinados a competir, julgar, exigir e diagnosticar, pensar em termos do que é certo e errado nas pessoas.

No melhor cenário, pensar e se comunicar desta forma leva a frustração e desentendimentos. No pior, pode gerar raiva, depressão, violência emocional e física."

"A violência decorre da crença de que outras pessoas causam a nossa dor e, portanto, merecem punição."

"Toda mensagem, independentemente da forma ou conteúdo, é uma expressão de uma necessidade."

"A crítica, análise e insultos são expressões trágicas de necessidades não-satisfeitas."

"Por trás de mensagens intimidatórias há simplesmente pessoas apelando para nós para satisfazermos suas necessidades."

Muitas consequências poderiam ser evitadas seguindo alguns desses princípios, que têm aplicações amplas, desde as famosas DRs entre os casais até escolas, empresas, política.

Estou sem tempo para postar um resumo (tem vários na internet). Segue abaixo alguns materiais  bacanas que separei aqui (vídeos, diagramas, citações e o livro em PDF).


Vídeos sobre Comunicação Não-Violenta

Parte 1: Introdução à Comunicação Não-Violenta - Workshop por Marshall Rosenberg - YouTube

Começa chato, mas depois fica ótimo. Insista. ;) Para ativar legendas em PT, cliquem em CC.



Introd. à Comunicação Não-Violenta - Parte 2: Expressar Sentimentos e Necessidades

Introdução à Comunicação Não-Violenta Part 3/4 - Ouvir os Outros Empáticamente

Anotações:

Punição/recompensa não funciona, faz a pessoa agir contrariada, por medo ou buscar o ganho. Vai ocorrer ou a submissão (e estourar lá na frente) ou rebelião.

Todos os sentimentos que expressamos, são necessidades.

Aponte a ação concreta que a pessoa faz e expresse como você se sente, sem julgamentos, sem demandas, críticas, e explique por conta de qual necessidade. Faça um pedido de ação clara e positiva.

Não usar "quero que você seja... quero que você sinta...", tem que ser uma ação concreta.

Em tudo o que você ouvir, não ouça críticas. Só há 2 coisas que as pessoas falam: "por favor... tenho necessidade de...", "obrigado..."

---------------------------------------

Karen Armstrong - A perdida arte do diálogo - YouTube


"A forma como falamos uns com os outros é, via de regra, extremamente agressiva. nosso discurso, nosso debate, a forma como discutimos as coisas no mundo acadêmico, em termos religiosos, é agressiva, não nos é o suficiente buscar a verdade e aprender com ela, sentimos também a necessidade de humilhar e derrotar nossos oponentes"

"Quando dizemos que vamos iniciar um diálogo com os extremistas, isso significa que iremos bater neles, forçá-los a aceitarem nosso ponto de vista. Isso não é diálogo."

"não tem sentido entrar em diálogo, a não ser que você esteja preparado para mudar com o encontro, e isso não significa que você tem que aderir ao lado oposto, mas que algo na sua própria confiança será levemente abalado e você começará a entender o outro com maior clareza."

"um debate na televisão, e uma pessoa está falando, os outros não estão de fato escutando o que ele ou ela diz, mas sim pensando no próximo comentário brilhante que vão dizer para derrotar de vez aquela pessoa. Isso não é diálogo."

"as políticas internacionais claramente não estão funcionando, não sabemos o que fazer com o meio ambiente, precisamos esquecer a sabedoria convencional e nos dedicar a buscar uma nova solução, e isso significa que precisamos nos livrar dessa forma agressiva de falar e pensar uns sobre os outros."

---------------------------------------

Entrevista com Marshall Rosemberg

Comunicação não violenta - Parte 1 Legendado - YouTube

Comunicação Não Violenta - Parte 2 - Legendado - YouTube 

Comunicação Não Violenta - Parte 3 Legendado - YouTube  


Diagramas






Citações de Marshall Rosemberg:

"Toda mensagem, independentemente da forma ou conteúdo, é uma expressão de uma necessidade."

"Somos ensinados a competir, julgar, exigir e diagnosticar - pensar em termos de o que é certo e errado nas pessoas. No melhor cenário, pensar e se comunicar desta forma leva a frustração e desentendimento. No pior, pode gerar raiva, depressão, violência emocional e física."

"A violência vem da crença de que outras pessoas causam a nossa dor e, portanto, merecem punição."

"A crítica, análise e insultos são expressões trágicas de necessidades não satisfeitas."

"Auto-julgamentos, como todos os julgamentos, são expressões trágicas de necessidades não satisfeitas."

"O medo da punição diminui a auto-estima e boa vontade."

"Cumprimentos e elogios, por sua vez, são expressões trágicas de necessidades satisfeitas"

"Por trás de mensagens intimidatórias há simplesmente pessoas apelando para nós para satisfazermos as suas necessidades."

"Nós nunca podemos fazer qualquer um fazer qualquer coisa contra a sua vontade, sem consequências enormes."

"A depressão é a recompensa que ganha por ser 'bom'."

"Quando as pessoas ouvem necessidades, gera compaixão. Quando as pessoas ouvem diagnósticos, provoca defesa e ataque."

"Quando entendemos as necessidades que motivam nossos comportamentos quanto dos outros, não temos inimigos."

"Nosso objetivo é criar uma qualidade de conexão empática que permite que as necessidades de todos sejam satisfeitas."

"Em nossa cultura, a maioria de nós foram treinados para ignorar nossos próprios desejos e para descontar as nossas necessidades."

"Há duas principais razões para não obtermos as nossas necessidades satisfeitas. Em primeiro lugar, nós não sabemos como expressar as nossas necessidades para e segundo, se o fizermos, esquecemos de colocar um pedido claro depois, ou nós usamos palavras vagas "

"Quanto mais falamos sobre o passado, menos nos recuperamos dele."

"O primeiro passo para a recuperação é colocar o foco no que está vivo agora, não o que aconteceu no passado."

"Sempre ouvir o que as pessoas precisam e não o que estão pensando de nós."

"As escolas ensinam a desumanizar os seres humanos por pensar no que eles são e não no que eles precisam."

"CNV nos ajuda a se conectar uns com os outros e a nós mesmos de uma forma que permite a nossa compaixão natural florescer."

"O medo da punição corporal obscurece a consciência da compaixão da criança para as demandas dos pais."

"A raiva, depressão, culpa e vergonha são o produto do pensamento que está na base da violência em nosso planeta."

"As pessoas foram treinadas para criticar, insultar e a se comunicar de maneiras que distanciam as pessoas"

"Nunca ouça o que alguém pensa de você, ouça que estão com dor. Não ouça sua análise."

"Queremos agir pelo desejo de contribuir para a vida, em vez de por medo, culpa, vergonha, ou obrigação."

"O uso punitivo da força tende a gerar hostilidade e reforçar a resistência ao próprio comportamento que estamos procurando obter."

"Independentemente de nossas muitas diferenças, todos nós temos as mesmas necessidades. O que difere é a estratégia para cumprir essas necessidades."

"Tenha em mente que as ações de outras pessoas nunca podem 'fazer' você sentir de determinada maneira. Os sentimentos são indicadores de alerta."

"NVC sugere por trás de cada ação, por mais ineficaz, trágica, violenta, ou abominável para nós, é uma tentativa de atender a uma necessidade."

"Adie o pensamento orientado para resultado/solução até mais tarde, é por meio da conexão que as soluções se materializam - empatia vem antes de educação."

"Eu não esperaria que alguém que foi ferido ouça o meu lado até que sinta que eu tenha entendido totalmente a profundidade de sua dor."

"Quando estamos deprimidos, nosso pensamento nos bloqueia de sermos conscientes de nossas necessidades, e, em seguida, e de tomarmos medidas para satisfazer as nossas necessidades."

"A raiva é um sinal de que você está distraído pelo pensamento crítico ou punitivo, e que algumas necessidades importantes estão sendo ignoradas."

"Muitas vezes, em vez de oferecer empatia, temos um forte desejo de dar conselhos ou tranquilidade, explicar a nossa própria posição ou sentimento."

"Quando percebemos a nós mesmos ser defensivo ou incapaz de empatia, precisamos (a) parar, respirar, dar-nos a empatia, (b) expressar sem violência, ou (c) dar um tempo."

"Se eu elogiar ou criticar a ação de alguém, implica que eu sou o seu juiz, que eu estou classificando-os ou o que eles fizeram."

"Enquanto nós não podemos considerar a forma violenta como falamos, nossas palavras muitas vezes levarão a ferir e a trazer dor, seja para os outros ou para nós mesmos."

"Nós não podemos ganhar à custa de outra pessoa. Nós só podemos ser plenamente satisfeitos quando as necessidades da outra pessoa também são satisfeitas."

"A intenção por trás do uso de proteção da força é para evitar danos, nunca punir ou para fazer com que os indivíduos venham a sofrer, arrepender-se ou mudar."

"Faça a sua meta para atender às suas necessidades subjacentes e apontar para uma resolução tão satisfatória que todos os envolvidos tenham suas necessidades atendidas também."

"NVC mostra-nos uma maneira de ser muito honesto, mas sem qualquer crítica, insultos, ou denegrir, e sem qualquer diagnóstico intelectual implicando falhas."

"Quatro D's da desconexão: 1. Diagnóstico (acórdão, análise, crítica, comparação); 2. (Denial) Negação de Responsabilidade; 3. Demanda; 4.(Deserve) 'linguagem orientada a merecimento."

"Poder-sobre leva a punição e violência. Poder-com leva a compaixão e compreensão, e à aprendizagem motivada por reverência pela vida, em vez de medo, culpa, vergonha ou raiva."

"Elogio e recompensa cria um sistema de motivações extrínsecas para o comportamento. As crianças (e adultos) acabam tomando medidas a fim de receber o elogio ou recompensas."

"Eu acho que há um problema com recompensas e punições porque, a longo prazo, raramente funcionam da maneira que esperamos."

"Duas perguntas, e vamos ver que punição nunca funciona. Primeiro:. O que quer que a outra pessoa faça? Segundo: O que nós queremos que sejam as razões pela qual a pessoa comece a fazer como nós pedimos?"

"Identificar e diagnósticar são maneiras catastróficas para se comunicar. Dizendo a outras pessoas o que há de errado com elas reduz muito, quase a zero, a probabilidade de que nós vamos obter o que estamos procurando."

"Elogios convencionais muitas vezes tomam a forma de julgamentos, no entanto positivos, e às vezes são oferecidos para manipular o comportamento dos outros. NVC encoraja a expressão de apreciação exclusiva para a celebração."

"Educação para Vida: uma educação que prepara as crianças para aprender durante toda a vida, a se relacionar bem com os outros, e com si mesmos, a ser criativo, flexível e aventureiro, a ter empatia não só para seus parentes imediatos, mas para toda a humanidade"

"Como NVC substitui os nossos velhos padrões de defesa, de se retirar ou atacar em face de julgamento e crítica."

"Há duas coisas que distinguem as ações verdadeiramente não-violentas de ações violentas. Em primeiro lugar, não há nenhum inimigo no ponto de vista não-violento. Você não vê um inimigo. Seu pensamento está claramente focado em proteger suas necessidades. Em segundo lugar, a sua intenção é não fazer o outro lado sofrer. "

"Quando as pessoas ouvem qualquer coisa que soa como crítica, elas tendem a investir sua energia em legítima defesa ou contra-ataque. É importante que, quando nos dirigimos a alguém, termos claro o que queremos de volta."

"A paz exige algo muito mais difícil do que a vingança ou simplesmente virar a outra face;. Exige empatia com os medos e necessidades não satisfeitas que fornecem o ímpeto para as pessoas a atacar uns aos outros Estar ciente desses sentimentos e necessidades, as pessoas perdem os seus desejos para atacar de volta, porque eles vêem a ignorância humana que conduz a esses ataques. Em vez disso, seu objetivo torna-se fornecer a conexão empática e educação que lhes permitirá transcender a violência e se envolver em relações de cooperação. "

"Eu gostaria de sugerir que, quando nossas cabeças estão cheias de julgamentos e análises de que os outros são ruins, gananciosos, irresponsáveis, mentem, enganam, poluem o o meio ambiente, ou comportar-se de outras maneiras que não deveriam, poucos estarão interessados em nossas necessidades. "

"Se queremos proteger o meio ambiente, e vamos para um executivo com a atitude:' Você sabe, você é realmente um assassino do planeta, você não tem direito de abusar da terra', desta forma, 'temos severamente prejudicadas nossas chances de conseguir nossas necessidades atendidas. É raro um ser humano raro que pode manter o foco em nossas necessidades quando estamos expressando-as através de imagens de suas falhas".





Livro em PDF





Gostou? Compartilhe:
TwitterStumbleupondel.icio.us

1 comentários:

Canteiro Pessoal disse...

Tenho muito o que aprender (metamorfar) no campo da comunicação.
A cada segundo somos minados com a comunicação violenta. Somos doutores neste campo!
Se aprendermos com seriedade e empenho (renunciar o ego, o eu me basto) o colocar no lugar do outro (visualizar o nosso próprio reflexo), já iríamos minimizar muitos desastres. E esta prática inicia-se no seio familiar!

Excelente post!

Forte abraço!

Blog Widget by LinkWithin